Uma análise dos Discursos Oficiais sobre o Modelo Organizacional da Unidade de Saúde Familiar de Portugal / An analysis of the Official Discourses on the Organizational Model of Family Health Unit of Portugal

Josefa Lusitânia de J Borges, Maria Helena Santana Cruz

Abstract


O objetivo deste artigo é refletir sobre as transformações do trabalho, as demandas de qualificação e de novas competências no âmbito da política de saúde primária, atribuindo especial destaque aos impactos no trabalho dos médicos nas unidades de saúde familiar em Portugal. A investigação de caráter qualitativo realizou-se por meio da consulta a fontes documentais: decretos, leis, planos de ação e relatórios referentes às políticas e à estrutura organizacional nas unidades de saúde, adotando-se a análise de conteúdo para o tratamento dos dados. Preconiza-se que o comprometimento com os processos de requalificação enseja novos movimentos instituintes, fortalecedores da (re)construção da identidade médica, não apenas compreendida como individuação/identificação, mas constituída como um processo contínuo vinculado à identidade pessoal, possibilitando a construção, desconstrução e a reconstrução de algo que permite dar sentido ao trabalho realizado. Para o trabalho em saúde, valoriza-se um novo perfil profissional dotado de elevada qualificação, integrando, de forma inseparável, teoria, saberes técnicos, práticos e sociais.


Keywords


Saúde, Trabalho, Qualificação.

References


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BORGES, J. Lusitânia de J.; CRUZ, Maria Helena Santana. Gender and sexual division in health work. Brazilian Journal of Development, v. 7, p. 51929-51944, 2021. Disponível em: https://www.who.int/gender/documents/Genderworkhealth.pdf

CANÁRIO, Rui. (org.). Formação e situações de trabalho. Porto, Portugal: Porto Editora, 2003.

DAWSON, Bertrand. Informe Dawson sobre al futuro de los servicios médicos y afines, 1920: informe provisional presentado al Ministerio de Salud de la Gran Bretaña en1920 por el Consejo Consultivo de Servicios Médicos y afines. Washington, D.C.: Organización Panamericana de la Salud, feb. 1964. 38 p. (OPS Publicación Científica, 93). Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2021

DUBAR, Claude. Formação, trabalho e identidades profissionais. In: CANÁRIO, Rui (org.). Formação e situações de trabalho. Porto, Portugal: Porto Editora, 2003.

DUBAR, Claude. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Tradução de Andréa Stahel Monteiro da Silva. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FAVORETO, Cesar A. O. Obstáculos à ampliação da competência dialógica e interpretativa da clínica de médicos atuando na atenção primária. In: PINHEIRO, Roseni; MATTOS, Ruben A. (orgs.). Razões públicas para a integralidade em saúde: o cuidado como valor. Rio de Janeiro: Cepesc, 2009. p. 213-229.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução e organização de Roberto Machado. Edição original de 1979. 28. reimp. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2010.

FREIDSON, Eliot. Profissão médica: um estudo da sociologia do conhecimento aplicado. 1. ed. Tradução de André de Faria Pereira Neto e Kvieta Brezinova de Morais. São Paulo: Editora Unesp; Porto Alegre: Sindicato dos Médicos, 2009.

HUGHES, Everett C. Men and their work. Edição original. 1958. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2021.

JONES, Anne. H. Literatures and medicine: narrative ethics. Lancet, Londres, n. 349, p. 1243-1246, 1997.

MACHADO, Maria H. Os médicos e sua prática profissional: as metamorfoses de uma profissão. 1996. 245 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas e Sociologia) – Instituto de Pesquisa do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

MERHY, Emerson E. Saúde: a cartografia do trabalho vivo. São Paulo: Hucitec, 2007.

MORAES, Ramos. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 732, 1999. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2021.

PORTUGAL. Decreto-lei n. 298, de 22 de agosto de 2007. Estabelece o regime jurídico da organização e do funcionamento das unidades de saúde familiar e o regime de incentivos a atribuir a todos os elementos que as constituem. Diário da República. Poder Executivo, Portugal, PT, 22 ago. 2007a. 1ª série, n. 161. p. 5.587-5.596.

PORTUGAL. Missão para os Cuidados de Saúde Primários. Cuidados Continuados Integrados nos Cuidados de Saúde Primários: Carteira de Serviços. Ministério da Saúde, Lisboa [Internet]. 2007b. Disponível em: . Acesso em: 24 maio 2021.

PORTUGAL. Ministério da Saúde. Cuidados de saúde primários. Agora mais do que nunca. In: MINISTÉRIO DA SAÚDE. A reforma numa página. O que está a mudar nos cuidados de saúde primários em Portugal? Texto 1 da série A reforma de A a Z. 2008. Disponível em: . Aceso em: maio 2020

PORTUGAL. Decreto-lei n. 177, de PORTUGAL. Decreto-lei n. 177, de 4 de agosto de 2009. Estabelece o regime de carreira médica especial, bem como os requisitos de habilitação profissional. Diário da República. Poder Executivo, Portugal, PT, 4 ago. 2009. 1ª série, n. 149, p. 5047-5053. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2021.

PORTUGAL. Ministério da Saúde. Nota Técnica n.º 1/acss-poph/2011: tipologia de intervenção 3.6 – qualificação dos profissionais da saúde. In: MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa Operacional Potencial Humano. 2011. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2020.

PORTUGAL. Ministério da Saúde. Guião de apoio à preparação de candidaturas a unidades de saúde familiar (USF) - modelo A. Cuidados primários. 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 de jun. 2021.

PORTUGAL. Ministério da Saúde. Aperfeiçoamento do modelo retributivo e de incentivos nas unidades de saúde familiar. Grupo Técnico para o Desenvolvimento dos Cuidados de Saúde Primários. Documento de trabalho. Versão de 30 set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2012.

SOUZA, Marize B. et al. Trabalho em equipe na atenção primária: a experiência de Portugal. Revista Panamericana de Salud Pública, Washington, v. 33, n. 3, p. 190-195, mar. 2013.

ZARIFIAN, Philippe. O modelo da competência: trajetória histórica, desafios atuais e propostas. Tradução de Eric Roland e René Heneault. São Paulo: Senac, 2003.

ZARIFIAN, Philippe. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-165

Refbacks

  • There are currently no refbacks.