Percepções maternas sobre o cuidado com o recém-nascido prematuro / Maternal perceptions about the care of the premature newborn

Danúzia da Silva Rocha, Thainã Rodrigues Pismel (in memorian), Rozilaine Redi Lago, Andréa Ramos da Silva Bessa

Abstract


Objetivos: Buscou-se compreender as percepções maternas sobre os cuidados com o recém-nascido prematuro. Método: Foi realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa, utilizando entrevistas semi-estruturadas junto a nove mães de recém-nascidos prematuros assitidos em uma Maternidade pública de Rio Branco, Acre, Brasil, em 2017. As participantes apresentaram idades entre 18 a 49 anos completos e foram entrevistadas em ambiente hospitalar e doméstico, após a alta. As entrevistas foram submetidas à análise de conteúdo, seguindo-se às etapas de categorização, inferência, descrição e interpretação, segundo o referencial teórico de autonomia relacional. Resultados: Foram gerados cinco temas: “Percepções sobre o parto prematuro”; “Percepções sobre o nascimento e internação”; “O bebê na cama de vidro”; “Dificuldades com o cuidado”; e “Chegando em casa: e agora?”. Conclusões e implicações para a prática: As participantes relataram medo e ansiedade relacionados à atenção em saúde recebida. Necessita-se maior acolhimento por parte dos provedores de cuidados às mães de recém-nascidos prematuros. A educação em saúde, abordando todos os aspectos da atenção, destacou-se como elemento essencial na promoção da autonomia da mãe nesse contexto.

 

 


Keywords


Relações Mãe-Filho, Recém-nascido prematuro, Educação em Saúde, Pesquisa qualitative, Autonomia relacional.

References


Almeida AC, Jesus ANP, Lima PFT, Márcio FMA, Araújo TM. Fatores de risco maternos para prematuridade em uma maternidade pública de Imperatriz-MA. Rev. Gaúcha Enferm. [periódico na internet]. 2012 June [acesso 2020 Abril 02] ; 33( 2). https://doi.org/10.1590/S1983-14472012000200013

World Health Organization (WHO). Interventions to Improve the Outcomes of Preterm Delivery. Department of Reproductive Health and Research. Geneva, Switzerland, 2015.

Anjos LS, Lemos DM, Antunes LA, Andrade JMO, Nascimento WDM, Caldeira, AP. Percepções maternas sobre o nascimento de um filho prematuro e cuidados após a alta. Rev. bras. enferm. [periódico na internet]. 2012 Aug [acesso 2020 Abril 02] ; 65(4): 571-577. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672012000400004

Braga DF, Machado MMT, Bosi MLM. Amamentação exclusiva de recém-nascidos prematuros: percepções e experiências de lactantes usuárias de um serviço público especializado. Rev. Nutr. [periódico na internet]. 2008 June [acesso 2020 Abril 02] ; 21(3): 293-302. https://doi.org/10.1590/S1415-52732008000300004.

Denzin NK, Lincoln YS. The Sage handbook of qualitative research. 5 ed. Los Angeles: Sage, 2018.

Flick U. Métodos de pesquisa: introdução à pesquisa qualitativa. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Cuenca AMB, Andrade MTD, Noronha DP, Ferraz MLE, De F. Guia de Apresentação de Teses – 2.ed. São Paulo : A Biblioteca, 2006.

Tong A, Sainsbury P, Craig J. Consolidated criteria for reporting qualitative research (COREQ): a 32-item checklist for interviews and focus groups, International Journal for Quality in Health Care, Volume 19, Issue 6, [periódico na internet] December 2007, [acesso 2020 Maio 02], Pages 349–357. https://doi.org/10.1093/intqhc/mzm042

Gil AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 7ªed. São Paulo: Atlas, 2019.

Minayo MCS, Deslandes SF. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25ªed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

McLeod C, Sherwin S. Relational autonomy, self-trust and health care for patients who are oppressed. In C. Mackenzie & N. Stoljar (Eds.), Relational autonomy: Feminist perspectives on autonomy, agency, and the social self (pp. 259–269). New York: Oxford University Press, 2000.

Sherwin S. A relational approach to autonomy in health care. In S. Sherwin (Ed.), The politics of women’s health: Exploring agency and autonomy (pp. 19–46). Philadelphia: Temple University Press, 1998.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo demográfico. Características gerais da população: resultados da amostra. Rio de Janeiro; 2017, [internet] [acesso 2020 Maio 02]. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ac/rio-branco/panorama.

Silva EF, Cordova FP, Chachamovich JLR, Záchia SA. Percepções de um grupo de mulheres sobre a doença hipertensiva específica da gestação. Rev. Gaúcha Enferm. [periódico na internet]. 2011 Jun [acesso 2020 Abril 02]; 32(2): 316-322. https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000200015

Martin AH, Donelli TMS, Lopes RCS, Piccinini CA. Expectativas e sentimentos de mães solteiras sobre a experiência do parto. Aletheia [periódico na internet]. 2009 Jun [acesso 2020 Maio 02] ; (29): 57-72. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942009000100006&lng=pt.

Gray PH, Edwards DM, Gibbons K. Parenting stress trajectories in mothers of very preterm infants to 2 years. Arch Dis Child Fetal Neonatal [Internet]. Ed. 2018; 103(1):F43–F48. https://doi:10.1136/archdischild-2016-312141

Pinheiro BC, Bittar CML. Expectativas, percepções e experiências sobre o parto normal: relato de um grupo de mulheres. Fractal, Rev. Psicol. [periódico na internet]. 2013, vol.25, n.3 [acesso 2020 Maio 02], pp.585-602. https://doi.org/10.1590/S1984-02922013000300011

Brüggemann OM, Monticelli M, Furtado C, Fernandes CM, Lemos FN, Gayeski ME. Filosofia assistencial de uma maternidade-escola: fatores associados à satisfação das mulheres usuárias. Texto contexto - enferm. [periódico na internet]. 2011 Dec [acesso 2020 Maio 02]; 20(4): 658-668. https://doi.org/10.1590/S0104-07072011000400003

Pergher DNQ, Cardoso CL, Jacob AV. Nascimento e internação do bebê prematuro na vivência da mãe. Estilos clin. [periódico na internet]. 2014, vol.19, n.1 [acesso 2020 Maio 02], pp.40-56. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-71282014000100003&lng=pt&nrm=iso.

Rocha L, Monticelli M, Martins A, Scheidt D, Costa R, Borck M, Burigo RA. Sentimentos paternos relacionados à hospitalização do filho em unidade de terapia intensiva neonatal. Rev. enferm. UFSM. [periódico na internet]. 2012; [acesso 2020 Maio 02] 2(2):264-74. https://doi.org/10.5902/217976925382

Amorim M, Alves E, Kelly-Irving M, Silva S. Needs of parents of very preterm infants in Neonatal Intensive Care Units: A mixed methods study. Intensive Crit Care Nurs. 2019;54:88–95. https://doi:10.1016/j.iccn.2019.05.003

Klossoswski DG, Godoi VC, Xavier CR, Fujinaga CI. Assistência integral ao recém-nascido prematuro: implicações das práticas e da política pública. Rev. CEFAC, São Paulo [periódico na internet], v. 18, n. 1, p. 137-150, Feb. 2016 [acesso 2020 Maio 02]. https://doi.org/10.1590/1982-021620161814515

Neves PN, Ravelli APX, Lemos JRD. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo-peso (método Mãe Canguru): percepções de puérperas. Rev. Gaúcha Enferm. [periódico na internet]. 2010, vol.31, n.1 [acesso 2020 Março 17], pp.48-54. https://doi.org/10.1590/S1983-14472010000100007

Soares RLSF, Christoffel MM, Rodrigues EC, Machado MED, Cunha AL. The meanings of caring for pre-term children in the vision of male parents. Texto contexto - enferm. [periódico na internet]. 2016 [acesso 2020 Maio 02] ; 25( 4 ): e1680015. https://doi.org/10.1590/0104-07072016001680015

Fabiane FC, Neide de SP. Preparo dos pais de recém-nascido prematuro para alta hospitalar: uma revisão bibliográfica. Esc. Anna Nery Rev. de Enferm., [periódico na internet]. 2009 vol. 13, núm. 4, [acesso 2020 Março 05] pp. 886-891. https://doi.org/10.1590/S1414-81452009000400027

Berres R, Baggio MA. (Dis)continuation of care of the pre-term newborn at the border. Rev Bras Enferm. [periódico na internet]. 2020 [acesso 2020 Agosto 05] ;73(3):e20180827. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0827




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-249

Refbacks

  • There are currently no refbacks.