Conhecimento das disfunções sexuais femininas por enfermeiros das unidades de referência em atenção primária de Rio Branco - Acre, Brasil / Knowledge of female sexual dysfunctions by nurses of the reference units in primary care in Rio Branco - Acre, Brazil

Andressa Ferreira Porto, Felipe da Silva Bastos, Andréa Ramos da Silva Bessa, Danúzia da Silva Rocha

Abstract


A sexualidade humana tem um amplo sentido que transcende a simples reprodução e deve ser compreendida em função de todas as suas dimensões e de abordagens diversas.O presente estudo, objetivou analisar o conhecimento dos enfermeiros das Unidades de Referência em Atenção Primária acerca das disfunções sexuais femininas em Rio Branco – Acre, Brasil. Se trata de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com amostra de 20 enfermeiros da Atenção Primária. A coleta de dados foi realizada nas unidades de saúde, no período compreendido entre maio e agosto de 2015. Para a coleta foi utilizado um questionário com dados de identificação e um roteiro de entrevista com perguntas semiestruturadas. Os resultados dos relatos encontrados foram categorizados em cinco grupos: 1) disfunção sexual feminina de acordo com os enfermeiros, 2) tabu, crença e religião na abordagem da disfunção sexual feminina, 3) abordagem realizada pelos enfermeiros, 4) a sexualidade dos enfermeiros e 5) as disfunções sexuais femininas como problema de saúde pública. Com isso, observou-se que o conhecimento das disfunções sexuais femininas pelos enfermeiros, independente de instituição formadora, grau de especialização ou idade do profissional, é incipiente diante do tamanho da problemática na sociedade.


Keywords


Sexualidade; Saúde pública; Saúde da mulher; Enfermagem.

References


WHO - World Health Organization. Defining sexual health. Report. Geneva, 2006. WHO - Technical Report Series. [Internet]. 2002 [acesso em 7 abr 2015] Disponível em: https://www.who.int/reproductivehealth/publications/sexual_health/defining_sexual_health.pdf

Werebe MJG. Sexualidade, política e educação. Campinas, SP: Editora Autores associados, 1998.

Bessa ARS. Fatores associados às disfunções sexuais entre mulheres de meia-idade da Região Norte do Brasil. Tese (Doutorado em Saúde Pública) - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo. [Internet] 2013. 147 p [acesso em 4 mar 2015] Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/T.6.2013.tde-04012014-174805

Abdo CHN. Da depressão à disfunção sexual. São Paulo: Vizoo Editora, 2007.

Almeida NAM, Silva LA, Araújo NM. Conhecimento de acadêmicas de enfermagem sobre disfunções sexuais femininas. Revista Eletrônica de Enfermagem. v. 7, n. 2, p. 138-47, [Internet] 2005. [acesso em 5 mar 2015] Disponível em: https://doi.org/10.5216/ree.v7i2.889

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico. Características gerais da população: resultados da amostra. Rio de Janeiro, [Internet] 2013. [acesso em 05 mar 2015] Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=264529

Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

Abdo CHN. Descobrimento sexual do Brasil. São Paulo: Lemos, 2004.

Ferreira ALC et al. Disfunções sexuais femininas. Femina. v. 35, n. 11, p. 689-95, 2007.

Gutiérrez NIM. Situación de salud sexual y reproductiva, hombres y mujeres homosexuales Hospital Maria Auxiliadora. Revista Peruana de Obstetricia y Enfermería. v. 3, n. 1, p. 02-16, [Internet] 2007. [acesso em 4 mar 2015] Disponível em: http://www.aulavirtualusmp.pe/ojs/index.php/rpoe/article/view/536/0

Heck J, Randall V, Gorin SS. Health care access among individuals involved in same-sex relationships. American Journal of Public Health. v. 96, n. 6, p. 1111-18, [Internet] 2006. [acesso em 10 mar 2015] Disponível em: http://dx.doi.org/10.2105/AJPH.2005.062661

Ressel LB, Gualda DMR. A sexualidade na assistência de enfermagem: reflexões numa PESQUISA perspectiva cultural. Revista Gaúcha de Enfermagem. v. 25, n. 3, p. 323-33, [Internet] 2004. [acesso em 10 fev 2015] Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4526/2456

Laumann EO, Paik A, Rosen RC. Sexual dysfunction in the United States: prevalence and predictors. JAMA. v. 281, n. 6, p. 537-44, [Internet] 1999. [acesso em 12 fev 2015] Disponível em: http://dx.doi.org/10.1001/jama.281.6.537

Garcia JR, Reiber C, Massey SG, Merriwether AM. Sexual hookup culture: A review. Review of General Psychology, [Internet] 2012. [acesso em 12 mar 2015] Disponível: http://dx.doi.org/10.1037/a0027911

Hartmann U et al. Low sexual desire in midlife and older women: personality factors psychosocial development, present sexuality. Menopause. v. 11, n. 6, p. 726-40, [Internet] 2004. [acesso em 10 fev 2015] Disponível em: http://dx.doi.org/10.1097/01.gme.0000143705.42486.33

Vieira TCB. et al. Sexualidade na gestação: os médicos brasileiros estão preparados para lidar com estas questões? Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. v. 34 no. 11. [Internet] 2012. [acesso em 8 mar 2015]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-72032012001100001

Thiel RRC. et al. Tradução para português, adaptação cultural e validação do Female Sexual Function Índex. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. v. 30, n. 10, p. 504-10, [Internet] 2008. [acesso em 20 abr 2015] Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-72032008001000005

Vincensi IF. et al. Educação em saúde com mulheres da atenção básica em vivência sexual durante o climatério. Braz. J. of Develop., v.6, n.9,p.68378-68385. 2020. DOI:10.34117/bjdv6n9-324




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-272

Refbacks

  • There are currently no refbacks.