A monocultura cacaueira e o bioma da mata atlântica no município de Gandu, baixo Sul Baiano / Cocoa monoculture and the atlantic forest bioma in the municipality of Gandu, downtown South Baiano

Ariel Moura Vilas Boas, Marcelo Araújo da Nóbrega, Bruno Lacerda Santos

Abstract


A presente pesquisa tem como objetivo de estudo a análise da presença da cultura do cacau no município de Gandu, no Baixo Sul baiano, e sua interação com a permanência e uso da floresta ombrófila densa, que domina o bioma da Mata Atlântica. Como metodologia, foram realizados levantamentos teóricos e empíricos sobre a diversidade fitofisionômica, uso da terra e algumas espécies do bioma da Mata Atlântica, além da cultura do cacau, segundo concepções de vários autores de diferentes áreas da ciência. Entrevistas e questionários sobre a relação da produção cacaueira com a floresta foram feitas, visita de campo a fazendas de cacau, fotografias da mata, do cultivo do cacau no município e também a identificação de espécies de maior incidência na paisagem, coleta de informações em carta topográfica e mapas temáticos do ambiente e uso de imagens de satélite disponibilizadas pelo Google. Os resultados obtidos revelam que a maioria dos entrevistados diz que houve degradação na cobertura vegetal do bioma nas ultimas décadas, a grande maioria do público pesquisado afirma a influência da praga da vassoura-de-bruxa com a degradação ambiental, também afirmam ter trabalhado em lavouras de cacau e terem contato com mudas geneticamente modificadas, a maioria esmagadora afirmam que a preservação da floresta está associada ao cultivo do cacau, e que sem ele, a devastação da floresta foi maior para implantação de outras culturas como pecuária, banana e culturas de subsistência na época da vassora-de-bruxa. O trabalho de campo, conjuntamente com as imagens de satélite mostram que a floresta está bastante alterada, constituída por diversos estágios de sucessão ecológica, denominadas de capoirinha, capoira e capoeirão e fragmentos mais ou menos preservado da floresta ombrófila nativa em áreas montanhosas.  O sombreamento exótico (cacau-cabruca) ainda é bastante utilizado e considerado uma prática sustentável. Conclui-se que, a relação da cultura do cacau com a floresta ombrófila densa é uma prática comum e vem aumentado depois da eliminação parcial da vassoura de bruxa e de mudas de cacau geneticamente modificadas.

 

 


Keywords


Agrofloresta, Produção de cacau, Mata Atlântica, Fitofisionomia, Gandu - BA.

References


ANDERSON, J. A.; HARDY, E. E.; ROACH, J. T. & WITMER, R. E. Sistema de classificação do uso da terra e do revestimento do solo para utilização com dados de sensoriamento remotos. Rio de Janeiro: SUPREN – IBGE, 1979

AQUINO, A. R.; PALETTA, F. C.; SILVA, A. C.; GALVÃO, A. S.; BORDON, I. C., RIBEIRO, L. S.& SANTOS., R. M.. SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL. Rio de Janeiro: Rede Sirius: 2015.

BRASIL: MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA. PROJETO RADAMBRASIL: Levantamento de recursos naturais. Folha SD.24 Salvador. Ministério das Minas e Energia. Rio de Janeiro, 1981.

DONATO, C. F., RANZINI, M., CICCO, V. d., ARCOVA, F. C., & SOUZA, L. F.. Balanço de massa em microbacia experimental com Mata Atlântica, na Serra do Mar, Cunha-SP. In: 1º Seminário de Iniciação Científica do Intituto Florestal, São Paulo, 2007. pp. 241-246.

FRANKE, C. R., ROCHA, P. L., KLEIN, W., & GOMES., S. L.. Mata Atlântica e biodiversidade. Salvador: EDUFBA. (2005).

INSTITUTO NACIONAL DE PESQQUISAS ESPACIAIS (INPE). (2019). Plataforma de coleta de dados ambientais. disponível . Acesso em 12 /8/2021.

NOBREGA, M. A. Identificação da cobertura vegetal e de outros elementos do terreno através do processamento digital de imagens orbitais. In: COM (S) CIÊNCIA: Revista cultural , técnica e científica. nº 4. p 143-159. Vitória da Conquista: UESB, 1993

NOBREGA, M. A. Diversidade de fitofisionomias e aspectos fisiográficos do setor sudeste da Chapa Diamantina, BA. São Paulo: USP, 2003. (Tese de doutorado).

NOBREGA, M. A. & VILAS BOAS, A. M. Soil/phytofisionomy relationship in southeast of Chapada Diamantina – Bahia, Brasil. The World Academy of Science, Engineering and Technology. International Journal of Geological and Environmental Engineering. v. 14, nº 12, p. 349-356. 2020. Disponível < https://publications.waset.org/geological-and-environmental-engineering>

PEREIRA, A,. Degradação Ambiental e a Diversidade biológica/biodiversidade: uma visão integrada. (2017) ENCICLOPÉDIA BIOSFERA, 14(26).

ROCHA, L. B.. A Região Cacaueira da Bahia Dos Coronéis a Vassoura-de-bruxa. (2º ed.). Ilheus: Editus. 2008.

VELOSO, H. F., A & LIMA, J. Classificação da vegetação brasileira adaptada a um sistema universal. Rio de janeiro: IBGE, 1991.

WORLD FLORA ONLINE CONSORTIUM. < http://www.worldfloraonline.org/> acesso em 18/9/2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n10-295

Refbacks

  • There are currently no refbacks.