As perspectivas da pedagogia freireana e a sua influência sobre a educação alimentar e nutricional: Uma revisão de literatura / The perspectives of freirean pedagogy and its influence on food and nutrition education: A literature review

Éllen Roberta Dias de Farias, Beatriz Bianca Santos da Cruz, Bianca Rodrigues de Oliveira, Maria Eduarda de Andrade Beltrão, Victor Emanoel França Ribeiro, Vivian Mikelly Estevão da Silva, Mariana Ferreira da Silva

Abstract


A Educação Alimentar e Nutricional (EAN) é um campo de conhecimento e de ação contínua e multiprofissional que objetiva promover a prática autônoma de hábitos alimentares saudáveis (BEZERRA, 2018). Neste sentido, reafirma-se a necessidade de situar a EAN no campo das ciências sociais e humanas, o que resulta no entendimento da alimentação como prática social, ou seja, constituída por elementos objetivos e simbólicos capazes de converter o ato alimentar em um fato social (ALVES, 2013). Esta dimensão da alimentação é um alicerce teórico importante, especialmente se embasado nas perspectivas da Pedagogia Freireana, impulsionando reflexões e elaborando estratégias de superação de um “pseudocientificismo” do campo, o qual tende a ignorar a importância do sujeito e de sua relação com o mundo por meio das práticas alimentares (BESERRA, 2011). Na educação em saúde, é muito comum que seja observada a prevalência do modelo tradicional e antigo de educação, que segundo as concepções de Paulo Freire, é denominado de “educação bancária”, ou seja, um modelo de ensino no qual o educador tem como dever “encher” os educandos de conteúdos de sua narração, realizando apenas depósitos de informações (FREIRE, 2005). Conforme o apresentado por Becker (2012), as práticas educativas nos âmbitos da alimentação e nutrição, atualmente, ainda se apresentam com base nesta transmissão de informações, valendo-se de estratégias como palestras e materiais informativos, que evidenciam uma concepção empirista do processo de ensino e aprendizagem, na qual a crença de que os educandos somente aprenderão se o professor ensinar, como nos modelos tradicionais e conhecidos de ensino. Quanto a Nutrição, a intenção é convencer os sujeitos a aderirem ao projeto dietoterápico preconizado, incentivando uma boa relação com os alimentos de forma a também estimular a mudança de hábitos com seu inteiro protagonismo, ressignificando o processo e permitindo um aprimoramento do cuidado por meio de uma escuta acolhedora e humana, formação de vínculo profissional/usuário e integração da pessoa ao meio ambiente e sociedade (SANTOS, 2012). Segundo Pereira (2003), a educação e a saúde são espaços de agregação e aplicação de saberes e conhecimentos destinados ao desenvolvimento humano. Tal desenvolvimento pode ser conquistado através da pedagogia proposta por Freire, a qual tende a possibilitar e incentivar que o  indivíduo, através de atos que indagam determinados contextos, possa refletir e encontrar novas soluções e estratégias para lidar com as situações.


Keywords


Paulo Freire, Educação Nutricional, Educação em Saúde, Pedagogia Freireana.

References


AFONSO, M. L. Construindo a Oficina: Demanda, Foco, Enquadre e Flexibilidade. In: AFONSO, M. L. (organizadora). Oficinas em Dinâmicas de Grupo: um método de intervenção psicossocial. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

ALVES, H.; WALKER, P. Educação Alimentar e Nutricional como prática social. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. 8(3); 499-508; 2013.

BECKER, F. O caminho da aprendizagem em Jean Piaget e Paulo Freire: da ação à operação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

BECKER, F. Educação e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artmed, 2012.

BESERRA, E. P.; et al. Pedagogia freireana como método de prevenção de doenças. Revista Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 1563-1570, 2011.

BEZERRA, J. A. B. Educação alimentar e a constituição de trabalhadores fortes, robustos e produtivos: análise da produção científica em nutrição no Brasil, 1934-1941. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 157-179, mar. 2012.

BEZERRA, J. A. B. Educação alimentar e nutricional: articulação de saberes. Fortaleza: Ed. UFC, 2018.

ESPERANÇA, L.M.B., GALISA, M.S. Programa de Educação Alimentar e Nutricional: diagnóstico, objetivos, conteúdo e avaliação. In: GALISA, M.S., NUNES, A.P.O., GARCIA, L.S., CHEMIN, S.M. Educação Alimentar e Nutricional: da teoria à prática. Vila Mariana, SP: Roca, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1967.

FREIRE, P. Educação e mudança. 31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

PEREIRA, A. L. F. As tendências pedagógicas e a prática educativa nas ciências da saúde.

Cad. Saúde Pública, v.19, n.5, p.1527-1534, 2003.

PETRINI, C. Slow Food: princípios da nova gastronomia. Tradução Renata Lucia Botini. São Paulo: Editora SENAC, 2009.

PITANO, S. C. A educação problematizadora de Paulo Freire, uma pedagogia do sujeito social. Inter-Ação, Goiânia, v. 42, n. 1, p. 87-104, 2017.

RAMEH, L. Método Paulo Freire: uma contribuição para a história da educação brasileira. V Colóquio Internacional Paulo Freire – Recife, 2005.

SANTOS, L. A. S. O fazer educação alimentar e nutricional: algumas contribuições para reflexão. Ciênc. Saúde Coletiva,17:453-62, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n11-258

Refbacks

  • There are currently no refbacks.