Avaliação do uso da bupropiona em associação com a naltrexona no controle de peso da população de Maringá / Evaluation of the use of bupropion in association with naltrexone whithout weight control of the Maringá population

Maria Eduarda da Silva Santos, Juliana Luna Bilheiro Peixoto

Abstract


Nas últimas três décadas, a obesidade alcançou dimensões epidêmicas e hoje é considerado um problema de saúde pública, tendendo a graves encargos econômicos e sociais. As últimas projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS) são preocupantes. Estima-se que em 2030, quase 60% da população mundial poderá ser obesa ou com sobrepeso, destacando a necessidade de encontrar tratamentos inovadores. A obesidade pode estar associada a diversas comorbidades, como: doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, diabetes mellitus 2, Câncer, e de acordo com estudos recentes também aumenta o risco de COVID-19. A comunidade médica recomenda mudanças no estilo de vida, incluindo uma dieta restritiva associada a atividade física como meio mais saudável de perder peso. No entanto, a eficácia desta intervenção, em algumas situações, é muito baixa e acompanhada por uma alta taxa de recuperação de peso. Várias combinações de dietas e medicamentos, incluindo mudanças no estilo de vida, foram lançadas para tratar a obesidade. Estudos apontam a combinação da bupropiona com a naltrexona como potencial agente no tratamento da obesidade quando as dietas e atividade física não trazem resultados. Dessa forma, esse trabalho teve por objetivo avaliar a eficácia da combinação de medicamentos bupropiona e naltrexona para perda de peso em uma amostra de habitantes localizados na cidade de Maringá, Paraná. A pesquisa foi realizada por meio de um questionário online, via plataforma Survio, enviado via WhatsApp, onde os dados foram analisados e organizados em gráficos e tabelas.

No total foram entrevistadas 110 pessoas, sendo 79% do sexo feminino e 21% do sexo masculino, com idades variando entre 18 e 50 anos. Após análise das respostas, foi possível constatar que 75% dos entrevistados já utilizaram medicamentos para emagrecer, sendo 60,90% destas pessoas, fizeram uso dos medicamentos bupropiona e naltrexona para perda de peso e alcançaram resultados satisfatórios. Diante desses resultados, conclui-se que essa combinação de medicamentos pode ser uma importante aliada em casos em que o tratamento com dietas e exercícios físicos não são suficientes para a perda de peso. Destaca-se a importância do acompanhamento médico e de seguir a prescrição farmacêutica de forma correta, contribuindo para obtenção de bons resultados e preservando a qualidade de vida.


Keywords


Obesidade, fármacos, Naltrexona, Bupropiona, Interações medicamentosas

References


ABESO. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. In Diretrizes brasileiras de obesidade. São Paulo, 2016.

ACKERMANN, R.T, S.L. EDELSTEIN, K.M.V. NARAYAN, P. ZHANG, M.M. ENGELGAU, W.H. HERMANN, D.G. MARRERO, Changes in health state utilities with changes in bodymass in the Diabetes Prevention Program, Obesity (Silver Spring) 17 (12), 2176–2181, 2009.

APOVIAN, C.M. What’s new about the new US obesity guideline: Curr. Obes. Rep. 3 (2) 147–149, 2014.

AASETHA, J., ELLEFSENB,S., ALEHAGENC, U., SUNDFORD, T.M., ALEXANDRE,J. Diets and drugs for weight loss and health in obesity – An update. Biomedicine & Pharmacotherapy 140 , 2021.

.

DIAS PC, HENRIQUES P, ANJOS LA dos, BURLANDY L. Obesidade e políticas públicas: concepções e estratégias adotadas pelo governo brasileiro. Cad Saude Publica. 2017.

DIETZ, W. SANTOS C. Obesity and its Implications for COVID-19 Mortality,Obesity. 2020.

EICKEMBERG, M.; AMORIM, L.D.A.F; ALMEIDA, M.C.C.; PITANGA, F.J.G.; AQUINO, E.M.L.; FONSECA, M.J.M.; MATOS, S.M.A. Obesidade abdominal no ELSA-Brasil: construção de padrão ouro latente e avaliação da acurácia de indicadores diagnósticos. Ciência & Saúde Coletiva. 2020.

FOTHERGILL, E, J. GUO, L. HOWARF, J.C. KERNS, N.D. KNUTH, R. BRYCHTA, K.Y. CHEN, M.C. SKARULIS, Persistent metabolic adaptation 6 years after “the biggest Loser” competition, Obesity 24, 1612–1619, 2016.

GADDE, K.M., XIONG, G.L. Bupropion for weight reduction, Expert Rev. Neurother, 2007.

--GAGLIARDI, J. Obesidade: conceito e avaliação. Nutrição Saúde e Performance, v. 3, n. 14, p. 5-7, dez. 2001.

GALANI, E. Ravussin, Energy metabolism, fuel selection and body weight regulation, Int. J. Obes. 32,109–S119, 2008.

IBGE, disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pr.html. Acesso em 05 set. 2021.

IKEDA, Y., et al Bupropion increases activation in nucleus accumbens during anticipation of monetary reward, Psychopharmacology (Berl) 236 (12), 3655–3665, 2019.

JENSEN, M.D et al. Guideline for the management of overweight and obesity in adults: a report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines and The Obesity Society, 2014.

LEE MW, FUJIOKA K. Naltrexone for the treatment of obesity: re- view and update. Expert Opin Pharmacother, 2009

LE ROUX, C.W., HENEGHAN, H.M., Bariatric surgery for obesity, Med Clin. North Am. 102 (1) 165–182, 2018

MACLEAN, P.S, et al. Innovative research to improve maintenance of weight loss, Obesity. 23, 7–15, 2015.

ORNELLAS, T., and CHAVEZ, B. Naltrexone SR/Bupropion SR (Contrave). 36, 255–262, 2011.

Organização Mundial da Saúde, Disponivel em: https://www.who/int/eportuguese/countries/bra/pt. Acesso em 05 set. 2021

POLIDORI, D., SANGHVI A., R.J. SEELEY, HALL K.D., How strongly does appetite counter weight loss: Quantification of the feedback control of human energy intake, 2289–2295, 2016.

SANYAOLU, A. et al. Comorbidity and its Impact on Patients with COVID-19. SN Compr. Clin. Med. 2, p. 1069–1076, 2020.

SILVA, B. L. As interfaces entre a gordofobia e a formação acadêmica em nutrição: uma problematização necessária. 2017. Florianópolis, 2017.

SILVA, A. B. M. Vida sedentária deve ser combatida desde a infância. A Obesidade Não é Brincadeira, jul. 2012.

SQUADRITO, F. et al. Anti-obesity drug therapy in clinical practice: Evidence of a poor prescriptive attitude. Biomedicine & Pharmacotherapy, p.128. 2020.

SUMITHRAN, P, PRENDERGAST L.A., E. DELBRIDGE, K. PURCELL, SHULKES A., KRIKETOS A., PROJETTO J., Long-term persistence of hormonal adaptations to weight loss, N. Engl. J. Med. 365 1597–1604, 2011.

ROSENBAUM, M, J. HIRSCH, D.A. GALLAGHER, R.L. LEIBEL, Long-term persistence of adaptive thermogenesis in subjects who have maintained a reduced body weight, Am. J. Clin. Nutr. 88 906–912, 2008.

VELAZQUEZ, A, APOVIAN, C.M. Updates on obesity pharmacotherapy, Ann. N. Y Acad. Sci. 1411 (1) 106–119, 2018.

YUMUK, V, C. TSIGOS, M. Fried, K. SCHINDLER, L. BUSETTO, D. MICIC, H. TOPLAK, O. Obesity Management Task Force of the European Association for the Study of, European guidelines for obesity management in adults, Obes. Facts 8 (6) 402–424, 2015

WANNMACHER, L. Obesidade: evidências e fantasmas. Rev. Uso Racional de Medicamentos, v. 1, n. 3, p. 1-6, 2004




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n11-329

Refbacks

  • There are currently no refbacks.