Ensaio teórico sobre os desafios da gestão de pessoas no serviço público: como manter o funcionário motivado? / Theoretical essay on the challenges of people management in the public service: how to keep the employee motivated?

Rosilene de Lima Machado Silva

Abstract


Atualmente, diante das constantes modificações nas condições de trabalho para o empregado e o empregador, levando o foco para a proeminência do fator humano; é premente que as organizações estabeleçam novos padrões para o tratamento com o funcionário. A Administração Pública não foge a essas mudanças, e precisa reajustar seus procedimentos, para melhor atender o cidadão, promovendo o bem comum; e para isso, precisa de funcionários motivados. Portanto, esse ensaio teórico teve como escopo analisar quais fatores podem influir na efetividade da motivação do funcionário público, bem como o que é necessário para motivá-lo, e quais mudanças organizacionais são indispensáveis para que isto aconteça. Foi utilizada a pesquisa bibliográfica como procedimento metodológico, para a realização do presente estudo. No referencial teórico, foi apresentado o conceito de motivação, as teorias motivacionais clássicas e contemporâneas, e em seguida, o significado do trabalho. Concluiu-se que é um grande desafio para o gestor de pessoas no serviço público manter um funcionário motivado, considerando a quantidade de variáveis que podem influenciar. Contudo, se partir das teorias que explicam a motivação por meio de fatores intrínsecos, existe a possibilidade de suceder.

 

 


Keywords


motivação, serviço público, gestão de pessoas.

References


ANGELO, E. S. S. Fatores de motivação de trabalhadores das classes sociais C, D e E. 2010. 116f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro.

BASTOS, A. V. B.; PINHO, A. P. M.; COSTA, C. A. O significado do trabalho um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. Rev. de Administração de Empresas, São Paulo, v.35, n.6, nov./dez. 1995, p.20-29.

BERGAMINI, C. W. Motivação: uma viagem ao centro do conceito. RAE Executivo, São Paulo, v.1, n.2, nov. 2002/jan. 2003, p.63-67.

BERGUE, S. T. Gestão de pessoas em organizações públicas. 3.ed. Caxias do Sul: Educs, 2010.

BEUREN, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. 3. ed. São Paulo, 2008.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v.120, n.1, jan./abr. 1996, p. 7-40.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 out. 1988. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2021.

BUENO, S. Dicionário Silveira Bueno: com a nova reforma ortográfica da língua portuguesa. São Paulo: Didática, 2009.

CHIAVENATO, I. Recursos humanos. Ed. compacta, 7.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

COSTENARO, A. C.; STECCA, J. P. Motivação profissional: um indicador de qualidade de vida. Rev. Eletrônica de Contabilidade, Santa Maria-RS, v.1, n.1, set./nov. 2004, p.226-249.

GOMES, L. C. A influência da capacitação sobre a motivação no trabalho. Saúde Coletiva, São Paulo, v. 4, n. 16, ago. 2007, p. 113-119.

GOMES, R. K.; GOMES, R. K. Ensaio teórico sobre os fatores de motivação e satisfação no trabalho. Revista Borges, v. 3, n.2, dez. 2013, p.4-19.

GREGÓRIO, F. A. S. Competência emocional e satisfação profissional dos enfermeiros. 2008. 163f. Dissertação (Mestrado em Psicologia da Saúde) – Universidade do Algarve, Faro.

HAAK, M. K. Empregados motivados: empresas triunfantes. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v.1, n.1, 2. sem./1995, p.1-5.

____________. Programas de qualidade e a motivação para o trabalho: um estudo exploratório no setor de serviços. Rev. de Administração, São Paulo, v.35, n.3, jul./set. 2000, p.60-70.

LONGO, F. Mérito e flexibilidade: a gestão das pessoas no setor público. São Paulo: FUNDAP, 2007.

MASLOW, A. H. A theory of human motivation. Psychological review, v.50, n.4, p. 370-396, 1943.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria geral da administração: da escola científica à competitividade na economia globalizada. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

MOTTA, P. R. Todo mundo se julga vitorioso, inclusive você: a motivação e o dirigente. Rev. Adm. Pública, v.20, n.1, jan./mar. 1986, p.117-129.

MULLINS, L. J. Gestão da hospitalidade e comportamento organizacional. 4.ed. Rio Grande do Sul: Artmed, 2001.

OLIVEIRA, V. C. S. Modelos de Administração Pública. In: SANABIO, M. T.; SANTOS, G. J.; DAVID M. V. Administração pública contemporânea: política, democracia e gestão. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2013.

PEREZ-RAMOS, J. Motivação no trabalho: abordagens teóricas. Psicologia-USP, São Paulo, v.1, n.2, 1990, p.127-140.

PILATTI, L. A. Qualidade de vida no trabalho e a teoria dos dois fatores de Herzberg: possibilidades-limites das organizações. In: VILARTA, R. ET AL. (Orgs.). Qualidade de vida e novas tecnologias. Campinas: Ipes, 2007, cap. 6, p.51-62.

RIBEIRO, A. R. B.; SILVA, D. E. P.; MEDEIROS, D. D. A influência da ergonomia organizacional na motivação dos funcionários da área de saúde. In: XXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 10, 2005, Rio Grande do Sul. Anais... Rio Grande do Sul: Abrepo, 2005, p. 2408-2415.

TOLFO, S. R.; PICCININI, V. Sentidos e significados do trabalho: explorando conceitos, variáveis e estudos empíricos brasileiros. Psicologia & Sociedade, Santa Catarina, v.19, n.1, 2007, p.38-46.

VIEIRA, C. B. ET AL. Motivação na administração pública: considerações teóricas sobre a aplicabilidade dos pressupostos das teorias motivacionais na esfera pública. Revista ADMpg Gestão Estratégica, v.4, n.1, 2011.

VIGANO, A. V. Relação entre estilo gerencial e grau de satisfação do grupo de trabalho. 2005. 130f. Graduação (Administração) – Universidade Federal de Santa Catarina, SC.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n11-434

Refbacks

  • There are currently no refbacks.