Queijos artesanais do Paraná: caracterização de sua composição centesimal / Artisan cheese from Paraná: characterization of its proximate composition

Ana Carolina Britto Castilho, Ana Paula Stafussa, Letícia Misturini Rodrigues, Jessica B. Ressutte, Magali Soares dos Santos Pozza, Grasiele Scaramal Madrona

Abstract


Este trabalho teve como objetivo analisar a composição centesimal de queijos finalistas do concurso de queijos artesanais do Paraná. Para tanto avaliou-se a composição centesimal de todos os queijos finalistas do concurso paranaense de queijos artesanais promovido pela EMATER – Instituto Paranaense de assistência técnica e extensão rural. Foram realizadas análises de teor de umidade, cinzas, proteínas, lipídios, pH e cor instrumental. Na composição físico-química observa-se que não existe interação entre as amostras do concurso sendo assim existe necessidade de padronização das técnicas empregadas na produção do queijo colonial no estado do Paraná.

 

 


Keywords


Queijo Colonial, queijo artesanal, características físico químicas.

References


BRASIL. (1996). Diário Oficial da União e D.O.U. Portaria nº 146 de 7 de março de 1996. Aprova os regulamentos técnicos de identidade e qualidade dos produtos lácteos. Brasília. 11 de março de 1996.

BRASIL 2017 – IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estastistica , Censo agropecuário 2018. Disponível https://sidra.ibge.gov.br/Tabela/6618#resultado Acesso em 01 de outubro de 2018

CARVALHO, Michelle de Medeiros. A agroindústria familiar rural e a produção de queijos artesanais no município de Seara, Estado de Santa Catarina - um estudo de caso. 2015. 53 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural Sustentável) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2015. Disponível em:http://tede.unioeste.br/handle/tede/1519 22 maio 2018

COSTA, Rita Mendes. Validação de métodos na análise química de laticínios. 2017. 124 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Tecnologia e Ciência Alimentar, Universidade do Minho, Porto, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2018.

EMATER, Instituto Paranaense de Assistência técnica e Extensão Rural, http://www.emater.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=317

FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. OCDE-FAO Perspectivas Agrícolas 2015-2024. Disponível emhttps://www.fao.org.br Acesso em 26 set. 2018)

GOMES, Fernanda Duarte et al. AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA EM QUEIJO PARMESÃO COMERCIALIZADO EM PARANAVAÍ – PARANÁ. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, [S.l.], v. 70, n. 4, p. 185-191, dez. 2015. ISSN 2238-6416. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2018. doi:https://doi.org/10.14295/2238-6416.v70i4.410.

LIMA, Bruna Barbosa de; LEAL, Michele Carneiro. PARÂMETROS INDICADORES DE QUALIDADE DE QUEIJOS ARTESANAIS COMERCIALIZADOS EM CASTRO-PR. 2017. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Tecnólogo em Alimentos, Tecnologia de Alimentos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2017.

NORONHA. João F. Segurança alimentar – Queijos Tradicionais. Disponível em: http://www.esac.pt/noronha/manuais/seguranca_alimentar_queijos.pdf. Acesso em: 09/10/2018

OLIVEIRA, Aline Marangon et al. CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DA PRODUÇÃO DE QUEIJOS TIPO MUSSARELA E MINAS FRESCAL COMERCIALIZADOS NO NORTE DO PARANÁ. Rev. Inst. Laticínios Cândido Tostes, Juiz de Fora, v. 72, n. 1, p.40-47, mar. 2017. Trimestral. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2018.

OLIVEIRA, Alysson Christian de. Selo Arte: O Divisor de águas. 2018. Disponível em: . Acesso em: 29 jan. 2019.

PAULA, Junio César Jacinto de et al. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE FABRICAÇÃO DE QUEIJO: DO HISTÓRICO À SALGA. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, Juiz de Fora, v. 367/368, n. 64, p.293-300, 2009. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2018.

PERRY, Katia S. P.. QUEIJOS: ASPECTOS QUÍMICOS, BIOQUÍMICOS E MICROBIOLÓGICOS. Quimica Nova, São Paulo, v. 2, n. 27, p.293-300, abr. 2004. Bimestral. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2018.

RONCATTI, Roberta. DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DO QUEIJO SANTO GIORNO, TÍPICO DO SUDOESTE DO PARANÁ, PRODUZIDO COM LEITE CRU E FERMENTO ENDÓGENO. 2016. 95 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Tecnologia de Processos QuÍmicos e BioquÍmicos, Universidade TecnolÓgica Federal do ParanÁ, Pato Branco - Pr, 2016. Disponível em: . Acessoem: 5 out. 2018.

SILVEIRA JÚNIOR, José F. et al. Physical and chemical characterization of colonial cheese produced in different seasons of the year. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, [s.l.], v. 67, n. 386, p.67-80, 2012. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/2238-6416.20120038.

SOBRAL, Denise et al. PRINCIPAIS DEFEITOS EM QUEIJO MINAS ARTESANAL: UMA REVISÃO. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, [s.l.], v. 72, n. 2, p.108-120, 1 jun. 2017. Lepidus Tecnologia. http://dx.doi.org/10.14295/2238-6416.v72i2.600.

Youssef, A. M., El-Sayed, S. M., El-Sayed, H. S., Salama, H. H., & Dufresne, A. (2016). Enhancement of Egyptian soft white cheese shelf life using a novel chitosan/carboxymethyl cellulose/zinc oxide bionanocomposite film. Carbohydrate Polymers, 151, 9–19. https://doi.org/10.1016/j.carbpol.2016.05.02




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-306

Refbacks

  • There are currently no refbacks.