Levantamento taxonômico de algas marinhas bentônicas da Ilha Porchat, São Vicente, SP / Taxonomic survey of benthic seaweed from Porchat Island, São Vicente, SP

Micheli Cristina Oliveira da Costa, Sidney Fernandes

Abstract


O estudo visa um levantamento taxonômico das algas marinhas bentônicas da Ilha Porchat, São Vicente, SP, com 110 m de altitude, coordenadas geográficas 23º58’47,21”S e 46º22’12,88”W. Foram realizadas 6 amostragens aleatórias, raspando-se o substrato com uma espátula para retirada das algas marinhas bentônicas nas regiões, supra, meso e infra litoral. A fixação e preservação dos materiais foram providenciadas imediatamente após a coleta, ainda no campo, com solução aquosa de formalina a 3-5%, em frascos de vidro ou plástico. As identificações taxonômicas foram fundamentadas na análise do maior número possível de indivíduos, a partir da análise de populações. Indivíduos isolados só foram identificados quando apresentaram suas características diagnósticas inequívocas. Foram identificados os seguintes táxons: Amphiroa dimorpha, A. rigida, Bostrychia montagnei, Bostrychia radicans, Centroceras clavulatum, Ceramium brevizonatum, C. tenerrimum, Chaetomorpha aerea, C. antennina, Chondracantus teedii, Chondria sedifolia, Chondrus crispus, Cladophora glomerata, C. prolifera, C. vagabunda, Codium intertextum, C. taylorii, Corallina officinalis, Crouania attenuata, Dyctiota menstrualis, Gelidium americanum, G. floridanum, G. pusillum var. pusillum, Gracilaria dominguensis, Gymnogongrus crenulatus, G. griffithsiae, Hypnea musciformis, H. spinella, Jania adhaerens, Lyngbia martensiana, Padina gymnospora, Polysiphonia paniculata, P. senticulosa, Pterosiphonia pennata, Pyropia acanthophora, Rhodymenia intricata, Sargassum cymosum, S. filipendula, Udotea dixonii, U. flabellum, Ulva clathrata, U. fasciata, U. flexuosa var. flexuosa, U. intestinalis, U. lactuca, U. linza e U. rigida. A presença de algas pardas indica a melhora ambiental da região.

 

 


Keywords


algas marinhas, Ilha Porchat, taxonomia.

References


Avanzo Neto, J.; Fujii, M.T. 2016. Guia ilustrado de identificação e utilização de algas marinhas bentônicas do Estado de São Paulo. São Carlos: RiMa Editora. 184 p.

Blackmann, F.F.; Tansley, A.G. 1902. A revision of the classification of the green algae. New Phytologist 1: 1-64.

Coto, A.C.S.P. 2007. Biodiversidade de clorófitas marinhas bentônicas do litoral do Estado de São Paulo. Dissertação de Mestrado. Instituto de Botânica: São Paulo. 166 p.

Dawson, E.Y. 1941. A review of the genus Rhodymenia with descriptions of new species. Allan Hancock Pacific Expeditions 3: 123-181.

Joly, A.B. 1957. Contribuição ao conhecimento da flora ficológica da Baía de Santos e arredores. Boletim da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, 14: 1-257.

Oliveira Fo, E.C.; Berchez, F.A.S. 1978. Algas marinhas bentônicas da baía de Santos – alterações da flora no período de 1957-1978. Boletim de Botânica da Universidade de São Paulo, 6: 49-59.

Picelli-Vicentim, M.M. 1986. Catálogo das Chlorophyta de águas continentais e marinhas do Estado do Paraná, Brasil. Estudos de Biologia 14: 1-28.

Sabino, C.M.; Villaça, R. 1998. Estudo comparativo de métodos de amostragem de comunidades de costão. Revista Brasileira de Biologia 59(3): 407-419.

Sutherland, J.E. et al. 2011. A new look at ancient order: generic revision of the

Bangiales (Rhodophyta). Journal of Phycology, 47: 1131-1151.

Tommasi, L.R. 1967. Observações preliminares sobre a fauna bêntica de sedimentos moles da baía de Santos e regiões vizinhas. Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo 16(1): 43-65.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-340

Refbacks

  • There are currently no refbacks.