A experiência criativa e estética na formação em terapia ocupacional: cartografando a experiência de um projeto de extensão na universidade de Brasília / The creative and aesthetic experience in occupational therapy training: cartographying the experience of an extension project at the university of brasília

Isabella Sousa Tavares, Grasielle Silveira Tavares

Abstract


A experiência criativa e estética abrange em seu conceito a possibilidade de viver e dar significado aos acontecimentos a partir de variáveis que atravessam os sujeitos, oportuniza a compreensão de aspectos intrínsecos e extrínsecos dos mesmos, e permite a produção de saberes verdadeiros. As exigências do mundo contemporâneo interferem diretamente nos processos que perpassam a experiência, a criatividade, a estética e, consequentemente, afetam a expressão da Terapia Ocupacional, que atua com o fazer humano. Buscando o entendimento sobre a formação em Terapia Ocupacional, na Universidade de Brasília – Faculdade de Ceilândia, este trabalho deu-se a acompanhar o processo formativo por meio da experiência criativa e estética proporcionada pelo laboratório do projeto TOCAR. Trata-se de uma pesquisa-intervenção sob a ótica do método cartográfico que possibilitou, a partir dos dados produzidos, juntamente ao arcabouço teórico reunido, investigar os fatores que cruzam a trajetória da formação em Terapia Ocupacional – tendo como foco a experiência criativa e estética – e viabilizam o olhar clínico-criativo na prática profissional. Os dados coletados são organizados nas sessões: 1) Campo a ser estudado: criação e reinvenção cotidiana; 2) A experiência criativa e estética na formação; 3) Território, cultura e possibilidades. Os resultados apontam questões similares que se esbarram nas singularidades dos sujeitos, nas possibilidades da conjuntura, dos espaços frequentados pela terapia ocupacional e na necessidade de investimentos nas temáticas durante a graduação.


Keywords


terapia ocupacional, estética, criatividade, arte, ensino superior.

References


AMARAL, Ana Luiza Snoeck Neiva do. A constituição da aprendizagem criativa no processo de desenvolvimento da subjetividade. Tese de pós-graduação. Universidade de Brasília - UnB, 2011.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. (2009). Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓCIA, Liliana (Orgs.), Pistas do método da cartografia: pesquisa- intervenção e produção de subjetividade (p. 52-75). Porto Alegre: Sulina.

BIANCHI, Pamela Cristina; MALFITANO, Ana Paula Serrata. Formação graduada em Terapia Ocupacional na América Latina: mapeando quem somos e onde estamos. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 28, n. 2, p. 135-146, 2017.

BIANCHI, Pamela Cristina. Terapia ocupacional, território e comunidade: desvelando teorias e práticas a partir de um diálogo latino-americano. 2019. Tese de Pós-Graduação. Universidade Federal de São Carlos.

BRITTO, Cristiane Miryam Drumond de; JOAQUIM, Regina Helena Vitale Torkomian. Atividades humanas: práticas sociais diferenciadas. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, v. 21, n. 3, 2013.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista brasileira de educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

CASSIANO, Marcella; FURLAN, Reinaldo. O processo de subjetivação segundo a esquizoanálise. Psicologia & Sociedade, v. 25, n. 2, p. 373-378, 2013.

CREFITO, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 9ª região. 100 anos da Terapia Ocupacional no mundo. Disponível em: https://crefito9.org.br/imprime.php?cid=1163&sid=320. Acesso em: 22 de abril de 2020.

DUARTE JUNIOR, João-Francisco. Fundamentos estéticos da educação. Papirus Editora, 1994.

FERIGATO, Sabrina Helena. O agir criativo em Terapia Ocupacional: uma reflexão filosófica a partir dos paradoxos da contemporaneidade. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, v. 15, n. 2, 2007.

FIGUEIREDO, Mirela de Oliveira et al. Terapia ocupacional: uma profissão relacionada ao feminino. História Ciências Saúde - Manguinhos, p. 115-126, 2018.

FRANCISCO, Berenice Rosa. Terapia ocupacional. Papirus, 2001.

GALHEIGO, Sandra Maria. O cotidiano na terapia ocupacional: cultura, subjetividade e contexto histórico-social. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 14, n. 3, p. 104-109, 2003.

HARVEY, David; SOBRAL, Adail Ubirajara. Condição pós-moderna. Edições Loyola, 1992.

HERMANN, Nadja. Ética e estética: a relação quase esquecida. Edipucrs, 2005.

LIBERMAN, Flávia. Delicadas coreografias: instantâneos de uma terapia ocupacional. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP, 2007.

LIBERMAN, Flávia. O corpo como pulso. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 14, n. 33, p. 449-460, 2010.

LIBERMAN, Flávia; SAMEA, Marisa; ROSA, Soraya Diniz. Laboratório de Atividades Expressivas na formação do Terapeuta Ocupacional/ Laboratories: Expressive Activities on the Development of the Occupational Therapist. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, v. 19, n. 1, 2011.

LIMA, Elizabeth Maria Freire de Araújo; OKUMA, Danielle Guimarães; PASTORE, Marina Di Napoli. Atividade, ação, fazer e ocupação: a discussão dos termos na Terapia Ocupacional brasileira. Cadernos de Terapia Ocupacional UFSCar (Impresso), 2013.

LIMA, Elizabeth Maria Freire Araújo; INFORSATO, Erika Alvarez. LIMA, Leonardo José Costa de; CASTRO, Eliane Dias de. Ação e criação na interface das artes e da saúde. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 20, n. 3, p. 143-148, 2009.

LUKÁCS, György; SACRISTÁN, Manuel. Estética 1: la peculiaridad de lo estético. Grijalbo, 1982.

MARX, Karl. Manuscritos Econômicos Filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MECCA, Renata Caruso. Experiência estética na terapia ocupacional em saúde mental: gestos na matéria sensível e alojamento no mundo humano. 2008. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1989.

QUARENTEI, Mariângela Scaglione. Do ocupar à criação de territórios existenciais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE TERAPIA OCUPACIONAL. 2007.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. Editora: Ática, 1993.

SÁ, Simone Pereira de. Will Straw: cenas musicais, sensibilidades, afetos e a cidade. In GOMES, Itania M; JANOTTI, Jeder Jr. (orgs). Comunicação e estudos culturais. Salvador: EDUFBA, 2011.

SANTOS, Milton. Da cultura à indústria cultural. Folha de São Paulo, Caderno Mais, 2000.

SHIMOGUIRI, Ana Flávia Dias Tanaka; COSTA-ROSA, Abílio da. Contribuições do Materialismo Histórico para a Terapia Ocupacional: Uma análise dialética do fazer e da genericidade humana. Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional: REVISBRATO, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 704-720, 2017.

SILVA, Carla Regina (organizadora). ATIVIDADES HUMANAS E TERAPIA OCUPACIONAL: Saber-fazer, cultura, política e outras resistências. 1. ed. São Paulo - São Carlos: Hucitec, 2019.

SOARES, Léa Beatriz Teixeira. Terapia ocupacional: lógica do capital ou do trabalho?: retrospectiva histórica da profissão no Estado brasileiro de 1950 a 1980. Editora Hucitec, 1991.

SOUZA, Severino; FRANCISCO, Ana. O método da cartografia em pesquisa qualitativa: estabelecendo princípios... desenhando caminhos.. Investigação Qualitativa em Saúde. CIAIQ2016, v. 2, 2016.

TEDESCO, Silvia Helena; SADE, Christian; CALIMAN, Luciana Vieira. A entrevista na pesquisa cartográfica: a experiência do dizer. Fractal: Revista de Psicologia, v. 25, n. 2, p. 299-322, 2013.

VARELA, Francisco J.; THOMPSON, Evan; ROSCH, Eleanor. A mente incorporada: ciências cognitivas e experiência humana. Porto Alegre: Artmed, 2003.

WECHSLER, Solange Muglia. Avaliação multidimensional da criatividade: uma realidade necessária. Psicologia escolar e educacional, v. 2, n. 2, p. 89-99, 1998.

WECHSLER, Solange Muglia. Criatividade: descobrindo e encorajando. Campinas: Editora Psy, 1993.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-027