Gestão socioambiental e os catadores: análise do potencial socioeconômico da cadeia produtiva da reciclagem em Nova Era/MG / Socio-environmental Management and the Collectors: analysis of the socio-economic potential of the recycling productive chain in Nova Era/MG

Jean Carlos Machado Alves, João Pedro de Almeida Oliveira

Abstract


A discussão sobre os impactos socioambientais a partir do consumo inconsciente tem se destacado, principalmente devido à geração de resíduos sólidos, esses que impactam negativamente ao meio ambiente quando sua destinação é realizada de forma irregular. Mas, também há pessoas que sobrevivem do recolhimento, triagem e comercialização dos resíduos sólidos como os catadores de materiais recicláveis, esses que muitas vezes tem se organizado em organizações baseada na filosofia da Economia Solidária superando vários desafios para sustentabilidade das suas atividades. O presente artigo teve como objetivo analisar o potencial socioeconômico da cadeia produtiva da reciclagem do município de Nova Era, em Minas Gerais, tendo como base as experiências da ACNE, uma associação de catadores de materiais recicláveis composta por 16 associados. As atividades do trabalho basearam-se na pesquisa exploratória de abordagem quali-quantitativa, pesquisa de campo, videoconferências, análise de documentos, dentre outros. Dentre os resultados destaca-se a presença predominante de raça negra e parda, mulheres, idades acima dos 40 anos, conflitos internos e externos, parcerias, potencialidades e limitantes para o desenvolvimento da gestão socioambiental. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que a associação apresenta potencialidades econômicas e sociais que devem ser melhor exploradas, principalmente no que tange as relações existentes junto ao poder público de forma a promover práticas de gestão socioambiental mais eficientes, além da promoção e consolidação do desenvolvimento sustentável local.


Keywords


catadores de materiais recicláveis, gestão socioambiental, economia solidária, associativismo.

References


Almeida, L.A, & Gomes, R.C (2018). Atores, Recursos e Interesses na Formulação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. In.: Administração Pública e Gestão Social, 10(3), jul.-set., 161-169. http://dx.doi.org/10.21118/apgs.v10i3.1558.

Almeida, R., Scatena, L. M., & Luz, M. S. da (2017). Percepção ambiental e políticas públicas - dicotomia e desafios no desenvolvimento da cultura de sustentabilidade. Ambiente & Sociedade, 20(1), 43-64. https://doi.org/10.1590/1809-4422ASOC20150004R1V2012017 .

Alves, J. C. M. (2018). Análise da sustentabilidade social de redes solidárias de catadores de materiais recicláveis: um estudo de caso da Rede Catavales (Tese de doutorado). Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Gestão Sustentáveis, Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Alves, J. C. M, & Veloso, L. H. M. (2018). A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a “Catação” de Lixo: Uma Relação Sinérgica? O Social em Questão. 21(40).

Alves, J. C. M., Veloso, L. H. M., Andrade, E. P. de, & Silva, A. M. da (2020). Economia Solidária e a dimensão cognitiva da experiência dos catadores. Interações, 21(1), 125-140. http://dx.doi.org/10.20435/inter.v21i1.2199 .

Balem, T. A. (2016). Associativismo e Cooperativismo (Universidade Federal de Santa Maria – UFMS). Santa Maria: Rede e-Tec Brasil.

Barros, E. L. de (2018). Análise socioeconômica nos empreendimentos econômicos solidários de catadores de materiais recicláveis de Alagoas no ano de 2017 (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada, Universidade Federal de Alagoas, Maceió.

Brasil. (2021). Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Recuperado em 30 de junho de 2021 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406compilada.htm .

Brasil. (2021). Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Dispõe sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Recuperado em 30 de junho de 2021 de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm .

Giacometti, K. de, & Dominschek, D. L. (2018). Ações antrópicas e impactos ambientais: industrialização e globalização. Caderno Intersaberes, 7(10), 142-156.

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa (6nd ed.). São Paulo: Atlas.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2011). Censo Demográfico 2010: resultados preliminares do universo – conceitos e definições – tabelas adicionais. Rio de Janeiro: Autor.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Nova Era. Recuperado em 06 de outubro de 2020 de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/nova-era/panorama .

Leandro, L. A., Gomes, C. M., Castro, K. N. V. de, & Castro, E. M. N. V. de (2015). O futuro da gestão socioambiental: uma análise crítica sobre a crise ambiental brasileira. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 4(2), 144-162. https://doi.org/10.5585/geas.v4i2.322 .

Lüchmann, L. H. H., Almeida, C., & Taborda, L. R. (2018). Associativismo no Brasil Contemporâneo: dimensões institucionais e individuais. Política & Sociedade, 17(40), 307-341. https://doi.org/10.5007/2175-7984.2018v17n40p307 .

Lüchmann, L. H. H., Schaefer, M. I., & Nicoletti, A. S. (2017). Associativismo e repertórios de ação político-institucional. Opinião Pública, 23(2), 361-396. https://doi.org/10.1590/1807-01912017232361 .

Lüchmann, L. H. H. (2014). Abordagens teóricas sobre o associativismo e seus efeitos democráticos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 29(85), 159- 178. https://doi.org/10.1590/S0102-69092014000200011 .

Madeiros, H., Grigio, A., & Pessoa, Z. (2018). Desigualdades e justiça ambiental: um desafio na construção de uma cidade resiliente. Revista de Geografia e Ordenamento do Território (GOT), (13), 247-265.

Magalhães, G. H. de, Alves, J. C. M., & Veloso, L. H. M. (2016). Catavales e Atlimarjom: Uma análise das potencialidades do desenvolvimento sustentável local e regional a partir da experiência de uma associação de catadores de materiais recicláveis. Revista Espacios, 37(32).

Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. (2021). Sobre o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. Recuperado em 20 de junho de 2021 de http://www.mncr.org.br/sobre-o-mncr .

Moura, A. M. M de. (2016). Trajetória da política ambiental federal no Brasil. In Moura, Adriana M. M. (Org.). Governança ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas (Cap. 1, pp.13-44). 1nd ed. Brasília: Ipea.

Oliveira, E. D. (2019). Responsabilidade social empresarial, empreendedorismo social e economia solidária: similitudes, ambivalências e possíveis conexões. Revista Observatório, 5(5), 697-750. https://doi.org/10.20873/uft.2447- 4266.2019v5n5p697 .

Ottoni, M. S. O., Zouein, J. K., Chaves, B. B., Rebôla, R. F., Carvalho, B. R. de, & Addor, F. A. (2018). Organização dos Catadores de Materiais Recicláveis: uma Abordagem Comparativa entre o Individual e o Coletivo. Anais do Encontro Nacional de Engenharia e Desenvolvimento Social, Alagoinhas, BA, Brasil, 15.

Paiva, F. C. S., & Giesta, L. C. (2019). Gestão socioambiental em micro e pequenas indústrias de Pau dos Ferros-RN. Gestão & Produção, 26(2). http://dx.doi.org/10.1590/0104-530x2984-19.

Pantoja, F.P, & Pereira, J.A.R. (2018). Transferências Voluntárias da União para os Municípios Brasileiros: Uma Análise da Execução dos Recursos nas Políticas do Setor de Resíduos Sólidos. In.: Administração Pública e Gestão Social, 9(2), abr.-jun., 111-122. http://dx.doi.org/10.21118/apgs.v10i2.1503

Rodrigues, S, Pedroza, M., & Almeida, L. A. (2020). Cadeia produtiva de materiais PET - Polietileno Tereftalato na cidade de Palmas, Tocantins. Revista Humanidades e Inovação, 7(14), 168-182.

Salheb, G. J. M., Neto, H. A. P. P., Oliveira, I. M. de, Júnior, M. F. A., Boettger, R. J. C. S., Monteiro, V. C. S., & Superti, E. (2009). Políticas públicas e meio ambiente: reflexões preliminares. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas, (1), 5-27.

Schneider, E. M., Fujii, R. A. X., & Corazza, M. J. (2017). Pesquisas quali-quantitativas: contribuições para a pesquisa em ensino de ciências. Revista Pesquisa Qualitativa, 5(9), 569-584.

Sousa, R. R., Pereira, R. D., & Calbino, D. (2019). Memórias do lixo: luta e resistência nas trajetórias de catadores de materiais recicláveis da Asmare. Revista Eletrônica de Administração, 25(3), 233-246. http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.250.92258

Teixeira, K. M. D. (2015). Trabalho e perspectivas na percepção de catadores de materiais recicláveis. Psicologia & Sociedade, 27(1), 98-105.

Teixeira, J.C.M, & Araújo, M.A.D (2020). Implementação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos no Município de Natal (Rn): O Papel dos Atores. In.: Administração Pública e Gestão Social, 12(4).

Vargas, I. C. de (2019). Efeitos do cruzamento de gênero, raça e classe na vida de trabalhadoras de um empreendimento de reciclagem: uma leitura através da interseccionalidade (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos, São Leopoldo.

Vasconcelos, J. P. R., Guimarães, S. M. F., & Zaneti, I. C. B. B. (2018). Condições de vida de catadores de resíduos sólidos recicláveis: revisão integrativa da literatura. Sustentabilidade em Debate, 9(1), 187-197. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v9n1.2018.25439.

Veronese, M.V., Gaiger, L. I., & Ferrarini. (2017). Sobre a diversidade de formatos e atores sociais no campo da economia solidária. Caderno CRH, 30(79), 89-104. https://doi.org/10.1590/s0103-49792017000100006 .




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-073