Ensino remoto de ciências e desempenho acadêmico / Remote science education and academic performance

Anderson Oliveira da Silva, Felipe da Silva Souza, Geisson Rodriques de Miranda, Igor Marinho Feitosa, Jucimara Felix dos Santos de Souza, Jeruzalem Martins de Sá, Max Manoel Lima de Souza, Vilmar Costa Silva

Abstract


A pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) afetou o estilo de vida das pessoas em todo o mundo. Em particular, na Educação, as instituições de ensino sofreram fortes mudanças ao substituírem as aulas presenciais pelo ensino remoto. Objetivando-se determinar o impacto da pandemia no desempenho acadêmico de estudantes na disciplina Ciências, realizou-se um estudo quantitativo, analítico e do tipo caso-controle. A amostra, selecionada de forma aleatória, foi composta por notas da disciplina Ciências obtidas nos diários de classe da Unidade Integrada Municipal Hélio de Sousa Queiroz, localizada na cidade de Caxias - MA. O grupo controle consistiu nas notas obtidas pré-pandemia (2019) e o grupo de casos nas notas obtidas pós-pandemia (2020). A tabulação dos dados foi feita no software Excel; os gráficos foram elaborados no software R versão 3.6.3 e as análises foram realizadas de forma analítica, utilizando- se o nível de significância α = 0, 05. Para a comparação do desempenho médio nos grupos casos e controle utilizou-se o teste t assumindo-se as variâncias populacionais desconhecidas e diferentes. Evidenciou-se a superioridade no desempenho médio na população formada por alunos expostos à modalidade de ensino remoto, quando comparada à população de alunos expostos ao ensino presencial.


Keywords


ensino de cências, desempenho acadêmico, ensino remoto, pandemia.

References


ALVES, E. J. et al. Impactos da pandemia covid 19 na vida acadêmica dos estudantes do ensino a distância na universidade federal do tocantins. Revista Pan Amazônica de Comunicação, Tocantins, v. 4, n. 2, p. 19-37, 2020.

BASSEDAS, E.; HUGUET, T.; SOLÉ, I. Aprender e ensinar na educação infantil. Trad. Cristina Maria de Oliveira. Porto Alegre: Artmed, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002. p. 14-21.

BUSSAB. W. O.; MORETTIN, P. A. Estatística Básica. 9 ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

CAMPOS, L.; DINIZ, R. A prática como fonte de aprendizagem e o saber da experiência: O que dizem professores de ciências e de biologia.Investigações em Ensino de Ciências, Rio Grande do Sul, v. 6, n. 1, p. 79-96, 2001.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de Ciências. Tradução de Sandra Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2006.

FAHL, D. D. Modelos de Educação Escolar em Ciências. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

FAUCI, A. S., LANE, H. C., REDFIELD, R. R. COVID-19: navigating the uncharted. N. Engl. J. Med., v. 382, n. 13, p. 1268-1269. https://doi.org/10.1056/NEJMe2002387

FERNANDES, R. C. A.; MEGID NETO, J. Modelos educacionais em 30 pesquisas sobre práticas pedagógicas no ensino de ciências nos anos iniciais da escolarização.

Investigações em Ensino de Ciências. v. 17, n. 3, p. 641-662, 2012. FRACALANZA, H. et al. O Ensino de Ciências no 1ºgrau. São Paulo: Atual. 1986.

KRASILCHIK, M. Reformas e realidade: O caso do ensino de Ciências. São Paulo em perspectiva. São Paulo. v. 14, n. 1, p. 85-93, jan./mar. 2000.

KRASILCHIK, M. Práticas de Ensino de Biologia. 4ª ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

LONGO, V. C. C. Vamos jogar?: Jogos como recursos didáticos no Ensino de Ciências e Biologia. Prêmio Professor Rubens Murilo Marques 2012: incentivo a quem ensina a ensinar/Fundação Carlos Chagas. São Paulo, FCC/SEP. 2012.

MAGALHÃES, M. N.; LIMA, A. C. P. Noções de Probabilidade e Estatística. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2015.

MARTINS, G. A.; DOMINGUES, O. Estatística Geral e Aplicada. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 454, de 20 de março de 2020: declara, em todo o território nacional, o estado de transmissão comunitária do coronavírus (COVID-19). Diário Oficial da União, 2020. Disponível em:

http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-454-de-20-de-marco-de-2020-249091587 Acesso em: 04 jan 2021.

MOORE, D. S.; NOTZ, W. I.; FLINGER, M. A. A Estatística Básica e Sua Prática. 7. ed. Tradução de Ana Maria Lima de Farias. Rio de Janeiro: LTC, 2017.

NUNES-MOURA, H. F. Jogo didático sobre conceitos bioquímicos: Produção, Aplicação e Avaliação. 2011. Monografia (Trabalho de conclusão de curso) – Universidade Federal do Piauí, Teresina.

ROSA, S. S. Construtivismo e mudança, São Paulo: Cortez. 2000.

SANTOS, J. O. Estrutura e utilização do laboratório de ciências em escolas públicas de ensino médio de Teresina-PI. 2012. 21 f. Monografia (Trabalho de conclusão de curso) – Universidade Federal do Piauí, Teresina.

SILVA, F. S. S.; MORAIS, L. J. O; CUNHA, I. P. R. Dificuldades dos professores em ministrar aulas práticas em escolas públicas e privadas no município de Imperatriz (MA). Revista Científica da Unisulma, Imperatriz, ano 1, n.1, p. 135-149, jan./jul. 2011.

THOMPSON, S. K. Sampling. New York: John Wiley, 1992.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Oxygen sources and distribution for COVID-19 treatment cen-tres: interim guidance, 4 April 2020. Geneva: World Health Organization, 2020.

ZHU, N., ZHANG, D., WANG, W. et al. A novel coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. N. Engl. J. Med., v. 382, n. 8, p. 727-733, 2020. Disponível em:

https://doi.org/10.1056/NEJMoa2001017. Acesso em: 12 jan 2021




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-086