Orientações de metodologia de pesquisa digital para o estudante de medicina obter adequado estudo de diretrizes nacionais de medicina / Digital research methodology guidance for medical students in obtaining adequate study within the national medicine guidelines

Fernando Coutinho Felício, Bárbara Modesto, Cristiano Hayoshi Choji, Bruna Marina Ferrari dos Santos, Rodrigo Santos Terrin, Geane Andressa Alves Santos, Ana Carolina Munuera Pereira, Mayara Yuki de Novais Hirakawa, Ana Luiza Oliveira, Mirella Cristina Coetti da Costa, Thainá Gomes Vidal, Rosana Moraes Rubens Bertolini, Fernando Antônio Mourão Valejo, Rodrigo Sala Ferro, Priscila Buosi Rodrigues Rigolin, Raphael Adilson Bernardes

Abstract


É fato que a sociedade sofre modificações ao longo dos anos, logo, no âmbito da medicina não seria diferente, e para acompanhar esse processo é fundamental a utilização de uma metodologia eficaz que transmita o conhecimento desejado. Neste contexto, estão inseridos diferentes mecanismos de busca e pesquisa que tem por finalidade gerar esse conhecimento de forma completa e confiável, minimizando possíveis erros. Desta maneira, este estudo visou desenvolver um raciocínio crítico a partir dos resultados encontrados nos mecanismos de busca como Google, Google Acadêmico, Scielo e Diretrizes Médicas, estabelecendo uma análise de como pesquisas simples sem os adequados processos de busca acabam por se tornar inviáveis para o estudante e profissional da área médica. Além disso, com os novos modelos pedagógicos na medicina, a busca pelo desenvolvimento da autonomia na educação deve ser pautada na estratégia da ação-reflexão-ação, logo, este estudo procurou também ressaltar os impactos que um corpo docente preparado acarreta na vida acadêmica do estudante de medicina, levando à uma formação médica eficaz e baseada em evidência. Como resultado, verificou-se que a pesquisa por artigos acadêmicos no banco de dados Scielo e a busca por Diretrizes Médicas são fontes de alta confiabilidade e transparência, necessárias para o adequado raciocínio clínico e prática médica

Keywords


base de dados, diretriz de medicina, medicina.

References


ARAGÃO, J. C. S.; ROSSI, H. R.; CASIRAGHI, B. A jornada do acadêmico de medicina – um modelo simbólico da formação médica. Revista Brasileira de Educação Médica v. 42, n. 1, p. 38-44, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior: resolução nº3. Seção 1, p.1-14, 2014.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM – BRASIL). Código de Ética Médica. Resolução n° 2.217. 211. ed. Brasília: Tabloide, 2018. Seção 1, p. 179.

CARAPEBA, G.O.L. et al. Manual de indicações de UTI: conceitos e definições da medicina intensiva adulta e pediátrica. 1. ed. Presidente Prudente, SP: Medicina UNOESTE, 2019. v. 1, p. 1-91.

CHIARELLA, T. et al. A Pedagogia de Paulo Freire e o Processo Ensino Aprendizagem na Educação Médica. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 39, n. 3, p. 418-25, 2015.

FAGUNDES, P. B. et al. A produção científica sobre qualidade de dados em Big Data: um estudo na base de dados Web of Science. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação. v. 16, n. 1, p. 194-210, 2018.

FARIA, L.; LIMA, J. A. O.; FILHO, N. A. Medicina baseada em evidências: breve aporte histórico sobre marcos conceituais e objetivos práticos do cuidado. História, Ciências, Saúde-Manguinhos. v. 28, n. 1, p. 59-78, 2021.

GOMES, D.M. et al. Digital education in the training of health professionals. Research, Society and Development, v. 10, n. 8, p. 1-11, 2021.

JUNIOR, A.S.M.; COSTA, A.F.O.; ARRUDA, M. Educação médica e as diretrizes curriculares nacionais: realidade ou utopia – revisão sistemática literária. Brazilian Journal of Development. v. 7, n. 5, p. 50464-77, 2021.

JUNIOR, L.B. et al. Uso de tecnologias na formação interprofissional de acadêmicos de Medicina durante a pandemia de COVID-19. Research, Society and Development. v. 9, n. 11, p.1-22, 2020.

LOPES, A. A. Medicina baseada em evidências: a arte de aplicar o conhecimento científico na prática clínica. Revista da Associação Médica Brasileira. v. 46, n. 3, 285-8, 2000.

MACHADO, C.; OLIVEIRA, J.M.; MALVEZZI, E. Repercussões das diretrizes curriculares nacionais de 2014 nos projetos pedagógicos das novas

escolas médicas. Interface - comunicação, saúde, educação. v. 25, p. 1-15, 2021.

MEIRELES, M. A. C.; FERNANDES C. C. P.; SILVA, L. S. Novas diretrizes curriculares nacionais e a formação médica: expectativas dos discentes do primeiro ano do curso de medicina de uma instituição de ensino superior. Revista Brasileira de Educação Médica. v. 43, n. 2, p. 67-78, 2019.

MORAN, João Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 1. ed. Campinas, SP: Papirus, 2014. v. 1, p. 18-20.

PORTELA, M. C. Diretrizes clínicas como instrumento de melhoria da qualidade da assistência suplementar: o papel da agência nacional de saúde. Escola Nacional de Saúde Pública. v. 1, p. 31-8, 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-092