O papel do poder judiciário na concretização dos direitos fundamentais / the role of the judicial power in the implementation of fundamental rights

Roberta Kelly Silva Souza, Marcelo Lessa da Silva

Abstract


A Constituição é um documento jurídico-político formado por regras e princípios. Na atividade de concretização constitucional, a própria Constituição estabelece preceitos e diretrizes a serem seguidos pelo legislador ordinário. Entretanto, pode-se dizer que a concretização ficou adstrita ao Poder Judiciário, o qual poderá cobrar dos demais Poderes a concretização dos direitos fundamentais.  Nesse sentido, a problemática se evidencia na dificuldade da efetiva concretização dos direitos fundamentais e na discussão em torno dos limites de atuação do Poder Judiciário na tutela de tais direitos. O presente estudo terá como objetivo geral demonstrar a importância da concretização dos direitos fundamentais previstos constitucionalmente e o objetivo específico deste trabalho é discorrer acerca da atuação do Poder Judiciário na tutela dos direitos fundamentais. Por intermédio de pesquisa bibliográfica, bem como observando o critério dedutivo metodológico, o primeiro capítulo aborda acerca dos direitos fundamentais. O segundo capítulo, por sua vez, disserta sobre a concretização dos direitos fundamentais, por intermédio de quatro dimensões distintas para a sua concretização. O terceiro capítulo, trata mais especificamente a respeito da concretização dos direitos fundamentais por intermédio do Poder Judiciário. Destarte, faz-se necessário que o Poder Judiciário esteja apto a eliminar os obstáculos econômicos, sociais e culturais inerentes às diferentes classes ou estratos sociais de modo a ensejar a concretização dos direitos fundamentais, a qual constitui um mandado soberano que vincula todos os poderes constituídos.


Keywords


direitos fundamentais, concretização, poder judiciário.

References


ALEXY, Robert. Teoria dos direitos fundamentais. Tradução Virgílio Afonso da Silva. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2012. 669 p.

BARROZO, Thais Aranda; MARQUES FILHO, Vicente de Paula. O processo civil como instrumento para concretização do direito fundamental de acesso à justiça. Scientia iuris, Londrina, v. 15, n. 2, p. 89-108, dez. 2011.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes. Direito constitucional e teoria da constituição. 7. ed. Coimbra: Almedina, 2007.

______. Estudos sobre direitos fundamentais. Coimbra: Coimbra Editora, 2004.

CARVALHO, Leonardo Arquimimo de; CARVALHO, Luciana Jordão da Motta Armiliato de. Introdução aos direitos humanos. Florianópolis: Tirant Lo Blanch, 2019. 115 p.

MALHEIRO, Emerson Penha; CUNHA, Renata Silva. História, classificação e as gerações ou dimensões de direitos fundamentais. Revista dos Tribunais, Rio de Janeiro, v. 978/2017, p. 39-54, abr. 2017.

FARO, Julio Pinheiro. Administração pública, financiamento e concretização dos direitos fundamentais. Revista de direito brasileira, Rio de Janeiro, v. 3/2012, p. 191-207, dez. 2012.

MARINONI, Luiz Guilherme. Novas linhas do processo civil: o acesso à Justiça e os institutos fundamentais do direito processual. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1993. 181 p.

______. Técnica processual e tutela dos direitos. 4. ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2013. 524 p.

MATOS, Marilene Carneiro. Direitos e garantias fundamentais e aplicabilidade imediata. E-Legis, Brasília, n. 8, p. 66-81, jan./jun. 2012.

OLIVEIRA, Flávio Luís. O papel do poder judiciário na concretização dos direitos fundamentais sociais. Doutrinas essenciais de direitos humanos, Rio de Janeiro, v. 3, p. 543 – 558, ago. 2011.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais. 2 ed. Porto Alegre: Livraria do advogado, 2001.

THEODORO JÚNIOR, Humberto. Ainda a polêmica sobre a distinção entre a “jurisdição contenciosa” e a “jurisdição voluntária” espécies de um mesmo gênero ou entidades substancialmente distintas? Doutrinas essenciais de processo civil. Rio de janeiro, v. 2, p. 543-579, out. 2011.

XEREZ, Rafael Marcílio. Concretização dos direitos fundamentais: teoria, método, fato e arte. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014. 287 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-174