Avaliação de maturidade de spin-offs acadêmicas / Maturity assessment of academic spin-offs

Vilmar Alves de Souza, Márcia Mazzeo Grande, Creusa Sayuri Tahara Amaral

Abstract


Objetivo: O objetivo deste artigo é aplicar o modelo de maturidade de spin-off acadêmica proposto por Souza (2020) e avaliar como o modelo identifica o perfil de evolução dessas empresas. Metodologia: Amostra intencional de 10 empresas foi constituída, a partir de fontes como incubadoras e associações. Resultados: Avaliou-se a maturidade das empresas em relação às 7 dimensões propostas pelo modelo de Souza (2020) e identificou-se três tipos de perfis de maturidade: C1- empresas consolidadas; C2 - empresas focadas no mercado; e C3 - empresas focadas na tecnologia. Contribuições teóricas/metodológicas: O estudo mostrou a aplicabilidade e funcionalidade do modelo de Souza (2020), contribuindo para que as spin-offs acadêmicas, que passam por processos diferenciados de maturidade, sejam apoiadas no caminho da consolidação financeira e administrativa. Relevância/originalidade: As Spin-off acadêmicas têm importante papel na economia nacional, pois impulsionam a geração de inovação de produtos e serviços. O modelo de Souza (2020) apresenta 7 direcionadores que permitiram avaliar a maturidade sob aspectos importantes para a evolução e melhoria das spin-offs acadêmicas. Contribuições sociais / para a gestão: Foi possível sugerir um processo de análise da maturidade da spin-off acadêmica, para apoiar o planejamento dessas empresas.


Keywords


modelo de maturidade, spin-offs acadêmicas, empreendedorismo. Inovação

References


Chesbrough, H. & Rosenbloom, R. S. (2002). The role of the business model in capturing value from innovation: evidence from Xerox Corporation's technology spin‐off companies. Industrial and corporate change,1(3), 529-555.

Costa, L. B. da & Torkomian, A. L. V. (2008). Um estudo exploratório sobre um novo tipo de empreendimento: os spin-offs acadêmicos. Revista de Administração Contemporânea, 12(2), 395-427.

Engel, J.S. (2015). Global clusters of innovation: lessons from Silicon Valley. California Management Review, 57 (2), winter.

Etzkowitz, H & Klofsten, M. (2005). The innovation region: toward a theory of knowledge – based regional development. R&D Management, 35, MA, USA: Blackwell Publishing Ltd.

Etzkowitz, H. (2004). The evolution of the entrepreneurial university. Int J. Technological and Globalization, 64-77.

Etzkowitz, H. (1997). From zero‐sum to value‐added strategies: The emergence of knowledge‐based industrial policy in the states of the United States. Policy Studies Journal, 25(3), 412-424.

Ferreira, M. P. et al. (2008). Gestão por indicadores de desempenho: resultados na incubadora empresarial tecnológica. Production, 18(2), 302-318.

Ferreira, V. C. P. (2015). Modelos de gestão. Editora FGV.

Freitas, M. M. & Muylder, C.F. (2010). Inovação e empresas de base tecnológica: estudo bibliométrico. XIII SEMEAD – Seminários em Administração, ISSN 2177-386.

Garnica, L. A.; Ferreira-Júnior, I. & Fonseca, S. A. (2005). Relações empresa-universidade: um estudo exploratório da UNESP no município de Araraquara/SP 2005. In: XXV Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais do XXV Enegep (CD-Rom), Porto Alegre.

Gans, J. S.; Stern, S. (2003). The product market and the market for “ideas”: commercialization strategies for technology entrepreneurs. Research policy, 32(2), 333-350.

Ipiranga, A. S. R.; Freitas , A. A. F. de & Paiva, T. A. (2010). O empreendedorismo acadêmico no contexto da interação universidade – empresa – governo, CADERNOS EBAPE, 8(4), Rio de Janeiro.

Leite, E. F. (2002). O Fenômeno do Empreendedorismo Criando Riquezas. 3.ed. Recife: Bagaço, 560 p.

Muniz, R. M. & Pereira, L. B. (2005). Universidade Empreendedora: Um Conceito ex: ant no caso de uma universidade brasileira. In: V Colóquio Internacional sobre Gestión en las Universidades de América del Sur. Mar del Plata, 8-10.

Ndonzuau, F. N.; Pirnay, F. & Surlemont, B. (2002). A stage model of academic spin-off creation. Technovation, 22(5), 281-289.

Pinho, J. C. et al. (2015). Spin offs Case Study, Instituto Empresarial do Minho, 2015.

Souza, V. A. (2020). Proposta de um modelo de maturidade para spin-offs acadêmicas, Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Medicina Regenerativa e Química Medicinal, Universidade de Araraquara – Uniara, Araraquara.

Stankiewicz, R. (1994). Spin-off companies from universities. Science and public policy, 21(2), 99-107.

Tarichi, A. P. (2020). Proposta de um modelo de negócio para micro e pequenas empresas, PPGBMRQM – Uniara, Tese (Doutorado), Arar




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-188