Trabalho experimental na concretização de atividades de transversalidade curricular – avaliação de uma ação de formação contínua / Experimental work in the implementation of cross curricular activities - evaluation of a continuing education action

Fátima Regina Duarte Gouveia Fernandes Jorge, Maria de Fátima Carmona Simões da Paixão

Abstract


Este trabalho reporta um estudo desenvolvido no âmbito da formação contínua de educadores e professores com foco no desenvolvimento de uma ação de curta duração centrada na realização de uma atividade de trabalho experimental, integrando ciências naturais, matemática e arte, tomando como contexto uma obra do artista plástico Manuel Cargaleiro. Os conteúdos da atividade focaram a pavimentação do plano com figuras poligonais e fenómenos da interação da luz com a matéria, evidenciando as cores. A ação tem vindo a ser oferecida como oficina de trabalho em diversas situações. Impôs-se, pois, analisar qual o interesse que despertava nos formandos, tendo-se estabelecido como objetivo do estudo avaliar a ação de formação através das opiniões dos participantes. Adotou-se uma metodologia de índole descritiva, tendo os dados sido recolhidos através de notas de campo e de um questionário construído para o efeito, contemplando um conjunto de questões fechadas associadas a uma escala de Likert e uma questão aberta.  A análise dos dados foi orientada por duas categorias de análise: (i) perspetivas do potencial da atividade para a aprendizagem das crianças/alunos; (ii) perspetiva de ensino dos docentes. Os resultados sustentam que os participantes avaliaram positivamente a ação, nomeadamente ao nível da compreensão da natureza do trabalho experimental, do contributo da atividade para gerar motivação e desenvolver capacidades de questionamento, testagem, interpretação de dados e experimentação.  Na perspetiva do ensino dos docentes, as opiniões convergem para o reconhecimento da relevância da ação para a formação contínua, para a interação entre contextos de educação formal e não formal e a integração de áreas curriculares.


Keywords


formação contínua, educação em ciências, trabalho experimental, contextos não-formais, integração curricular.

References


Abrahams, I. Z., Millar, R., Whitehouse, M., Reiss, M., Amos, R. (2011). Practical experiments in school science lessons and science field trips. Report. London: Institute of Education University of London. Disponível em www.publications.parliament.uk.

Allevato, N, & Vieira, G. (2016). Do ensino através da resolução de problemas abertos às investigações matemáticas: possibilidades para a aprendizagem. Quadrante, 1, 114-131.

Anderson, D., Lucas, K.B., & Ginnis, I.S. (2003). Theoretical Perspectives on Learning in an Informal Setting. Journal of Research in Science Teaching, 40(2), 177-199.

Avraamidou, L. (2014). Developing a reform-minded science teaching identity: The role of informal science environments. Journal of Science Teacher Education, 25(7), 823-843.

Avraamidou, L., & Roth, W.-M. (2016). Prologue: Intersections of Formal and Informal Science. Lucy Avraamidou & Wolff-Michael Roth (Eds.), Intersections of Formal and Informal Science (pp. xvi-xxv). New York: Routledge.

Guskey, T. R., & Sparks, D. (2004). Linking Profes¬sional Development to Improvements in Stu¬dent Learning. E. Guyton & J. R. Dangel (Eds.), Research Linking Teacher Preparation and Student Performance. Teacher Education Yearbook XII (pp. 11-21). Iowa: Kendall.

Lerman, S. (1996). Investigações: Para onde vamos? In Paulo Abrantes, Leonor Cunha Leal & João Pedro da Ponte (Orgs.), Investigar para aprender matemática (textos selecionados) (pp. 107-118). Lisboa: Associação de Professores de Matemática.

Martins, I., Veiga, L., Teixeira, F., Tenreiro-Vieira, C., Vieira, R., Rodrigues, A., & Couceiro, F. (2007). Educação em Ciências e Ensino Experimental (2.ª edição). Lisboa: Ministério da Educação e Ciência, DGIDC.

Millar, R. (2010). Analysing practical science activities to assess and improve their effectiveness. Hatfield: Association for Science Education, University of York. Disponível em http://www.york.ac.uk/education/research/research-paper/.

Minner, D. D., Levy, A. J., & Century, J. (2010). Inquiry-based science instruction – what is it and does it matter? Results from a research synthesis years 1984 to 2002. Journal of Research in Science Teaching, 47(4), 474-496.

Morentin, M., & Guisasola, J. (2014). La visita a un museo de ciencias en la formación inicial del profesorado de Educación Primaria. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, 11(3), 364-380.

National Council of Teachers of Mathematics (2014). Princípios para a Ação. Assegurar a todos o sucesso em Matemática. Lisboa: APM (tradução portuguesa).

Osborne, J., & Dillon J. (2007). Research on learning in informal contexts: Advancing the field? International Journal of Science Education, 29(12), 1441-1445.

Paixão, F., Jorge, F. R. & Antunes, L. (2016). Articulação Ciência-Sociedade através do património artístico local – atividades e recursos didáticos centrados no Museu Cargaleiro. Indagatio Didactica, 8(1), 1322-1338.

Paixão, F., Jorge, F. R. & Martins, H. (2015). Práticas educativas de futuros professores do ensino básico em espaços da cidade - Reflexos no desenvolvimento profissional e inovação didática. In C. A. Gomes, M. Figueiredo, H. Ramalho, e J. Rocha (Coord.), Atas do XIII Congresso SPCE (pp. 1082-1092). Viseu: ESE.

Paixão, F., Jorge, F. R. (2017). Formação inicial de professores através do recurso ao património artístico local relevando o trabalho experimental. Enseñanza de las Ciencias, N.º Extraordinario,1623-1629.

Paixão, F., Jorge, F. R., & Martins, H. (2019). Estratégia formativa contextualizada no meio local – valorização da aprendizagem dos alunos e perspetiva afetiva de futuros professores na prática. In J. Pinhal, F. Costa, & R. Faria (Orgs.), A investigação, a formação, as políticas e as práticas em educação – 30 anos de AFIRSE em Portugal (pp. 1076-1085). Lisboa: AFIRSE Portugal e Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Skayia A., Avraamidou, L., & Evagorou, M. (2019). How preservice teachers develop their personal philosophies about science teaching: The role of informal science approaches. Journal of Research in Science, Mathematics and Technology Education, 2(2), 71-84.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-189