Avaliação dos tratamentos utilizados nos casos de bronquiolite viral aguda no pronto socorro pediátrico / Evaluation of the treatments used in cases of acute viral bronchiolitis in the pediatric emergency room

Camilla Sousa Ganan, Joelma Gonçalves Martin, José Roberto Fioretto, Rossano Cesar Bonatto, Fábio Joly Campos, Gabriel Faria Correia, Mário Ferreira Carpi

Abstract


Objetivos: Avaliar a frequência de tratamentos farmacológicos e não farmacológicos utilizados em pacientes diagnosticados com bronquiolite no PS durante 5 anos; Avaliar a evolução da bronquiolite nesses pacientes; Desenvolver um protocolo de tratamento para pacientes diagnosticados com bronquiolite com base em recomendações internacionais. Métodos: Estudo retrospectivo longitudinal incluindo todas as crianças diagnosticadas com bronquiolite no pronto-socorro pediátrico de 1º de janeiro de 2014 a 31 de dezembro de 2018. Os pacientes foram comparados por idade, mês do ano em que procuraram pronto socorro, características clínicas antes e depois da abordagem inicial, necessidade de assistência ventilatória e desfecho. Resultados: Foram analisadas 614 crianças, das quais 58,3% eram do sexo masculino. A média de idade foi de 5,21 meses. Há concentração de casos entre abril e julho (63,19%). 58% necessitaram de suplementação O2. Para o VSR, 50,94% apresentaram resultado positivo. A maioria (69,8%) dos pacientes recebeu como primeira escolha terapêutica o uso de algum medicamento, com destaque para o broncodilatador inalado (60,6%). Os tratamentos que apresentaram as maiores taxas de melhora no padrão respiratório dos bebês foram lavagem nasal com SF0,9% e oxigenoterapia. Conclusão: A evolução dos pacientes com bronquiolite depende principalmente de como o organismo reage à infecção e não do tratamento em si. Nenhum tratamento mostrou-se eficaz na mudança do resultado da bronquiolite. Assim, a utilização de um protocolo que unifique as medidas que devem ser tomadas ao atender um paciente com bronquiolite pode reduzir intervenções desnecessárias.


Keywords


bronquiolite viral aguda, tratamento, protocolo, vírus sincicial respiratório, primeira crise de sibilância, painel viral.

References


Florin TA, Plint AC, Zorc JJ. Viral bronchiolitis. Cincinnati: Lancet; 2017; 389:211-224.

Wright AL, Taussig LM, Ray CG, et al. The Tucson Children’s Respiratory Study. II. Lower respiratory tract illness in the first year of life. Am J Epidemiol. 1989;129:1232–46.

National Institute for Health and Care Excellence [Internet]. Bronchiolitis in children: diagnosis and management. London; 2017 [citado 28 fevereiro 2019].

Koehoorn M, Karr CJ, Demers PA, et al. Descriptive epidemiological features of bronchiolitis in a population-base cohort. Pediatrics 2008;122:1196–203.

Albernaz EP, Menezes AMB, Cesar JA et al. Fatores de risco associados à hospitalização por bronquiolite aguda no período pós-neonatal. São Paulo: Rev. Saúde Pública; 2003;37(4).

Martinez DA, Cadenas JA, Carrascosa, et al. SARS-CoV-2 acute bronchiolitis in hospitalized children: Neither frequent nor more severe Pediatr Pulmonol 2022;57(1):57–65.

Wang VJ, Cavagnaro CS, Clark S, Camargo CA Jr, Mansbach JM. Altitude and environmental climate effects on bronchiolitis among children presenting to the emergency department. J Environ Health 2012;75:8-15.

Curatola A, Lazzareschi I, Bersani G, Covino M, Gatto A, Chiaretti A. Impact of Covid‐19 outbreak in acute bronchiolitis: lesson from a tertiary italian emergency department. pediatric pulmonology. 2021;1–5

Schuurhof A, Bont L, Siezen CL, et al. Interleukin-9 polymorphism in infants with respiratory syncytial vírus infection: an opposite effect in boys and girls. Pediatric Pulmonol 2010; 45:608-13.

Fernandes RM, Plint AC, Terwee CB, et al. Validity of bronchiolitis outcome measures. Pediatric 2015;135:e1399-408.

Cahill AA, Cohen J. Improving Evidence Based Bronchiolitis Care. Children’s National Medical Center; 2018; 19(1) 33-39.

American Academy of Pediatrics [Internet]. Clinical practice guideline: the diagnosis, management, and prevention of bronchiolitis. Illinois; 2014 [citado 27 setembro 2017]. Disponível em: http://pediatrics.aappublications.org/content/134/5/e1474

Scarfone RJ, Seiden JA. Pediatric respiratory emergencies: lower airway obstruction. In: Walls RM, Hockberger RS, Hill MG. Rosen's Emergency Medicine: Concepts and Clinical Practice. 9th ed. Philadelphia: Elsevier; 2018.2:2081-89.

Mazur NI, Martinón Torres F, Baraldi E, et al. Lower respiratory tract infection caused by respiratory syncytial vírus current management and new therapeutics. Lancet Respir Med 2015;3:888-900.

Secretária da Atenção à Saúde. Protocolo de Uso do Palivizumabe para a Prevenção da Infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório. Brasília: Ministério; 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-199