Identificação de elementos estratégicos para implantação e engajamento de serviços de teleconsultoria para atenção primária à saúde: uma revisão de literatura / Identification of strategic elements for the implementation and engagement of teleconsulting services for primary health care: a literature review

Eno Dias de Castro Filho, Marcos Aurélio Maeyama, Adriana Miyauchi, Simone Rodrigues Faria Carvalhaes, Nídia Cristina de Souza, Ana Paula Neves Marques Pinho, Átila Szczecinski Rodrigues, Luana Gonçalves Gehres, Érica de Brito Mallmann

Abstract


A construção deste artigo é uma iniciativa gerada a partir de necessidades percebidas no Projeto Regula + Brasil Colaborativo / PROADI-SUS, relacionadas à dificuldade de uso espontâneo de teleconsultoria pelos profissionais da APS. O objetivo deste artigo foi apoiar o uso amplo e apropriado de teleconsultorias, maximizando resultados de investimentos em projeto e programas com esse foco. Foi realizado por meio de revisão simples de literatura, mediante busca no Google Acadêmico com o termo “teleconsultoria” em português, incluindo 19 artigos e 2 documentos do Ministério da Saúde, com estudos publicados a partir de 2007 até o ano de 2021. A síntese dos resultados, apontou para uma série de elementos que podem ser considerados estratégicos na implantação e engajamento dos serviços de teleconsultoria: plataforma de TICs com boa usabilidade, teleconsultores adequados às necessidades locais da APS, existência de equipamentos, insumos e redes apropriados; participação dos profissionais-alvo da APS no desenho dos processos; circulação de opiniões favoráveis por profissionais líderes para seu uso; incentivo continuado por parte dos gestores; treinamento apropriado; mapeamento de dificuldades; e monitoramento do processo de implantação e uso. A conclusão da pesquisa indica que mesmo que esses elementos não possam ser considerados como protocolo a ser seguido, uma vez que o contexto local deva ser considerado, a utilização ampla de estratégias pode potencializar o uso da teleconsultoria em larga escala.


Keywords


teleconsultoria, telessaúde, atenção primária à saúde.

References


AKBARI, A.; MAYHEW, A.; AL‐ALAWI, M. A.; et al. Interventions to improve outpatient referrals from primary care to secondary care. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 4, art n. CD005471, 2008. Disponível em: https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD005471.pub2/full. Acesso em: 30 set. 2021.

ALKMIM, M. B. M.; MAIA, J. X.; MARCOLINO, M. S.; et al. Nove anos de experiência em teleconsultorias para atenção básica. In: MATHIAS, I.; MONTEIRO, A. (Org.). Gold book: inovação tecnológica em educação e saúde [artigo na internet]. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012. Disponível em: http://www.telessaude.uerj.br/resource/goldbook/pdf/14.pdf . Acesso em: 30 set. 2021.

BALARDIN, G. Fatores Associados Ao uso de teleconsultorias por médicos da Atenção Primária à Saúde. [Dissertação de Mestrado]. 2014. 66p. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, 2014. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/149976 . Acesso em: 30 set. 2021.

BERNARDES, A. C. F.; COIMBRA, L. C.; SERRA, H. O. Utilização do Programa Telessaúde no Maranhão como ferramenta para apoiar a Educação Permanente em Saúde. Rev Panam Salud Publica, v. 42, e134, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.26633/RPSP.2018.134. Acesso em: 30 set. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 2.546, de 27 de outubro de 2011. Redefine e amplia o Programa Telessaúde Brasil, que passa a ser denominado Programa Nacional Telessaúde Brasil Redes (Telessaúde Brasil Redes). Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de Telessaúde para Atenção Básica / Atenção Primária à Saúde / Ministério da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Saúde Digital. Coordenação geral de Política e Inovação em Saúde Digital. Nota Técnica n⁰ 6/2019-CGPIN/DESD/SE/MS. Orientações para a expansão do projeto “integração e ampliação da Telessaúde para apoio à regulação na qualificação do encaminhamento ambulatorial” (Regula + Brasil) no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS). Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

DAMASCENO, R. F.; CALDEIRA, A. P. Teleconsultoria na atenção primária no norte de Minas Gerais: cenário e fatores associados à sua não utilização por médicos. RECIIS (Online), v. 12, n. 4, p. 456–465, 2018. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/1312%0Ahttp://fi-admin.bvsalud.org/document/view/njkmr. Acesso em: 30 set. 2021.

DAMASCENO, R. F.; CALDEIRA, A. P. Factors associated with the non-use of telehealth consultancy by physicians of the family health strategy. Cienc saúde coletiva, v. 24, n. 8, p. 3089–3098, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018248.28752017. Acesso em: 30 set. 2021.

FILHO, E. D. D. C. Telessaúde no apoio a médicos de atenção primária. [Tese de doutorado]. 2011. 110p. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, 2011. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufrgs.br/da.php?nrb=000854108&loc=2012&l=4f371c50790543fe. Acesso em: 30 set. 2021.

FLODGREN, G.; O’BRIEN, M. A.; PARMELLI, E.; et al. Local opinion leaders: effects on professional practice and healthcare outcomes. Cochrane Database of Systematic Reviews, v. 6, art n. CD000125, 2019. Disponível em: http://doi.wiley.com/10.1002/14651858.CD000125.pub5. Acesso em: 28 set. 2021.

GAGNON, M. P.; DESMARTIS, M.; LABRECQUE, M.; et al. Systematic review of factors influencing the adoption of information and communication technologies by healthcare professionals. Journal of Medical Systems, v. 36, n. 1, p. 241–277, 2012. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20703721/. Acesso em: 28 set. 2021.

GAGNON, M. P.; GODIN, G.; GAGNÉ, C.; et al. An adaptation of the theory of interpersonal behaviour to the study of telemedicine adoption by physicians. International Journal of Medical Informatics, v. 71, n. 2–3, p. 103–115, 2003. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/14519403/. Acesso em: 28 set. 2021.

HARZHEIM, E.; GONÇALVES, M. R.; UMPIERRE, R. N.; et al. Telehealth in Rio Grande do Sul, Brazil: Bridging the Gaps. Telemedicine and e-Health, v. 22, n. 11, p. 938–944, 2016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27096384/. Acesso em: 28 set. 2021.

HOSPITAL ALEMÃO OSWALDO CRUZ. Apresentação de projeto de apoio para o PROADI-SUS (2021-2023) – Regula Mais Brasil Colaborativo. Hospital Alemão Oswaldo Cruz / Ministério da Saúde, 2021.

MAEYAMA, M. A.; CALVO, M. C. M. A Integração do Telessaúde nas Centrais de Regulação: a Teleconsultoria como Mediadora entre a Atenção Básica e a Atenção Especializada. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 42, n. 2, p. 63–72, 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022018000200063〈=pt%0Ahttp://www.scielo.br/pdf/rbem/v42n2/0100-5502-rbem-42-02-0063.pdf. Acesso em: 28 set. 2021.

MARCOLINO MS, ALKMIM MB, ASSIS TGP, SOUSA LAP, R. A. Teleconsultorias no apoio à atenção primária à saúde em municípios remotos no estado de Minas Gerais, Brasil. Rev Panam. Salud Pública, v. 35, n. 5-6, p. 345–352, 2014. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2014.v35n5-6/345-352/. Acesso em: 29 set. 2021.

NILSON, L. G.; CALVO, M. C. M.; DOLNY, L. L.; et al. Avaliação da utilização de telessaúde para apoio assistencial na atenção primária à saúde. Brazilian Journal of Health Review, v. 2, n. 6, p. 6188–6206, 2019. Disponível em: https://brazilianjournals.com/ojs/index.php/BJHR/article/view/5727 . Acesso em: 29 set. 2021.

NILSON, L. G.; NATAL, S.; MAEYAMA, M. A.; et al. Estudo comparativo da oferta de teleconsultorias por teleconsultores de diferentes níveis de Atenção à Saúde. Revista de APS, v. 20, n. 3, p. 360–372, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/16143. Acesso em: 29 set. 2021.

OXMAN, A. D.; THOMSON, M. A.; DAVIS, D. A.; et al. No magic bullets: a systematic review of 102 trials of interventions to improve professional practice. CMAJ: Canadian Medical Association journal, v. 153, n. 10, p. 1423–1431, 1995. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7585368/. Acesso em: 29 set. 2021.

PESSOA, C.; SOUSA, L.; RIBEIRO, A.; et al. Description of factors related to the use of the teleconsultation system of a large telehealth service in Brazil–the telehealth network of Minas Gerais. Journal of the International Society for Telemedicine and eHealth, v. 4, p. e4(1-9), 2016. Disponível em: https://journals.ukzn.ac.za/index.php/JISfTeH/article/view/133. Acesso em: 26 set. 2021.

RUAS, S. S. M.; ASSUNÇÃO, A. A. Teleconsultations by primary care physicians of Belo Horizonte: Challenges in the diffusion of innovation. Telemedicine and e-Health, v. 19, n. 5, p. 409–414, 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23600411/. Acesso em: 26 set. 2021.

SCHMITZ, C. A. A.; HARZHEIM, E. Oferta e utilização de teleconsultorias para Atenção Primária à Saúde no Programa Telessaúde Brasil Redes. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 12, n. 39, p. 1–11, 2017. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1453. Acesso em: 27 set. 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-201