Alunos com transtorno do espectro do autismo em tempos de pandemia: caracterização de aspetos científicos e legais / Students with autism spectrum disorder in pandemic times: characterization of scientific and legal aspects

Luana Nicrite dos Santos Scioli, Simone Gomes Ghedini

Abstract


O presente trabalho objetivou analisar o desenvolvimento cognitivo e social de crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) durante as aulas remotas no período de pandemia de COVID-19, visando compreender quais foram as consequências desse período na vida desses alunos e quais foram as estratégias utilizadas pela equipe escolar e pelas famílias para o bom andamento da aprendizagem dessas crianças. Considerando a importância da constância na rotina das crianças com TEA, buscamos analisar como sucedeu a aprendizagem e o desenvolvimento, principalmente social para esses alunos durante o período pandêmico. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica enfocando as características do TEA, a legislação específica referente ao TEA e conteúdo de sites e lives produzidas nos últimos dois anos de pandemia. Após análise do material coletado, buscou-se identificar como as crianças com TEA foram afetadas pela pandemia do ponto de vista escolar e de aprendizagem, incluindo a percepção dos pais nessa situação, considerando que eles também foram afetados pela pandemia. Foi possível constatar os malefícios nesse período, não apenas na aprendizagem, mas também no contexto social dos alunos com TEA, suas dificuldades foram acentuadas durante o tempo de pandemia e o retorno das aulas tem sido um alívio para a família e a equipe escolar, embora muitos alunos com TEA estejam apresentando dificuldades de adequação à antiga rotina.


Keywords


educação, educação especial, tea, pandemia, aprendizagem, desenvolvimento.

References


ALVES, L. Educação remota: entre a ilusão e a realidade. Interfaces Científicas, Aracaju, v. 8, n. 3, p. 348-365, 2020.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION - APA. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BARBOSA, A. M,; FIGUEIREDO, A.V. ; VIEGAS, M.A.S. ; BATISTA, R.L.N.F. Os impactos da pandemia COVID-19 na vida de pessoas com Transtorno do Espectro Autista. Revista da SJRJ, Rio de Janeiro, v. 24, n. 48, mar./jun. 2020, p. 91-105

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Constituição. Constituição da República Federativa do Brasil. 10. ed. Brasília, DF: Senado, 1998.

BRASIL, 2008 (a) MEC. Resolução CEB/CNE n°04/99: Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf1/proejaresolucao04_99.pdf> Acesso em : 16 de fevereiro 2022

BRASIL. LEI nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Brasília, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm. Acesso em: 23 de fevereiro de 2022.

CAMINHA, V. L. Autismo. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2016.

CARDOSO, M. F.; FRANÇOZO, M. F. C. Jovens irmãos de autistas: Expectativas, sentimentos e convívio. Revista Saúde, Santa Maria, v. 41, n. 2, p. 87-98, 2015.

COUTO, E.S.; COUTO, E.S.; CRUZ, I.M.P.; Educação na Pandemia da Covid 19. Interfaces Científicas, v. 8 n. 3, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2020v8n3 . Acesso em: 17 de janeiro de 2022

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca – Espanha, 1994.

DAINEZ, D.; SOUZA, F. F. Educação Especial e Inclusiva em tempos de pandemia: o lugar de escola e as condições do ensino remoto emergencial. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 15, e2016303, p. 1-15, 2020. Disponível em: https://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa Acesso em: 13 Dez 2021.

ELSABBAGH, M. ; DIVAN, G. ; KIM, Y.S ; KAUCHALI, S. ; MARCÍN, C. ; PAULA, C.S. ; YASAMY, M.T. Autism Research : Global Prevalence of Autism and Other Pervasive Developmental Disorders. V.5: p.160–179, 2012

ISAÍAS, J.M.R, Prevalência e Etiologia de Transtornos do Espectro do Autismo: O que mudou nos últimos cinco anos?. Ciências da Saúde. Covilhã, 2019.

KLIN, A. Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral. Brazilian Journal of Psychiatry, 2006. Disponível em : https://doi.org/10.1590/S1516-44462006000500002. Acesso em: 16 Fev 2022.

LIBARDI A. L. P.; ROMEIRO A. C.O. E.; TALARICO M. V. T. S. Uso de máscara na intervenção em Análise do Comportamento Aplicada (ABA) ao Transtorno do Espectro Autista (TEA) no contexto da pandemia (COVID-19). ReBAC (Revista Brasileira de Análise de Comportamento). São Carlos, vol. 16, n°. 209 2, 2020.

MAIA, F. A.; ALMEIDA, M.T.C; ALVES, M.R; BANDEIRA, L.V.S; NUNES, N.F.; CARDOSO, L.C.G.; SILVEIRA, M.F.Transtorno do espectro do autismo e idade dos genitores: estudo de caso-controle no Brasil. Cad. Saúde Pública, 2018.

MARICATO, G. “Pandemia COVID-19.” Cadernos de campo: revista dos alunos de pós-graduação em antropologia 29. Supl. (2020): 163–172.

MEDRADO, A. A.; CAMPOS, R.C.; SIQUARA, G.M.; PONDÉ, M.P. Saúde mental e qualidade de vida de pais de pessoas com TEA durante a pandemia COVID-19: uma revisão narrativa, Rev. Psicol. Divers. Saúde, Salvador, nov. 2021. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v10i3.3545 Acesso em: 30 de janeiro de 2022

MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre a inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v.11, n.33, p.387-405, set./dez.2006.

MOREIRA, J. R; DAMASCENO A. R. A educação escolar e a inclusão do estudante com transtorno do espectro autista na legislação brasileira. Educação no Século XXI - Volume 33 – Inclusão, Especial, Diversidade, Belo Horizonte, p.31-39, 2019.

MUTLUER, T.; DOENYAS, C.; GENC, H. A. (2020). Behavioral Implications of the Covid-19 Process for Autism Spectrum Disorder, and Individuals' Comprehension of and Reactions to the Pandemic Conditions [Implicações Comportamentais do Processo Covid-19 para o Transtorno do Espectro do Autismo, e Compreensão e Reações dos Indivíduos às Condições Pandêmicas]. Frontiers in Psychiatry, 11, 561882. Disponível em: https://doi.org/10.3389/ fpsyt.2020.561882 Acesso em: 04 Dez 2021.

NASCIMENTO, R. P.; MENSONÇA, A.F.S.; LIMA, B.L.S.; CRUVINEL, L.I.; SOUSA, T.N.E.; LINHARES, L.M.; MENDES, I.R.; EDUARDO, N.R.; MACHADO, B.S.;ARAÚJO, A.B.M.M.; MACHADO, B.S.; PACHECO, C.G.F.; LINDEMAM, A.C.; BAPTISTA, L.M. A influência da pandemia no comportamento de crianças e

adolescentes autistas. Brazilian Journal of Health Review, Curitiba, v.4, n.5, p. 22742- 22748, 2021.

NETO, O.P.S; SOUSA, V.H.V; BATISTA, G.B; SANTANA, F.C.B.G; JUNIOR, J.M.B. G-TEA: Uma ferramenta no auxílio da aprendizagem de crianças com Transtorno do Espectro Autista, baseada na metodologia. Culture Track – Full Papers, Teresina, p.137-140, 2013.

PACHECO, K. M. B; ALVES, V. L.R. A história da deficiência, da marginalização à inclusão social: uma mudança de paradigma, ACTA FISIAT, São Paulo, p. 242 – 248, 6 de agosto de 2007.

PIAGET, J. Psicologia e epistemologia: por uma teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Forense, 1972.

RIOS, C; ORTEGA. F; ZORZANELLI, R; NASCIMENTO, L. F. From invisibility to epidemic: the narrative construction of autism in the Brazilian press. Interface (Botucatu). 2015; 19(53):325-35.

SIMONE, M. S.; NETO A. M. O.; CARVALHO, G. G. Ensino em tempos de pandemia: relatos de experiências docentes aliadas às práticas colaborativas inclusivas. CONED (IV Congresso nacional em educação), p.1-7, 2021.

VYGOTSKY, L. S. Construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

WEINTRAUB, K. O quebra-cabeça da prevalência: o autismo conta, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-205