Base polimérica como alternativa de aditivo para fluidos de arrefecimento em países tropicais / Polymeric base as alternative additive for cooling fluids in tropical countries

Lucimar Venâncio Amaral, Aldinor Pereira de Andrade Junior, Kelvin Rafael de Araújo, Leonardo Dias Silva, André Guimarães Ferreira

Abstract


O motor a combustão interna é uma máquina térmica que evoluiu no decorrer dos anos, no qual o seu arrefecimento é realizado pelo radiador que executa a troca de calor deste sistema. Até a década de 70 os sistemas de arrefecimento eram abertos utilizando apenas a água como fluido de arrefecimento, após este período os sistemas passaram a ser fechados permitindo aos motores operarem em temperaturas mais altas melhorando assim a sua eficiência. Portanto, nos sistemas utilizados atualmente a água não é mais um fluido de arrefecimento viável, tornando-se necessário a adição de aditivos à mesma. O presente artigo tem por objetivo demonstrar os aditivos utilizados, comparar diferentes tipos de fluidos destacando os benefícios, além de trazer metodologias testadas em laboratório. As análises experimentais foram baseadas nos testes de viscosidade e calorimetria entre três fluidos, sendo eles um aditivo concentrado à base de etilenoglicol, um fluido de arrefecimento concentrado de base polimérica e o último trata-se de um fluido também de base polimérica, mas pronto para uso, sem necessidade de diluição, com o intuito de verificar a resistência de cada um de escoar e verificar a eficiência no processo de transferência de calor. Através dos resultados experimentais foi possível comprovar que a utilização do fluido de base polimérica pronto para uso comparado ao fluido regulamentado que precisa ter obrigatoriamente etilenoglicol, pode ser uma alternativa eficaz em regiões tropicais, comprovando as expectativas iniciais e a viabilidade técnica. As grandes vantagens do fluido de base polimérica pronto para uso encontrado nos testes são relacionadas a sua atoxidade, sua menor viscosidade, e a sua troca térmica mais rápida, proporcionando uma maior estabilidade térmica ao motor do carro.


Keywords


motor a combustão interna, máquinas térmicas, bases poliméricas, base de etilenoglicol.

References


ABNT Catálogo, 2016, “Norma Técnica”. Disponível em: . Acesso em: 10 de agosto de. 2021.

APS Distribuidora, 2017, “Saiba tudo sobre o eletroventilador do radiador”. Disponível em: . Acesso em: 18 de agosto de. 2021.

AUTO BC, 2018, “SAIBA DIFERENCIAR OS TIPOS DE ADITIVOS IDEAIS PARA CADA TIPO DE MOTOR”. Disponível em: . Acesso em: 11 de agosto de. 2021.

BALL, Cedric. Phenolic molding compounds in automotive powertrain applications. In: Proceedings of the 17th Annual Automotive Conference & Exhibition, Novi, MI, USA. 2017. p. 6-8.

BARBOSA, Jean Andrade et al. Laboratório de Ensino de Graduação em Engenharia de Petróleo (LEGEP). 2013.

BORGES, Marcos André et al. Programa de análise de produtos: relatório sobre análise em aditivos para radiadores. 2008.

CELSO, CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA. Projeto do Sistema de Arrefecimento para um Motor de um Protótipo de Fórmula SAE. 2018.

COSTA, Diogo Manuel Ferreira Machado. FluidUM: análise de fluidos de um automóvel. 2016. Tese de Doutorado.

Delphi Technologies, 2021, “Qual a diferença entre aditivo e fluido de radiador?”. Disponível em: . Acesso em: 13 de agosto de. 2021.

Dreamstime, 2021, “Radiador”. Disponível em: . Acesso em: 18 de agosto de. 2021.

EncyCARpedia, 2021, “Volkswagen Jetta 1.4 TSI 160 - Specifications (2011-2014)”. Disponível em: . Acesso em: 20 de Setembro de. 2021.

Flatout, 2019, “Volkswagen 2.0 TSI: conheça as diferentes versões do motor EA888”. Disponível em: . Acesso em: 08 de Setembro de. 2021.

Haynes, 2021, “What is an expansion tank and what does it do?”. Disponível em: . Acesso em: 30 de agosto de. 2021.

Hi Tech Produtos Automotivos, 2021, “Quais as diferenças entre os aditivos para radiadores?”. Disponível em: . Acesso em: 28 de outubro de 2021.

MEDEIROS, Pedro Samuel Gomes; BARBOSA, Cleiton Rubens Formiga; FONTES, Francisco de Assis Oliveira. Estudos das Propriedades Termofísicas de Fluidos Secundários Aplicados a Sistemas de Refrigeração com Termoacumulação. In: VI Congresso Nacional de Engenharia Mecânica. ABCM, São Paulo. sn, 2010.

MEDEIROS, Pedro Samuel Gomes. Desenvolvimento e caracterização de soluções ternárias água-glicerol-propilenoglicol como fluido refrigerante secundário. 2012. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Mte-Thomson, 2010 “Manual do Sistema de Arrefecimento”. Disponível em: , Acesso em: 10 de agosto de 2021.

Motor 1, 2021, “Avaliação - Volkswagen Jetta 2.0 TSI Highline 2011”. Disponível em: . Acesso em: 16 de Setembro de. 2021.

MotorReviewer, 2021, “2.0 TSI/TFSI EA888 Gen 1/2/3 Engine”. Disponível em: . Acesso em: 16 de Setembro de. 2021.

Notícias Automotivas, 2011, “Avaliação (completa) do Novo Jetta 2.0 2011”. Disponível em: . Acesso em: 16 de Setembro de. 2021.

Onsales, 2021, “IEG - El sensor de temperatura en motores diesel y gasolina”. Disponível em: . Acesso em: 18 de agosto de. 2021.

Revista do Carro, 2018, “Líquido de arrefecimento: Não pode falhar!”. Disponível em: . Acesso em: 10 de agosto de. 2021.

SANTANA, Rony Oliveira de. Análise da transferência de calor de fluidos térmicos aditivado com etilenoglicol e polímeros. 2016. Dissertação de Mestrado. Brasil.

SILVA, Ana Sofia de Campos Paquito da. Caracterização de novas tipologias de fibras sintéticas. 2013. Tese de Doutorado.

SILVA, Danilo. “Características e funções do fluido de arrefecimento - Motul Expert”. Disponível em: . Acesso em: 15 de julho de 2021.

SILVA, Marcos Douglas; DA COSTA, Ivanilson Sousa; DA SILVA, Márcio Bacci. PROJETO E CONSTRUÇÃO DE CALORÍMETRO PARA MEDIÇÃO DE TEMPERATURA E CALOR EM USINAGEM.

Team Vag, 2021, “Motor EA888 GEN 2”. Disponível em: . Acesso em: 20 de Setembro de. 2021.

Tech Tips All Euro, 2017, “The Volkswagen 2.0 Liter Chain-Driven TSI Engine”. Disponível em: . Acesso em: 16 de Setembro de. 2021.

Veluplast Centro Automotivo, 2021, “Quais são os componentes do sistema de arrefecimento e quando trocar?”. Disponível em: . Acesso em: 18 de agosto de 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-222