Análise da influência de macrofibras no desempenho mecânico do concreto para piso industrial / Analysis of the influence of macrofibers on the mechanical performance of concrete for industrial floors

Matheus Henrique Wendland, Eduardo Polesello

Abstract


Com o intuito de aumentar a resistência do concreto e torná-lo mais eficiente, uma das alternativas é a incorporação de fibras junto a matriz cimentícia, podendo ser microfibras, destinadas principalmente para dificultar a geração e o desenvolvimento de microfissuras, e macrofibras, amplamente utilizadas para melhorar algumas propriedades mecânicas do concreto, como, por exemplo, a resistência à tração na flexão. A incorporação de fibras tem sido largamente utilizada em pisos industriais de concreto, a fim de proporcionar uma maior resistência frente aos diversos tipos de carregamento do ambiente, além de ajudar a conter os problemas de retração e variação térmica. Nesse sentido, este estudo teve como objetivo analisar o comportamento mecânico do concreto convencional (CC) para pisos industriais quando produzido com a incorporação de macrofibras de aço e sintéticas, ora de forma separada, em teores de 0,60% e 0,80%, ora de forma híbrida, em três dosagens diferentes. Para isso, optou-se por realizar os ensaios de resistência à compressão axial e o ensaio de tração na flexão, comparando o CC em relação ao concreto reforçado com fibras. Os resultados mostraram que houve influência significativa da incorporação de fibras no compósito para as propriedades mecânicas avaliadas. No ensaio de compressão axial, verificou-se resistência até 20,8% superior ao CC aos 28 dias, enquanto para o ensaio de tração na flexão esse aumento chegou à 68,95% em relação ao traço referência. Ainda, as fibras incorporadas ao concreto demonstraram ser capazes de absorver e transmitir tensões, promovendo resistência residual, mesmo após a ruptura do concreto, não permitindo o rompimento brusco do compósito.


Keywords


macrofibras, concreto, pisos industriais, resistência à tração na flexão

References


AMORIM, Lucas G. M.; BARBOSA, Anderson H.. Análise comparativa do comportamento mecânico do concreto reforçado com fibras metálicas e sintéticas. Anais do 62º Congresso Brasileiro do Concreto, [s. l.], p. 11, 2020.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 12142: Concreto – Determinação da resistência à tração na flexão de corpos de prova prismáticos. Rio de Janeiro, 2010.

_______. NBR 12655: Concreto de cimento Portland – Preparo, controle, recebimento e aceitação – Procedimento. Rio de Janeiro, 2015.

_______. NBR 15530: Fibras de aço para concreto - Requisitos e métodos de ensaio. Rio de Janeiro, 2019.

_______. NBR 16889: Concreto – Determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone. Rio de Janeiro, 2020.

_______. NBR 16940: Concreto reforçado com fibras – Determinação das resistências à tração na flexão (limite de proporcionalidade e resistências residuais) – Métodos de ensaio. Rio de Janeiro, 2021.

_______. NBR 16942: Fibras poliméricas para concreto – Requisitos e métodos de ensaio. Rio de Janeiro, 2021.

_______. NBR 5739: Concreto – Ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 2018.

_______. NBR 8953: Concreto para fins estruturais – Classificação pela massa específica, por grupos de resistência e consistência. Rio de Janeiro, 2015.

_______. NBR ISO 7438: Materiais metálicos — Ensaio de dobramento. Rio de Janeiro, 2016.

_______. NBR NM 248: Agregados – Determinação da composição granulométrica. Rio de Janeiro, 2003.

_______. NBR NM 45: Agregados – Determinação da massa unitária e do volume de vazios. Rio de Janeiro, 2006.

_______. NBR NM 52: Agregado Miúdo – Determinação da massa específica e massa específica aparente. Rio de Janeiro, 2009.

_______. NBR NM 53: Agregado graúdo – Determinação da massa específica, massa específica aparente e absorção de água. Rio de Janeiro, 2009.

CÁCERES, Alan Renato Estrada; FIGUEIREDO, Antônio Domingues de; MONTE, Renata. Avaliação do comportamento mecânico do concreto com reforço híbrido de fibras. Anais do 55º Congresso Brasileiro do Concreto, [s. l.], p. 16, 2013.

CHODOUNSKY, Marcel Aranha; VIECILI, Fábio André. PISOS INDUSTRIAIS DE CONCRETO: ASPECTOS TEÓRICOS E EXECUTIVOS. São Paulo: Reggenza, 2007. 373 p.

FIGUEIREDO, Antônio Domingues de. Concreto com Fibras. In: Livro Concreto: Ciência e Tecnologia. [S. l.]: Instituto Brasileiro do Concreto, 2011. cap. 37, p. 36.

GUIMARÃES, Diego. Avaliação das propriedades de concretos reforçados com fibras de aço para utilização em pisos industriais. 2015. 180 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

GUIMARÃES, Diego. Pisos industriais em concreto: Determinação de teores ótimos de fibras de aço e polipropileno em ensaios mecânicos. 2010. 90 f. Dissertação (Graduação em Engenharia Civil) - Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

GUO, Hui et al.. Influence of a hybrid combination of steel and polypropylene fibers on concrete toughness. Construction and Buiding Materials, v. 275, Elsevier, p. 14, 2021.

MEDEIROS, Arthur. Estudo do comportamento à fadiga em compressão do concreto com fibras. 201 f. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Engenharia Civil, Rio de Janeiro, 2012.

NANA, W. S. A. et al.. Behaviour of macro-synthetic fibers reinforced concrete: Experimental, numerical and design code investigations. Structures, v. 32, Elsevier, p. 16, 2021.

POLESELLO, Eduardo; SCHEFFEL, Mainara. Uso de fibras de aço como alternativa para melhorar o desempenho do concreto para pisos industriais quanto à resistência à tração na flexão. Anais do 61º Concresso Brasileiro do Concreto, [s. l.], p. 15, 2019.

SANTOS, Lucas Aparecido da Silva et al.. Análise experimental comparativa da incorporação das fibras de aço ao concreto. Anais do 60º Congresso Brasileiro do Concreto, [s. l.], p. 15, 2018..




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-274