Toxemia gravídica: condutas de enfermagem no atendimento hospitalar / Pregnancy toxemia: nursing conduct in hospital care

Deyse Cristiellen dos Santos Sousa, Leidiane Gomes Santos, Luna Dantas Barbosa, Graciana de Sousa Lopes

Abstract


A toxemia gravídica é uma doença que geralmente ocorre na segunda metade da gravidez e é caracterizada por hipertensão e proteinúria. A pré-eclâmpsia é uma síndrome hipertensiva da gestação, descrita como uma desordem decorrente da má perfusão placentária e da disfunção endotelial, que gera elevação dos níveis pressóricos ou proteinúria.Metodologia: Os estudos foram coletados nas bases de dados eletrônicas: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), (SciELO). Resultados: No quadro clínico relacionado a toxemia gravídica função do enfermeiro é a de prevenir ou reduzir os fatores de risco de toxemia gravídica bem como fornecer cuidados especiais para mulheres que sofrem de pré-eclâmpsia e / ou eclampsia. Nas condutas de enfermagem prestadas a gestante com diagnóstico de toxemia gravídica fica evidente que é necessário atenção primária na conduta do pré-natal. Conclusão: Ficou evidente que os riscos de pré-eclâmpsia quando diagnosticada são altos, a equipe de enfermeiros atua dentro do quadro clínico do paciente no sentido de intervir e reverter a situação buscando a saúde de ambos, mãe e recém-nascido, por isso que desde cedo a grávida precisa passar por um acompanhamento assíduo no pré-natal para que seja elaboradas intervenções que possam apresentar resultado favorável na gestação.


Keywords


hipertensão, gestação, pré-eclâmpsia, assistência de enfermagem.

References


AGUIAR, Maria Isis Freire de et al. Sistematização da assistência de enfermagem a paciente com síndrome hipertensiva específica da gestação. Revista Rene, v. 11, n. 4, p. 66-75, out./dez.2010.

ALVES, Jakeline Barbara et al. Sepse neonatal: mortalidade em município do sul do Brasil, 2000 A 2013. Revista Paulista de Pediatria, v. 36, p. 132-140, 2018.

ALMEIDA, WyrnaSchwenck et al. Avaliação dos resultados neonatais e fatores associados em gestantes com pré-eclâmpsia grave: uma revisão sistemática. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 2, p. e5799-e5799, 2021.

AMORIM, Fernanda Cláudia Miranda et al. Perfil de gestantes com pré-eclâmpsia.

Revista de enfermagem UFPE online, v. 11, n. 4, p. 1574-83, 2017.

ARAÚJO, Hirla Vanessa Soares et al. Assistência de enfermagem a mulheres acometidas por eclampsia e pré-eclampsia: revisão integrativa. SaúdeColetiva, v. 11, n. 67, p. 6729-6742, 2021.

ARMITAGE, Gary C. Bi‐directional relationship between pregnancy and periodontal disease. Periodontology 2000, v. 61, n. 1, p. 160-176, 2013.

BACELAR, Letícia França Fiuza et al. Estudo de caso clínico: assistência de enfermagem preventiva a puérpera com múltiplas ocorrências de pré-eclâmpsia. ÚNICA Cadernos Acadêmicos, v. 3, n. 1, 2020.

BAETA, Kelly Adriani Dos Santos et al. Assistência de enfermagem a pacientes portadoras da toxemia gravídica: educação em saúde. In: 13º Congresso Internacional Rede Unida. 2018.

BARRA, Sérgio et al. Hipertensão arterial na grávida: o atual estado da arte. Revista Portuguesa de Cardiologia, v. 31, n. 6, p. 425-432, 2012.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Área Técnica Saúde da Mulher, Brasília 2002

BHERING, Natália Bianca Vales et al. A Síndrome Semelhante a Pré-eclâmpsia induzida pela COVID-19: Uma Revisão da Literatura. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 2, p. 4493-4507, 2021.

DIAS, Ernandes Gonçalves et al. Ações do enfermeiro no pré-natal e a importância atribuída pelas gestantes. Revista Sustinere, v. 6, n. 1, p. 52-62, 2018.

FERREIRA, Jessica Saturnino et al. Assistência de enfermagem na prevenção das complicações decorrentes da síndrome hipertensiva específica da gestação. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT-ALAGOAS, v. 6, n. 3, p. 95- 95, 2021.

FERREIRA, Maria Beatriz Guimarães et al. Assistência de enfermagem a mulheres com pré-eclâmpsia e/ou eclâmpsia: revisão integrativa. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 50, p. 0324-0334, 2016.

FREITAS, Jeanne Lúcia Gadelha et al. Mortalidade infantil em uma capital do norte do Brasil: estudo de série temporal. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 12, n. 11, p. e4981-e4981, 2020.

FOX, R.; KITT, J.; LEESON, P. ; AYE, C.Y.; LEWANDOWSKI, A.J. Pré-eclâmpsia:

fatores de risco, diagnóstico, tratamento e o impacto cardiovascular na prole. J.Clin. Med. V.8, n.10, p.1-22. 2019. Disponível em:< https://www.mdpi.com/2077- 0383/8/10/1625/htm>. Acesso em 05 mar 2022.

FUSTINONI, Suzete. Síndromes hipertensivas na gravidez. In. BARROS, Sonia Maria Oliveira. Enfermagem no ciclo gravídico-puerperal. Editora Manole, Barueri SP, p. 65- 75, 2016.

GAIVA, Maria Aparecida Munhoz et al. Mortalidade neonatal em crianças com baixo peso ao nascer. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 48, p. 778-786, 2014.

GARCIA, Sidney Logrosa et al. Fisiopatologia da pré-eclâmpsia. RBM rev. bras. med, 2010.

GEHRCKE, Fabiana da Silva et al. Assistência de enfermagem na pré-eclâmpsia: um relato de experiência. Anais do Salão de Ensino e de Extensão, p. 111, 2018.

GOMES, Maria Luziene de Sousa et al. Avaliação de aplicativos móveis para promoção da saúde de gestantes com pré-eclâmpsia. Acta Paulista de Enfermagem, v. 32, p. 275-281, 2019.

HORTON, Amanda L. et al. Periodontal disease, oxidative stress, andrisk for preeclampsia. Journalofperiodontology, v. 81, n. 2, p. 199-204, 2010.

IVES, C. W. ; SINKEY, R.; RAJAPREYAR, I.; ALAN, T.N.; OPARIL, S. Preeclampsia –

Pathophysiology and Clinical Presentations. JACC. V. 76, n.14, p.1690-1702, 2020.

KAHHALE, Soubhi et al. Pré-eclâmpsia. Revista de Medicina, v. 97, n. 2, p. 226- 234, 2018.

LEAL, Maria do Carmo et al. Saúde reprodutiva, materna, neonatal e infantil nos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, p. 1915- 1928, 2018.

LEITE, V.C.; GASQUEZ, A.S.; BERTONCIM, K.R. Stratification of risk in persons in prenatal. Rev. Uningá, v.56, n.2, 2019.

LIMA, Clícia Aparecida et al. Intervenção do enfermeiro nos fatores de risco da toxemia gravídica. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde, v.1, n.4, p.50-54, 2019.

LINHARES, José Juvenal et al. Fatores associados à via de parto em mulheres com pré-eclâmpsia. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 36, p. 259-263, 2014.

MERYL, C.N.; HAJRUNISA, C.; MCCORMICK, D.J.; GAROVIC, V. NATASA, M.M.

Mulheres com pré-eclâmpsia têm valores circulantes de IL-10 (interleucina-10) diminuídos no momento do diagnóstico de pré-eclâmpsia. 2020. Disponível em:< https://www.ahajournals.org/doi/full/10.1161/HYPERTENSIONAHA.120.15870>.

Acesso em 05 mar 2022.

MOL, Ben WJ et al. Pre-eclampsia. The Lancet, v. 387, n. 10022, p. 999-1011, 2016.

MORAES, Alice Dayenne et al. Manejo da pressão arterial e terapia anticonvulsivante na pré-eclâmpsia grave. Revista Científica de Enfermagem, v. 10, n. 32, p. 269-280, 2020.

MOURA, Marta David Rocha de et al. Hipertensão Arterial na Gestação-importância do seguimento materno no desfecho neonatal. Comunicação em Ciências da Saúde, p. [113-120], 2011.

NEME, B. Obstetrícia básica. São Paulo: Sarvier, 2006.

NORONHA NETO, Carlos et al. Tratamento da pré-eclâmpsia baseado em evidências.

Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v. 32, p. 459-468, 2010.

NUNES, Francisca Josiane Barros Pereira et al. Cuidado clínico de enfermagem a gestante com pré-eclâmpsia: Estudo reflexivo. Brazilian Journal of Health Review, v. 3, n. 4, p. 10483-10493, 2020.

OLIVEIRA, Alane Cabral Menezes de et al. Fatores maternos e resultados perinatais adversos em portadoras de pré-eclâmpsia em Maceió, Alagoas. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 106, p. 113-120, 2016.

OLIVEIRA, K.K.P.A.; ANDRADE, S.S.C.; SILVA, F.M.C.S.; MENESES, L.B.A.; LEITE,

K.N.S.; OLIVEIRA, S.H.S. Assistência de enfermagem a parturientes acometidas por pré-eclâmpsia. Revista de Enfermagem UFPE, v.10, n.4, maio, 2016.

PERES, Gonçalo Miguel et al. Pre-eclampsia and eclampsia: an update on the pharmacological treatment applied in Portugal. Journal of cardiovascular development and disease, v. 5, n. 1, p. 3, 2018.

POLGLIANE, Rúbia Bastos Soares et al. Adequação do processo de assistência pré- natal segundo critérios do Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento e da Organização Mundial de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 1999-2010, 2014.

SAMPAIO, Tainara Amanda Feitosa et al. Cuidados de enfermagem prestados a mulheres com hipertensão gestacional e pré-eclampsia. Revista Saúde Física & Mental, v. 2, n. 1, p. 36-45, 2013.

SANTANA, Rosane et al. Importância do conhecimento sobre sinais e sintomas da pré-eclâmpsia para implementação dos cuidados de Enfermagem. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 11, n. 15, p. e1425-e1425, 2019.

SANTOS, Dialla Tâmara Alves; CAMPOS, Carla Santana Mariano; DUARTE, Maria Luisa. Perfil das patologias prevalentes na gestação de alto risco em uma maternidade escola de Maceió, Alagoas, Brasil. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 9, n. 30, p. 13-22, 2014.

SARMENTO, Rayani et al. Pré-eclâmpsia na gestação: ênfase na assistência de enfermagem. Enfermagem Brasil, v. 19, n. 3, 2020.

SGOLASTRA, Fabio et al. Synergisticmortalitybetween a neonicotinoidinsecticideandan ergosterol‐biosynthesis‐inhibitingfungicide in threebeespecies. Pest Management Science, v. 73, n. 6, p. 1236-1243, 2017.

SILVA, Edivania Cristina et al. Atuação do enfermeiro na prevenção das síndromes hipertensivas na gestação no âmbito da atenção básica. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 2, p. e6448-e6448, 2021.

SILVA, Samyla Carla Nóbrega et al. Manejo de pré-eclampsia grave no puerpério: validação de cenário para simulação clínica. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 74, 2021.

SILVA, S.N.; SANTOS, M.A.P.; CAMPOS, N.P.S.; SOUZA, C.S.; GONZAGA, M.N.;

PEREIRA, R.S.F.; SOARES, A.P. A importância do pré-natal na prevenção da toxemia gravídica e o papel do enfermeiro. Revista Saúde em Foco, Edição 9, 2017.

SILVA, Silvanira do Nascimento et al. A importância do pré-natal na prevenção da toxicemia gravídica e o papel do enfermeiro. Rev Saúde Foco, v. 9, p. 16, 2017.

STEEGERS, Eric AP et al. Pre-eclampsia. The Lancet, v. 376, n. 9741, p. 631-644, 2010.

WALTER, Luis Reinaldo de F. et al. Manual de odontologia para bebês. Artes Médicas Editora, 2016.

SOARES, Cassia Baldini et al. Revisão integrativa: conceitos e métodos utilizados na enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 48, p. 335-345, 2014.

WANTSIN, Rosemilda Martins Correia et al. Pré-eclâmpsia: fisiopatologia, tratamento e cuidados de enfermagem. Anais da XIV SEFIC Unilasalle - Ciência e Tecnologia, 2017.

THEODORO, M.; CHECHETTO, F.H.; MARIOT, M.D.M. Assistência de enfermagem com gestane com pré-eclâmpsia: um revisão bibliográfica. Rev. Cuidado em enfermagem – CESUCA, v.2, n.3, nov, 2016.

ZIEGLER, Ekhard E. Meeting thenutritionalneedsofthelow-birth-weight infant. Annals of Nutrition and Metabolism, v. 58, n. Suppl. 1, p. 8-18, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-315