Emergências médicas e controle do medo e da ansiedade no ambiente odontológico / Medical emergencies and control of fear and anxiety in the dental environment

Caroline Mortagua Meireles Amaral, Monique Aparecida Dias Marsico, Davi Nascimento do Amaral

Abstract


Objetivo: Levando em consideração que as emergências médicas podem ocorrer dentro do consultório odontológico, devido a falta de planejamento e de técnicas que busquem o conforto do paciente no momento de tensão, esse estudo tem a finalidade de apresentar a importância de o cirurgião dentista se atentar ao nível de medo e ansiedade dos pacientes mediante ao tratamento e ao ambiente odontológico, pois quando essas emoções se tornam exarcebadas e descontroladas, é possível que gerem um quadro de intercorrência. Para a confecção desse estudo, foram utilizadas consultas à base de dado SCIELO, Google Acadêmico, PUBMED, MEDLINE e livros, embasados na seguinte pergunta “Quais as principais emergências médicas dentro do ambiente odontológico e como evitá-las?”. Métodos: a metodologia utilizada foi a revisão de literatura, cujo estudo possibilitou a perspectiva de um atendimento seguro, através do controle das emoções e o planejamento de um suporte adequado em casos de intercorrências no âmbito odontológico, suprindo as necessidades do paciente. Conclusão: É de extrema importância que o profissional odontológico leve em consideração o medo e nervosismo do indivíduo no ambiente clínico, uma vez que estes fatores podem levá-los a situações de emergências e colocar a vida dele em risco. Para isso, é necessário que o cirurgião dentista realize um atendimento individualizado e proporcione conforto desses paciente enquanto presentes no consultório, consequentemente reduzindo os riscos de uma situação incidente.


Keywords


emergências médicas, intercorrências, controle do medo e da ansiedade.

References


Fontoura RA. SOS Odonto- Emergências médicas. 1.ed. São Paulo: Napoleão; 2016.

Caputo IGC, Bazzo GJ, Silva RHA, et al. Vidas em risco: emergências médicas em consultório odontológico. Ver. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac. 2010 Sep 1; 10(3):51– 8.

Mota LQ, Farias DBLM, Santos TA. Humanização no atendimento odontológico: acolhimento da subjetividade dos pacientes atendidos por alunos de graduação em Odontologia. Rev odonto. 2012 Jan 23; 48(3):151–8.

Alves De Souza A, Henrique G, Theodoro F, et al. Medo e ansiedade no tratamento odontológico. [trabalho de conclusão de curso]. Minas Gerais: UNIVALE; 2018.

Filho RG, Neves CCA, Marzochi LML. Importância da anamnese para o manejo das possibilidades emergenciais em odontologia: uso da avaliação ASA. Rev biociên. 2005; 12(3): 170-3.

Haese RP, Cançado RP. Urgências e Emergências médicas em odontologia: avaliação da capacitação e estrutura dos consultórios de cirurgiões-dentistas. Rev. Cir. Traumatol. Buco-Maxilo-Fac. 2016; 16 (3): 31-9.

Possobon RF, Carrascoza KC, Alves de Moraes AB, et al. O tratamento odontológico como gerador de ansiedade dental. Psicol. Estud. 2007; 12(3): 609–16.

Santos AS, Ferrielo V, Terra Coelho GT. A situação de emergência e o conhecimento dos profissionais da odontologia no consultório odontológico. Journal of Biodentistry and Biomaterials. 2015; 5(3): 60-74.

Andrade ED, Ranali J. Emergências médicas em odontologia. 3ªed. São Paulo: Artes Médicas; 2011.

Lúcio PSC, Barreto R de C. Emergências médicas no consultório odontológico e a (in)segurança dos profissionais. RBCS. 2012 Apr 16; 16(2): 267–72.

Resende RG, Lehman LFC, Viana ACD, et al. Complicações sistêmicas no consultório odontológico: parte II. Arq odontol. 2009; 93–8.

Aquino Correia de Lima LM, Correia de Lima MA, Correia de Lima RC, et al. Manobras de desobstrução e acesso as vias aéreas nas emergências odontológicas. RSD journal. 2022 Jan 13; 11 (1): 2-11.

Silvestre Silva DG. Emergências médicas e protocolos medicamentosos na clínica odontológica: revisão de literatura. [trabalho de conclusão de curso]. João Pessoa: UFPB; 2019.

Gomes NML, Nunes IS, Cruz JHA, et al. Prevenção, diagnóstico e tratamento das emergências médicas no consultório odontológico: revisão Da literatura. Arch Health Invest. 2021; 10(4): 591-8.Esteves JC, Simão FB, Ricieri CB, et al. Assistência cirúrgico-odontológica a pacientes com história de infarto do miocárdio. Rev. Gaúch. Odontol. 2011; 59(2):285–91.

Alves C, Brandão M, Andion J, et al. Atendimento odontológico do paciente com diabetes melito: recomendações para a prática clínica. R.Ci.Méd.Biol. 2006; 5(2): 97- 110.

Bravin RBC, Campos Sobrinho ALP, Souza e Seixas MM. A importância do suporte básico de vida na odontologia. RFO UPF. 2018; 23(3): 371-6.

Victorelli G, Ramacciato J, Dias De Andrade E, et al. Suporte Básico de Vida e Ressuscitação Cardiopulmonar em adultos: conceitos atuais e novas recomendações. Rev. Assoc. Paul. Cir Dente. 2013; 67(2):124-8.

Nunes D, Cristiane C, De Carvalho B. Ansiedade relacionada ao tratamento odontologico [trabalho de conclusão de curso]. Brasília: UNICEPLAC; 2019.

Ramon De Moura Batista T, Ramos Vasconcelos LM, Vasconcelos MG, et al. Medo e ansiedade no tratamento odontológico: Um panorama atual sobre aversão na odontologia. Salusvita. 2018 Jul 23; 37 (2): 449-469.

Vieira CDP, Ferreira RB, Vieira LDS. O uso de estratégias lúdicas no manejo odontopediátrico - jaleco personalizado [trabalho de conclusão e curso]. Brasília: UNICEPLAC; 2021 Fev 4.

Monte IC, Dalcico R, Angelin Dias A, et al. Uso de métodos de controle do medo e da ansiedade odontológicos por cirurgiões-dentistas da cidade de Fortaleza. Braz. J. Of Develop. 2020; 6(8): 56894- 916.

Oliveira AEF, Haddad AE. Odontologia para pacientes com comprometimento sistêmico: doença renal crônica, diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica. São Luís: EDUFMA; 2018.

Santos RS, Silva SS, Vasconcelos TCL. Aplicação de plantas medicinais no tratamento da ansiedade: uma revisão da literatura. Braz.J. Of Develop. 2021; 7(5): 52060-74.

Soares De Lima A, Rodrigues De Araujo M. Prescrição medicamentosa: Manejo de pacientes ansiosos durante o atendimento odontológico [dissertação]. Curitiba: UFPR; 2020.

Gnatta JR, Dornellas EV, Silva MJP. O uso da aromaterapia no alívio da ansiedade. Acta paul. Enferm. 2011; 24(2): 257-63.

Oliveira de Carvalho Alcionéia M. Investigação das propriedades anticariogênicas de óleos essenciais: atividade antimicrobiana e caracterização química [dissertação de mestrado]. São José dos Campos: UNESP; 2012.

Andrei P, Peres A, Comune D. Aromaterapia e suas aplicações. CSP. 2005 Jun 28; 11(4): 57-68.

Oliveira Silva Machado C, Parreiras da Silva D. Aromaterapia no tratamento da ansiedade. Rev Saude em Foco. 2019: 1234-45.

Amanda Silva de Santana E, Klyscia Miranda Rocha E, José Nascimento de Souza T, et al. A utilização da musicoterapia no manejo para ansiedade odontológica. Congresso Nacional de Inovação em Saúde: CONAIS; 2021 Jul 9-11; Ceará. Plataforma Doity: SOCEPIS; 2021. 1-6.

Cunto Taets GG, Borba-Pinheiro CJ, Almeida de Figueiredo NM, et al. Impacto de um programa de musicoterapia sobre o nível de estresse de profi ssionais de saúde. Rev Bras Enferm. 2013; 66(3): 385-90.

Vale MCS, Carmargos VG, Loureiro DS, et al. O uso da música como estratégia de manejo comportamental em odontopediatria. EACAD. 2021 Oct 31; 2(3): 1-6.

Viviane A, Da Cunha S. Manejo do medo e ansiedade em odontologia: revisão de literatura [trabalho de conclusão de curso]. Maceió: CESMAC; 2019.

Araújo Scarlecio PL. Avaliação do uso de benzodiazepínicos em um município de médio porte do estado do paraná. [dissertação].Curitiba: UFPR; 2017.

Lafetá TMN, Medeiros MF, Brito LEM, et al. O emprego dos ansiolíticos da classe dos benzodiazepínicos na odontologia. Rev Intercâmbio. 2019 Aug 2; 14(0):87.

Allan ZF. Prescrição de benzodiazepínicos na implantodontia: revisão de literatura. [monografia]. Goiânia: FACSETE; 2018.

Cogo K, De Cássia Bergamaschi C, Yatsuda R., et al. Sedação consciente com benzodiazepínicos em odontologia. Rev. odontol. Univ. Cid. São Paulo. 2006; 18(2):181–9.

Pacoal Dias OMGF, Dias Costa AMD, Terra FS, et al. Controle da ansiedade em Odontologia: enfoques atuais. Rev. Bras. Odontol. 2008; 65 (1): 118-21.

Martins Figueiredo A. A sedação consciente no controle da ansiedade em odontologia. [trabalho de conclusão de curso]. Tubarão: UNISUL; 2018.

Ladewig VM, Ladewig SFAM, Silva MG, et al. Sedação consciente com óxido nitroso na clínica odontopediátrica. Odontol Clín- Cient. 2016 Jun; 15(2): 91–6.

Costa Neta MC. O uso do óxido nitroso/oxigênio na clínica odontológica. [trabalho de conclusão de curso]. Campina Grande: UEPB; 2014.

Augusto dos Santos Soares D, Santos Soares A, Márcia Viana Wanzeler A, et al. Sedação com óxido nitroso como adjuvante em procedimentos odontológicos. [trabalho de conclusão de curso]. Pará: CESUPA; 2013.

Nazario TB. Uso da sedação consciente com óxido nitroso e oxigênio na odontologia [trabalho de conclusão de curso]. Uberlândia: UFU; 2020.

Domingues SS. A hipnose como auxílio no controle do medo e da ansiedade na odontopediatria [trabalho de conclusão de curso]. Guarapuava: UNIGUAIRACÁ; 2020.

Fernandes DR, Santos De Oliveira DG, Dias Ferraz F, et al. O uso da hipnose na odontologia. [trabalho de conclusão de curso]. Minas Gerais: UNIVALE; 2020.

Peixoto LSF, Menezes de Lima IF, Pimentel LG, et al. Hipnoterapia como aliada terapêutica no controle da ansiedade odontológica. JAOC. 2021 Apr; (6): 0.

Eleutério ASL, Oliveira DSB, Júnior ESP. Homeopatia no controle do medo e ansiedade ao tratamento odontológico infantil: revisão. Rev. Odontol. Univ. Cid. São Paulo. 2011; 23(3): 238-44.

Spezzia S. Aplicabilidade da homeopatia na odontologia. Rev Cienc Odonto. 2021 Set; 6(1): 92-5.

Soler S. Uso de medicamento homeopático no controle da ansiedade e medo em pacientes odontológicos. [trabalho de conclusão de curso]. Santa Catarina: UFSC; 2018.

Morais SR, Lima FO, Moura ABR, et al. Aplicação da homeopatia na Odontologia: Uma revisão de literatura. Res Soci Dev. 2021 Jul 11; 10 (8): 2-8.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-371