Saúde pública: o cuidado de enfermagem no atendimento de casos de violência de gênero / Public health: nursing care in the care of cases of gender violence

Adelina Ferreira Gonçalves, Eline Aparecida Vendas Righetti, Sabrina Ferreira Furtado Magrin

Abstract


A violência de gênero não afeta apenas a saúde das pessoas que a sofrem, mas também representa um grande problema de saúde pública. Este estudo tem como objetivo conhecer os procedimentos de detecção e intervenção precoce da violência de gênero na Enfermagem da Atenção Básica. Para isso, realizou-se uma revisão bibliográfica, utilizando fontes primárias e secundárias na coleta de informações. O estudo ressalta a importância de construir e manter uma rede de apoio social (profissionais de saúde e de segurança, familiares, amigos) para as mulheres vítimas de violência. Isso permitirá uma abordagem abrangente das consequências desse problema e das necessidades das vítimas. Com tudo isso, consegue-se uma melhora na autoestima da paciente, o que a auxilia no enfrentamento da situação, aumenta sua autonomia na tomada de decisões, minimiza complicações e a prepara para agir em caso de perigo extremo. As intervenções de enfermagem atuam na prevenção, detecção e tratamento da violência de gênero. Assim, recomenda-se uma formação mais específica dos enfermeiros, além de um estudo mais aprofundado sobre as chaves da abordagem, eficácia dos protocolos e ações realizadas.


Keywords


enfermagem, violência de gênero, atenção primária.

References


ACOSTA, D. F., GOMES, V. L. O., OLIVEIRA, D. C., MARQUES, S. C., & FONSECA, A. D. (2018). Representações sociais de enfermeiras acerca da violência doméstica contra a mulher: estudo com abordagem estrutural. Rev. Gaúcha Enferm., 39: e61308. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-1447.2018.61308

AMARIJO CL, GOMES VLO, GOMES AMT, FONSECA AD, SILVA CD. Representação social de profissionais de enfermagem acerca da violência doméstica contra a mulher: abordagem estrutural. Rev Enferm UERJ. [Internet]. 2017; 25(2). Ver em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/23648/22019 DOI: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2017.2364

BALBINOTTI, Izabele. A violência contra a mulher como expressão do patriarcado e do machismo. REVISTA DA ESMESC, v. 25, n. 31, p. 239-264, 2018.

BRASIL. Secretária de Políticas para as Mulheres. Lei Maria da Penha nº 11.340, de 7 de agosto de 2006.Cria mecanismo para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Brasília. Edição 2012; 40p.

DELZIOVO CR, COELHO EBS, D’ORSI E, LINDNER SR. Violência sexual contra a mulher e o atendimento no setor saúde em Santa Catarina – Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2018 [cited 2018 Feb 07]; 23(5):1687-96. Ver em: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018235.20112016.

DUARTE BAR, JUNQUEIRA MAB, GIULIANI CD. Vítimas de Violência: atendimento dos profissionais de enfermagem em Atenção Primária. REFACS [Internet]. 2019 7(3):401-411. Disponível em: inserir link de acesso.

GOMES VLO, SILVA CD, OLIVEIRA DC, ACOSTA DF, AMARIJO CL. Violencia domestica contra a mulher: representações de profissionais de saúde. Revista Latino-Am. Enfermagem jul-ago. 2015; 23(4):718-24.

LIMA, Paula Beatriz de Morais Arcanjo; PAIVA, Anelly Bárbara Feitosa de P; DINIZ, Antonia Emanuelle de Oliveira; ANDRADE, Damysle Kelyta Praxedes de; CAVALCANTE, Eliabio Aminadabe da Silveira; ROSÁRIO, Samara Sirdenia Duarte do. Ações da enfermagem diante da violência de gênero na atenção primária em saúde. CATUSSABA – Revista Científica da Escola de Saúde, Ano 4, n° 1, p. 11-16, out. 2014/ jan. 2015.

LIRA, Kalline Flávia S.; BARROS, Ana Maria de. Violência contra as mulheres e o patriarcado: um estudo sobre o sertão de Pernambuco. Revista Ágora, Vitória, n. 22, 2015, p. 275-297.

LIRA, Kalline Flávia Silva de; CASYTRO, Ricardo Vieiralves de. A violência contra as mulheres na representação de profissionais da saúde. Diaphora, v. 9 n. 2 (2020).

MARTINS, M. de C. V.; BATISTA, A. C.; DIVINO, A. E. do A. A SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO A MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA. Caderno de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde - UNIT - SERGIPE, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 113, 2018. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/cadernobiologicas/article/view/5130. Acesso em: 20 out. 2021.

MELLO. Adriana Ramos de. Comentários à Lei de Violência Doméstica e Familiar contra a mulher. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2009.

MIRANDA, Ana Paula Chaves de; GONZÁLEZ, Ana Maria dos Santos Rodrigues de; FRAGA, Everliny Fraga; DITTZ, Erika da Silva. Violência contra a mulher: percepções de profissionais da saúde de uma maternidade. REME - Rev Min Enferm. 2021; 25:e-1389.

MOURA MAV, ALBUQUERQUE NETTO L, LEITE FMC, LIMA FRSL, TEIXEIRA SVB. Mulheres que denunciam violência de gênero em uma Unidade de Polícia Pacificadora. Rev Eletrônica Enferm. 2013; 15(3):628-37.

NETTO, Leônidas de Albuquerque; PEREIRA, Eric Rosa; TAVARES, Joyce Martins Arimatea Branco; FERREIRA, Dennis de Carvalho; BROCA, Priscilla Valladares. Atuação da enfermagem na conservação da saúde de mulheres em situação de violência. REME – Revista Mineira de Enfermagem, volume 22: E 1149, 2018.

OLIVEIRA, Alessandra Floriano da Silva; EMANUELLE, Tayssa; BARRETO, Carla Alessandra. O cuidar em enfermagem à mulher vítima de violência sexual. Revista Saúde em Foco – Edição nº 11 – Ano: 2019.

RODRIGUES VP, OLIVEIRA GL, MACHADO JC, SIMÕES AV, PIRES VMMM, MORAIS RLGL. Assistência à saúde da mulher em situação de violência doméstica: revisão integrativa. Rev. Saúde. Com 2018; 14(1): 1121-1129. DOI 10.22481/rsc.v14i1.538.

SAFFIOTI, Heleieth Iara Bongiovani. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2004.

SANTOS, Jhéssica Aparecida de Jesus dos PASSOS, Sandra Godoi. Conhecimento dos profissionais de enfermagem acerca da ficha de notificação compulsória em relação a violência contra a mulher. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 4 n. 9 (2021).

SIGNORELLI MC, AUAD D, PEREIRA PPG. Violência doméstica contra mulheres e a atuação profissional na atenção primária à saúde: um estudo etnográfico em Matinhos, Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2013 [cited 2018 Jan 15];29(6):1230-40.

SILVA EB, PADOIN SMM, VIANNA LAC. Violência contra a mulher e a prática assistencial na percepção dos profissionais da saúde. Texto Contexto Enferm. 2015; 24(1):229-37. Disponível em: http://dx.doi. org/10.1590/0104-07072015003350013.

SILVA NNF, LEAL SMC, TRENTIN D, VARGAS MAO, VARGAS CP, VIEIRA LB. Atuação dos enfermeiros da atenção básica a mulheres em situação de violência. Enferm. Foco 2017; 8 (3): 70-74.

SOUZA, T. M. C. & REZENDE, F. F. Violência contra mulher: concepções e práticas de profissionais de serviços públicos. Est. Inter. Psicol., 9(2), 21-38. 2018. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/eip/v9n2/a03.pdf

VALDÉS, Carmen et al. Violencia de género: conocimientos y actitudes de las enfermeras en atención primaria. En: Atención Primaria. 2016, vol. 48, núm. 10, p. 623-631.

VIEIRA LB, SOUZA IEO, TOCANTINS FR, PINA-ROCHE F. Support to women who denounce experiences of violence based on her social network. Rev Latino-Am Enferm. 2015; 23(5):865-73. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692015000500865&script=sci _arttext&tlng=pt

VISENTIN, Fernanda, et al. Women's primary care nursing in situations of gender violence. En: Invest Educ Enferm. 2015, vol. 33, núm. 3, p. 556-564.

WHO - World Health Organization (‎2020)‎. COVID-19 and violence against women: what the health sector/system can do, 7 April 2020. World Health Organization. .

XAVIER, AAP; SILVA, EG. Assistência de enfermagem no atendimento de mulheres em situação de violência na Atenção Básica. Revista Iniciação Cient Ext. 2019; 2(Esp.2):293-300.ífica




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-383