Competências tecnológicas na base nacional comum curricular (BNCC) do ensino médio: reflexões a partir da filosofia da tecnologia / Technological competencies in the common national curricular base (BNCC) for high school: reflections from the philosophy of technology

Hugo Lanz Costa, Vilson Leonel

Abstract


A presente proposta de pesquisa tem por objetivo analisar as “competências tecnológicas” conforme previstas para os itinerários formativos do novo Ensino Médio brasileiro, apresentando a concepção filosófica de tecnologia presente na nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), implementada a partir de janeiro de 2020 no Brasil. O método de investigação utilizado serviu-se de pesquisa bibliográfica e documental, de cunho exploratório e interpretativista, segundo os parâmetros da metodologia da Análise de Conteúdo de Bardin. O termo tecnologia apresentou variações conceituais que oportunizaram análise acerca das principais vertentes filosóficas que subsidiam a Filosofia da Tecnologia como nascente ramo da própria Filosofia. As interseções analíticas concomitantes à Filosofia da Educação, trouxeram à tona a concepção filosófica de tecnologia presente nos itinerários formativos do Ensino Médio e, desta forma, restou clara a assertividade da abordagem crítica da Escola de Frankfurt conforme instrumentalizada por Andrew Feenberg. Assim, a reforma do Ensino Médio em questão enseja a tecnologia como eficiente instrumento de formatação e adequação do sujeito à ordem vigente, desnudando daí, o fenômeno de reificação social, ao invés de servir ao desenvolvimento da autonomia crítica do sujeito como escopo educacional.


Keywords


base nacional comum curricular, ensino médio, tecnologia, filosofia da tecnologia, poder, autonomia crítica, reificação social

References


ARMENDANE, Geraldo das Dôres de; SILVA Adenilson Felipe Sousa. Filosofia da tecnologia: uma nova área de interesse de estudo da filosofia. Revista de Filosofia Temática, Belém, v. 1, n. 2, p. 54-65, jul. dez. 2018. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2020.

BARBOSA, Leila Cristina Aoyama. A filosofia da tecnologia e a formação de professores da educação profissional: algumas reflexões, Revista EIXO, Brasília, DF, v.2 n.2, jul./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BORGMANN, A. Technology and the character of contemporary life. A philosophical inquiry. Chicago/Londres, The University of Chicago Press, 1984.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2018]. Disponível em: . Acesso em: 12 julho 2020

BRASIL. Lei n. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, DF: Presidência da República, [2018]. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. DF: Presidência da República, [2019]. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2020.

BUNGE, M. Treatise on basic philosophy. Dordrecht, Reidel, 1985d. Tomo 7: Philosophy of science and technology.

CUPANI, Alberto. Filosofia da tecnologia: um convite. 3. ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2016.

CUPANI, Alberto. A tecnologia como problema filosófico: três enfoques. Scientiae Studia, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 493-518, dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2020.

FEENBERG, A. Transforming technology. A critical theory revisited. Oxford, Oxford University Press, 2002.

FREITAS, Carlos Cesar Garcia; SEGATTO, Andrea Paula. Ciência, tecnologia e sociedade pelo olhar da Tecnologia Social: um estudo a partir da Teoria Crítica da Tecnologia. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 302-320, jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 out. 2020.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Filosofia da Educação. 3a ed. São Paulo : Cortez, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-388