Moradas de Sonhos: estudo de caso entre a Casa de Cacos de Louça (Contagem), e a Casa Invertida (Ribeirão das Neves), tendo como eixo norteador o conceito de educação patrimonial / Moradas de Sonhos: a case study between the Casa de Cacos de Louça (Contagem), and the Casa Invertida (Ribeirão das Neves), using the concept of heritage education as the guiding axis

Adilson dos Reis Nobre, Maria Alice de Paula Freitas, Camila Cardoso Brito

Abstract


O presente artigo apresenta os resultados de uma pesquisa conduzida no contexto do Programa de Iniciação Científica Junior, da Fundação de Ensino de Contagem, quando foi realizado um estudo comparado entre a Casa de Cacos de Louça, na cidade de Contagem, e a Casa Invertida, na cidade de Ribeirão das Neves, tendo como eixo norteador o conceito de educação patrimonial. O objetivo foi oportunizar um estudo dessas duas produções arquitetônicas locais, feitas por artistas populares autodidatas, que exerceram seu ofício de modo espontâneo, intuitivo, razão de seus trabalhos não se enquadrarem, de forma rigorosa, em nenhum dos estilos consagrados na história da arte. Buscou-se discutir e refletir sobre o conceito de educação patrimonial tendo esses dois bens culturais locais como referências e possibilidades de reflexões e leituras mais amplas. Para discutir com os achados do trabalho empírico, além do conceito de educação patrimonial, buscou-se referenciais teóricos provenientes do campo da arte, principalmente os conceitos de arquitetura espontânea e arte popular. Do ponto de vista metodológico, valeu-se tanto da abordagem quantitativa, quanto da qualitativa, tendo como instrumentos de coleta de dados entrevistas semiestruturadas, bem como da pesquisa bibliográfica e exploratória, para identificação e levantamento do acervo artístico da Casa de Cacos de Louça e da Casa Invertida, que foram objetos de análise.


Keywords


arquitetura espontânea, arte popular, educação patrimonial.

References


ANDRADE, Vagner Luciano de. Ribeirão das “Trevas” e a desconstrução dos estereótipos em Neves. In: Pensar a Educação em Pauta – um jornal para a Educação Brasileira. Ano 6 – n.º 224 / sexta feira, 30 de novembro de 2018. Disponível em: http://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/ribeirao-das-trevas-e-a-desconstrucao-dos-estereotipos-em-neves/. Acessado no dia 09 de dezembro de 2018.

ALDEIA, João. Investigar o fenómeno dos sem-abrigo. Em defesa de uma política ontológica declarada e preocupada. Revista Crítica de Ciências Sociais, 1997, p. 133-154.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 6.ª ed. São Paulo: Moderna, 2016.

AZEREDO, Verônica Gonçalves. Significados da Casa e do Morar. In: Vértices, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro. V.18, n.2, p. 207-219, mai/ago. 2016.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras et al. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Museu Imperial, 1999.

LACERDA, Aroldo Dias et al. Patrimônio Cultural em Oficinas: atividades em contextos escolares. 1. Ed. Belo Horizonte: Fino Traço, 2015.

SANTOS, Anderson Cunha. Patrimônio Cultural e História Local: a educação patrimonial como estratégia de reconhecimento e fortalecimento do sentimento de pertença à cidade de Contagem. Dissertação - (Mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Educação. Orientador: Bernardo Jefferson de Oliveira. Belo Horizonte, 2017.

SILVA, Fernando Pedro da. Arte Pública: diálogo com as comunidades. Belo Horizonte: C/Arte, 2005.

SILVA, Gilson Rodrigues Mariano da. Casa de Cacos: Potencialidades educativas. In: Por dentro da História - Revista de Educação Patrimonial. Contagem: Prefeitura Municipal de Contagem, 2015 – N.º 6.

UM HOMEM, um sonho: e nasceu uma Casa de Cacos, ESTADO DE MINAS, 1.º caderno. 01 de set. 1974.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-488