Avaliação da qualidade de vida em portadores de doenças crônicas no sul do Brasil / Quality of life evaluation in patients with chronic diseases in southern Brazil

Bruna Scherer Seibert, Lucas Franzoni, Juliana Raquel Raasch, César Augusto Miorelli Campos, Tainara Gomes Vargas, Larissa Selbach Dries, Magda Susana Perassolo

Abstract


Este artigo avalia a qualidade de vida (QV) em portadores de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Vale do Sinos, sul do Brasil, e verifica quais os fatores que interferem na sua QV. Foi realizado um estudo transversal com portadores de DCNT, avaliando dados referentes às características gerais, sócio-demográficas e clínicas. A QV foi avaliada pelo Whoqol- Bref, a adesão à farmacoterapia através da escala de Morisky-Green (MG) e Brief Medication Questionnaire (BMQ) e a atividade física através do questionário Internacional de Atividade Física (IPAC) versão curta. Foram avaliados 229 portadores de DCNT (191 mulheres e 38 homens, com 62±11 anos). A maioria dos pacientes era não tabagista (83,41%), não etilista (99,13%), irregularmente ativos A e B (27,6; 26,3% respectivamente) e apresentavam sobrepeso (41,5%). Os escores de QV foram maiores no domínio psicológico (17,6±3,06) e menores no domínio meio ambiente (14,05±2,29). Quanto à adesão à terapia medicamentosa no teste de MG, 56,2% foram classificados como não aderentes, sendo 31,6% não aderentes intencionais. Em relação ao BMQ evidenciou-se um equilíbrio entre provável adesão e baixa adesão (27,5%). Observou-se correlação positiva entre a prática de atividade física e os escores de QV. Neste estudo a prática de atividade física representou significativamente uma melhora nos domínios de qualidade de vida, trazendo à tona a importância de hábitos de vida mais saudáveis.


Keywords


qualidade de vida, doenças crônicas, adesão à terapia medicamentosa, atividade física.

References


Brasil, Ministério da Saúde; Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Editora MS, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2019.

Brasil, Ministério da Saúde; Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Ediora MS, 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2019.

Preto O, Amaral O, Duarte J. Chaves C, Coutinho M, Nelas P. Quality of life and chronic disease in patients receiving primary health care. The European Proceedings of Social & Behavioral Sciences 2016; [S.l.], 217-26.

Camargo MCS, Gonzaga MR. Viver mais e melhor? Estimativas de expectativa de vida saudável para a população brasileira. Cad Saúde Pública 2015; 31 (7): 1460-1472.

Rodrigues AP, Rodrigues WP, Nogueira TBSS, Souza WJ, Sousa MNA. Qualidade de vida em pacientes portadores de doenças reumáticas. Rev Bras Edu Saúde 2019; 9(1): 6-13.

Fleck MP, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, Pinzon V. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida. Rev Saúde Pública 2000; 34 (2): 178-83.

Morisky DE, Green LW, Levine DM. Concurrent and Predictive Validity of a Self-Reported Measure of Medication Adherence. Medical Care 1986; 24 (1): 67-74.

Mantovani MF, et al. The use of The Brief Medication Questionnaire in medication accession of hypertensives. J Nursing 2015; 9 (1): 84-90.

World Health Organization (WHO) ICD-11: International Classification of Diseases 11th Revision. 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 junho 2019

WHO Collaborating Centre for Drug Statistics Methodology. Guidelines for ATC classification and DDD assignment. 22. ed. Oslo, 2018. Disponível em: . Acesso em: 17 maio 2019.

Jr Batista AM. Atenção farmacêutica a idosos portadores de doenças crônicas no âmbito da atenção primária à saúde. Infarma 2018; 30 (2): 95-101.

Kasper M, Vargas TG, Santos AS, Raasch JR, Betti AH, Perassolo MS. Adesão à terapia medicamentosa e qualidade de vida de usuários de uma unidade de saúde da família de Novo Hamburgo – RS. RBFHSS 2017: 8 (4): 11-17.

Malta DC, Bernal RTI, Neto EV, Curci KA, Pasinato MTM, Lisbôa RM, Cachapuz RF, Coelho KSC. Tendências de fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis na população com planos de saúde no Brasil de 2008 a 2015. Rev Bras Epidem 2018: 21 (1): 1-14.

Mineto DR, Campos CAM, Raasch JR, Suyenaga ES, Perassolo MS. Medication adherence among users of medicinal plants in South Brazil. Lat Am J Pharm 2018; 37 (11): 2229-38.

Maués CR, Fernandez MM, Nunes QP, Gomes ACC, Nascimento LP, Lima AKM, Navarro SWC. Análise do uso de medicamentos em idosos. Rev Elet Acervo Saúde 2019: 34: 1356-66.

Oliveira, P.C.G. Atuação do enfermeiro junto aos indivíduos com sobrepeso e obesidade na atenção primária à saúde. 2018. 110 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Saúde Curso de Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2018.

Fukushima RLM, Costa JLR, Orlandini FS. Atividade física e a qualidade de vida de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Fisioterapia e Pesquisa 2018; 25 (3): 338-44.

Malta DC, Bernal RTI, Lima MG, Araújo SSC, Silva, MMA, Freitas MIF, Barros, MBA. Noncommunicable diseases and the use of health services: analysis of the National Health Survey in Brazil. Rev Saúde Pública 2017: 51 (supl. 1): 4s.

Liberato SMD, Souza AJG, Gomes ATL, Medeiros LP, Costa IKF, Torres GV. Relação entre adesão ao tratamento e qualidade de vida: revisão integrativa da literatura. Rev Elet Enferm 2014: 16 (1): 191-8.

Nelas P, Coutinho M, Chaves C, Duarte J, Amaral O, Preto O. Quality of life and chronic disease in patients receiving primary health care. The European Proceedings of Social & Behavioral Sciences 2016; [S.l.]: 217-26.

Alencar DC,Filho PFL, Neiva, MJLM, Alencar AMPG, Moreira WC, Ibiapina ARS. Dimensões da qualidade de vida afetadas negativamente em pessoas vivendo com Diabetes Mellitus. Rev Online Pes Cuid Fund 2019; 11 (1): 199-204.

Pereira DN, Tolentino GP, Soares V, Venâncio PEM. Qualidade de vida de pessoas com doenças crônicas. Cinergis 2017; 18 (3): 216-221.

Moser AM, Brotto AM, Liebi PA, Kintopp RE, Fonseca AMG. Qualidade de vida de idosos residentes em instituições em Portugal e Brasil. 2019. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2019.

Dahmer L. Avaliação da qualidade de vida de pacientes hipertensos e diabéticos. Revista Contexto & Saúde 2015; 15 (28): 41-9.

Paula GR, Souza BN, Santos L, Barbosa MA, Brasil VV, Oliveira, LMAC. Qualidade de vida para avaliação de grupos de promoção da saúde. Rev Bras Enferm 2016; 69 (2): 242-249.

The Whoqol Group. The World Health Organization Quality of Life Assessment (WHOQOL): development and general psychometric properties. Soc Sci Med 1998; 46: 1569-85.

Moreira RM, Mascarenhas CHM, Boery EM, Sales ZN, Boery RNSO, Camergo CL. Avaliação psicométrica da qualidade de vida de adolescentes escolares. Adolesc. Saúde 2014; 11 (4): 15-22.

Martins LM, França APD, Kimura, M. Qualidade de vida de pessoas com doença crônica. Rev LA Enferm 1996; 4 (3): 5-18.

Lins SMSB, Leite JL, Godoy S, Tavares, JMAB, Rocha RG, Silva RVC. Adesão de portadores de doença renal crônica em hemodiálise ao tratamento estabelecido. Acta Paulista de Enfermagem 2018; 31 (1): 54-60.

Santos SLF, Oliveira CPA, Costa VA, Pessoa CV, Barros CVNT. Aplicação do teste de Brief Medication Questionnaire na adesão ao tratamento anti-hipertensivo. Revista da Universidade Vale do Rio Verde 2019; 17 (1): 1-8.

Magnabosco P, Teraoka EC, Oliveira EM, Felipe EA, Freitas D, Alves LMM. Análise comparativa da não adesão ao tratamento medicamentoso da hipertensão arterial sistêmica em população urbana e rural. Rev. Latino-Am. Enfermagem 2015; 23 (1): 20-27.

Vidmar MF, Potulski AP, Sachetti A, Silveira MM, Wibelinger LM. Atividade física e qualidade de vida em idosos. Saúde e Pesquisa 2017; 4 (3): 417-24.

Merquiades JH, Agra JAHM, Albuquerque AMD, Costa RC, Navarro AC. A importância do exercício físico para a qualidade de vida dos idosos. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício 2009; 3 (18: 597-614.

Ferretti F, Beskow GCT, Slaviero RC, Ribeiro CG. Análise da qualidade de vida em idosos praticantes e não praticantes de exercício físico regular. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento 2015; 20 (3): 729-43.

Battaglinni C, Battaglini B, Bottaro M. The effects of physical exercise on cancer: a review. Revista Digital. 2003; 57, Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd57/cancer.htm>Acesso em: 02 novembro 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n5-506