Governança, instituições e capital humano: impactos sobre o crescimento econômico e a desigualdade dos países em desenvolvimento / Governance, institutions, and human capital: impacts on economic growth and inequality in developing countries

Anderson José de Oliveira Fontes Filho, José Alexandre Ferreira Filho

Abstract


Os diferentes níveis de renda per capita entre países em desenvolvimento e as mudanças da taxa de crescimento econômico em função do tempo e do espaço foram os principais motivadores da presente pesquisa. O objetivo principal deste trabalho é verificar empiricamente como as variáveis institucionais e de governança influenciam as diferenças nos níveis de renda per capita entre nove países em desenvolvimento (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Chile, Coréia do Sul, Taiwan, Cingapura e Hong Kong). Para isso, foi utilizada uma análise econométrica com a renda per capita como variável dependente e o capital físico, capital humano, comércio internacional e sete variáveis institucionais e de governança como variáveis independentes. Além disso, também foram realizados testes de correlação entre a renda per capita e o capital humano e as variáveis institucionais e de governança. Os resultados encontrados sugerem que há indícios de que países com instituições mais estáveis e previsíveis e governos mais eficientes, estáveis e menos democráticos podem favorecer um aumento do nível de renda per capita. E, de forma geral, elevados níveis de renda per capita estão associados à boa governança. A conclusão que tiramos com os resultados é que instituições políticas e econômicas são mais interdependentes do que os economistas gostariam, pois grupos com poder econômico favorecem grupos com poder político e vice-versa em detrimento dos interesses da maior parte da população. Ou seja, há uma certa dificuldade em estabelecer instituições que favoreçam o crescimento econômico sustentável e menos dependente do cenário internacional.


Keywords


renda per capita, instituições, governança, distribuição de renda, capital humano.

References


ACEMOGLU, D.; JOHNSON, S.; e ROBINSON, J.; Institutions as the Fundamental Cause of Long-Run Growth in Aghion, P. e Durlauf, S. (eds.).Handbook of Economic Growth. Princeton University Press.2005

COX,G. e McCUBBINS,M. The Institutional Determinants of Economic Policy Outcomes. In Haggard,S. e McCubbins,M. (eds.). Presidents, Parliaments and Policies. Cambridge. Cambridge University Press. 2001.

FERREIRA FILHO, J. Economic Growth and Changes in Policies: The Role of veto Players in Latin American and East Asian Countries. Institute of Latin America Studies. Columbia University. New York. Working Paper. 2009. Disponível em http://ilas.columbia.edu/images/uploads/workingpapers/Filho-%20Economic%20Growth%20and%20Changes%20in%20Policies.pdf

HALL, R. e JONES,C. Why do Some Countries Produce so Much Output per Worker than Others ? Quarterly Journal of Economics, v, 114, n. 1, p. 83-116. 1999.

LUCAS, R. On The Mechanics of Economic Development . Journal of Monetary Economics, v. 22, n. 1, p. 3-42. 1988.

PIKETTY, T. The capital in the XXI Century. MIT Press. Cambridge.2014

ROMER , P. Increasing Returns and Long Run Growth. Journal of Political Economy , v. 94, n. 5, p. 1002-1037. 1986.

______ Endogenous Technological Change. Journal of Political Economy. v. 98, n. 5, p. 71-102. 1990.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-015