Práticas adequadas de descarte de medicamentos em nível domiciliar: revisão sistemática / Proper disposal practices of medicines at the household level: systematic review

Adson Osvaldo Lima dos Santos, Carlos Bruno da Silva, Luan Almeida Costa, Tatiane Araújo Moreira

Abstract


INTRODUÇÃO: A população em sua maioria não possui informações de que resíduos de medicamentos tem substâncias que prejudicam a saúde e despejam de qualquer forma, os lugares mais comuns são as pias, vasos sanitários e lixo doméstico. Os tratamentos de água convencionais não removem os fármacos, pois possuem propriedades químicas com baixa biodegradabilidade e alto potencial de bioacumulação e contaminam o solo, rios, lagos e águas subterrâneas. OBJETIVO: Avaliar as práticas adequadas de descarte de medicamentos em nível domiciliar. MÉTODOS: Realizou-se um estudo de revisão sistemática baseado nos critérios PRISMA. Foi feita uma busca de artigos científicos, publicados na base de dados online da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), Pubmed, Scielo. Foram excluídos os artigos com duplicidade, revisões bibliográficas, que não estavam dentro do período de busca e artigos que estavam fora do objetivo ou do tema proposto pelo presente estudo. RESULTADOS: A aquisição de uma quantidade maior que o necessário reflete no estoque de medicamentos nos domicílios e em descarte inadequado, devido a essa inadequação de descarte de medicamentos, a aparição de fármacos em solos e águas vai ser evidente. Por isso, torna-se importante a dispensação correta evitando futuras contaminações ao meio ambiente.CONCLUSÃO: Este estudo demonstra a importância do farmacêutico com a sociedade na dispensação e orientação quanto ao uso dos medicamentos, e todos os benefícios de proteção que essas práticas podem proporcionar para a sociedade e meio ambiente.


Keywords


armazenagem de medicamentos, descarte de medicamentos em domicílio, boas práticas farmacêuticas, contaminação ambiental.

References


ALENCAR, Tatiane de Oliveira Silva et. al. Descarte de Medicamentos: uma análise da prática no Programa Saúde da Família. Ciência e Saúde Coletiva, Bahia, p. 2157-2166, jun./jul. 2013.

BRASIL. Decreto n° 10.388 de 5 de junho de 2020. Dispõe sobre o sistema de logística reversa de medicamentos vencidos ou em desuso, de uso humano, industrializados e manipulados e suas embalagens após descarte pelos consumidores. Brasília, p. 1-3, 2020.

Agencia Nacional de vigilância Sanitária-ANVISA. Resolução – RDC Nº 222, de 28 de Março de 2018. Regulamenta as Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de saúde e dá outras providências. Diário da União, Brasília, DF, 29 de Março de 2018.

CONSTATINO, Viviane Macedo et. al. Estoque e descarte de medicamentos no domicílio: uma revisão sistemática. Ciência e Saúde Coletiva, São Paulo, p. 585-594, dez/20117-jun/2018.

CRIPPA, Anelise et. al. Descarte Correto de Medicamentos: construção de uma cartilha educativa. Saúde em Redes, v. 3, n. 1, p. 7-17, 2017.

FERREIRA, Claudiney Luís; RODRIGUES, Schirlene Campos; SANTOS, maria Aparecida dos. Análise do Conhecimento da População Sobre Descarte de Medicamentos em Belo Horizonte – Minas Gerais. Interface Científicas – Saúde e Ambiente, Minas Gerais, v. 3, n. 2, p. 9-18, out./dez. 2014.

KALINKE, Alana Chiapetti; JUNIOR, Luiz Martins. Descarte de Medicamentos: Situação Atual, Impactos e Conhecimento da População. Saúde e Pesquisa, v. 7, n. 3, p. 525-530, ago./dez. 2014.

PINTO, Glaucia Maria Ferreira et. al. Estudo do Descarte Residencial de Medicamentos Vencidos na Região de Paulínia (SP), Brasil. Eng Sanit Ambient, v. 19, n. 3, p. 219-224, jul./set. 2014.

RAMOS, Hayssa Moraes Pintel et. al. Descarte de Medicamentos: Uma Reflexão Sobre os Possíveis Riscos Sanitários e Ambientais. Ambiente e Sociedade, São Paulo, v. 20, n. 4, p. 149-174, out./dez. 2017.

SILVA, Ana Paula Rodrigues Florêncio da; LEÃO, Vonivaldo Gonçalves. Descarte de Medicamentos e Seus Impactos à Saúde e Meio Ambiente. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research - BJSCR, Rondônia, v. 28, n.4, p. 92-96, set./nov. 2019.

SOARES, Paula Andrea Oliveira; ROSA, Caroline Caribé Nolasco. Descarte de Medicamentos: Um Problema de Saúde Pública. Mosaicum, p. 159-167, jan./jun. 2018.

CALDERÓN, Juan Martin; TARAPUES, Monica. Medicamentos e vencidos em domicílio, seu armazenamento e descarte representam um problema de saúde pública?. Saúde Coletiva, p. 1-10, mai./out. 2021.

JAFARZADEH, Adineh et. al. Armazenamento de medicamentos, desperdício e determinantes associados entre domicílios urbanos: uma revisão sistemática e meta-análise de pesquisas domiciliares. BMC Public Health, p. 1-15. 2021.

TENI, Fitsum Sebsibe et. al. Uma pesquisa domiciliar de práticas de armazenamento de medicamentos na cidade de Gondar, noroeste da Etiópia. BMC Public Health, p. 1-9. 2021.

MANOCHA, Sachin et. al. Práticas atuais de descarte de medicamentos não utilizados e vencidos entre público geral em Delhi na Índia. Bentham Science Publishers, v. 14, p. 1-7, abri./set. 2019.

SALGADO, Mariana A. R. et. al. Avaliação do risco ambiental potencial do destino de medicamentos: um estudo epidemiológico e toxicológico. DARU de Ciências Farmacêuticas, p. 1-11, mai./dez. 2020.

SILVESTRE, Julio et. al. Frequência de práticas inseguras de armazenamento, uso e descarte de opioides entre pacientes com câncer que se apresentam ao departamento

de emergência. Biblioteca da Universidade da Colômbia, p. 1-6, jul. 2015/mar. 2016.

WIECZORKIEWICZ, Sarah M. et. al. Atrás de portas fechadas: armazenamento

e descarte de medicamentos em casa. The Annals of Pharmacotherapy, vol. 13, p. 482-489, abri. 2013.

UDOFIA, Emilia Asuquo et. al. Resíduos médicos sólidos: um estudo transversal de práticas de descarte doméstico e danos relatados no sul de Gana. BMC Public Health, p. 1-12. 2017.

LYSTLUND, Stefanie et. al. Participação do paciente em programa de devolução de medicamentos de farmácia com base e clínica. Journal of the American Pharmacists Association, p. 280-284, mai./jun. 2014.

BETTINGTON, Emilie et. al. Quando um medicamentos é indesejável, como é descartado e como pode ser promovido o descarte seguro? Australian Health Review, p. 1-9. 2017.

MWITA, Stanley et. al. Práticas de descarte de medicamentos impróprios em organizações não governamentais, hospitais e postos de medicina privados localizados em Mwanza, Tanzânia. Jornal of Environmental and Public Health, p.1-6, out. 2018/jan. 2019.

ALGETAMI, Ashwag et. al. Avaliação das práticas de manuseio, armazenamento e descarte de medicamentos anticancerígenos orais entre pacientes com câncer e seus cuidadores em ambiente domiciliar no Centro de Oncologia Princesa Noorah. Journal of Oncology Pharmacy Practice, p. 1-6. 2020.

SONOWAL, Supriya et. al. Levantamento de conhecimento, atitude e prática de consumidores em um hospital sobre o descarte de medicamentos não utilizados. Journal of Basic and Clinical Pharmacy, vol. 8, p. 4-7, dez./fev. 2017.

GIDEY, Meles Tekie et. al. Conhecimento, atitude e prática de não utilizados e expirados, descarte de medicamentos entre pacientes que visitam Ayder Hospital Especializado Integral. Biomed Research International, p. 1-7, mai./ago. 2020.

MAHARAJ, Pooja et. al. Conhecimento e práticas de pacientes infectados pelo HIV sobre descarte de medicamentos entre pacientes que frequentam clínicas públicas de ARV em Kwazulu, África do Sul. BMC Public Health, p. 1-9, 2020.

AL-SHAREEF, Fatma et. al. Investigando o descarte de medicamentos vencidos e não utilizados em Raid, Arábia Saudita: um estudo transversal. International Clinical Pharmacy, p. 1-7, out. 2015/ mar. 2016.

FERNANDES, Mayra Rodrigues et. al. Armazenamento e descarte de medicamentos em farmácias caseiras: problemas emergentes para a saúde pública. EINSTEIN, p. 1-6, mar./out. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-019