Uso do amido de milho, farinha de arroz e farelo de cacau no desenvolvimento de produtos glúten free / Use of corn starch, rice flour and cocoa bran in the development of gluten free products

Jessanna Dias Sarques Bellini, Luíz Guilherme Malaquias da Silva, Maria das Graças de Souza Carvalho, Bethânia Elias Costa, José Antônio Dias Garcia, Aline Manke Nachtigall

Abstract


Nos últimos anos, tem-se observado uma relação direta do consumo de glúten com o aumento de casos de alergia e sensibilidade alimentar dentro da população em geral. Mediante a isso, o desenvolvimento de produtos panificados sem glúten continua sendo um desafio tecnológico, devido às mudanças sensoriais que resultam da ausência de glúten. Portanto, pesquisas envolvendo farinhas alternativas podem trazer resultados promissores para a indústria de alimentos. Objetivo: Revisar os periódicos científicos e descrever as características do amido de milho, da farinha de arroz e do farelo de cacau, para uso no desenvolvimento de produtos glúten free pela indústria de alimentos. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão exploratória, de artigos selecionados, nas plataformas da CAPES, Google acadêmico e Pub Med. Resultados: Os periódicos revisados neste estudo evidenciaram que o amido de milho possui alto valor nutritivo e suavidade, enquanto a farinha de arroz possui baixo potencial alergênico e o farelo de cacau é um alimento rico em fibras, fonte de compostos antioxidantes e proteínas. Considerações finais: A obtenção de produtos isentos de glúten, com alta aceitabilidade pelos consumidores, não constitui uma prática fácil para a indústria de alimentos. Mediante a isto, por intermédio dos periódicos consultados, demonstra-se que há potencial para o uso do amido de milho, farinha de arroz e do farelo de cacau na elaboração de produtos glúten free, proporcionando alternativas para substituição da farinha de trigo.


Keywords


farinha de trigo, celíacos, farinha da casca da amêndoa de cacau, subprodutos.

References


Amir, IZ, Hanida, HS & Syafiq, A. (2013). Development and physical analysis of high fiber bread incorporated with cocoa (Theobroma cacao sp.) pod husk powder. International Food Research Journal, 20 (3), 1301-1305.

Araújo, HMC, Araújo, WMC, Botelho, RBA & Zandonadi, RP. (2010). Doença celíaca, hábitos e práticas alimentares e qualidade de vida. Revista Nutrição, 23 (3), 467-474.

Arieta, P. (2014). Caracterização de produtos comerciais à base de amido de milho. Rio de Janeiro: UFRJ / Escola Politécnica, 9 (58), 1-38.

Aronsson, CA, Lee, HS, Liu, E, Uusitalo, U, Hummel, S, Yang, J, ... & TEDDY Study Group. (2015). Age at gluten introduction and risk of celiac disease. Pediatrics, Springfield, 135 (2) 239-245.

Assis, LD, Zavareze, EDR, Radünz, AL, Dias, Á, Gutkoski, LC & Elias, MC. (2009). Propriedades nutricionais, tecnológicas e sensoriais de biscoitos com substituição de farinha de trigo por farinha de aveia ou farinha de arroz parboilizado. Alimentos e Nutrição, 20 (1), 15-24.

Barros, HEA, Natarelli, CVL, de Carvalho Tavares, IM, de Oliveira, ALM, Araújo, ABS, Pereira, J. & Franco, M. (2020). Agrupamento nutricional de biscoitos elaborados com farinhas de casca de cacau, soja e banana verde por meio de métodos exploratórios. Food and Bioprocess Technology, 13 (9), 1566-1578.

Bessa, CC, Silva, LAD, Sousa, TMD, Silva, VMD, Galvão, MTG & Guedes, NG (2019). Controle de saúde de celíacos: análise segundo o modelo de promoção da saúde de pender. Texto e Contexto, 29 (1).

Bick, MA, Fogaça, ADO & Storck, CR. (2014). Biscoitos com diferentes concentrações de farinha de quinoa em substituição parcial à farinha de trigo. Brazilian Journal of Food Technology, 17 (2), 121-129.

Brasil. (2005). Regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos (Resolução RDC nº 263, de 22 de setembro de 2005). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil.

Caruso, VR. (2012). Mistura para o preparo de bolo sem glúten. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos. São Caetano do Sul: Centro Universitário do Instituto de Mauá de Tecnologia.

Catassi, C. (2015). Gluten Sensitivity. Annals of Nutrition and Metabolism, 67 (2), p.15-26.

CE – Comissão Europeia. (2014). Horizon 2020 em breves palavras: O programa quadro de investigação e inovação da UE. Luxemburgo: Serviço das Publicações das Comunidades Europeias, 40 p. Acesso em maio de 2021 em

Costa Filho, DV, Silva, A, Silva, P & Sousa, F. (2017). Aproveitamento de resíduos agroindustriais na elaboração de subprodutos.II Congresso Internacional de Ciências Agrárias – COINTER.

Djoussé, L, Hopkins, PN, North, KE, Pankow, JS, Arnett, DK & Ellison, RC (2011). Chocolate consumption is inversely associated with prevalent coronary heart disease: The National Heart, Lung, and Blood Institute Family Heart Study. Clinical Nutrition, 30 (2), 182–187.

Do Nascimento Filho, W & Franco, C. (2015). Avaliação do potencial dos resíduos produzidos através do processamento agroindustrial no Brasil. Revista Virtual de Química, 7 (6), 1968-1987.

Feddern, V, Durante, VVO, Miranda, MZD & Mellado, MDLMS. (2011). Avaliação física e sensorial de biscoitos tipo cookie adicionados de farelo de trigo e arroz. Brazilian Journal of Food Technology, 14 (4), 267-274.

Ferreira, S, Fernandes, P, Cardoso, SM & Wessel, DF. (2015). Subprodutos Agroindustriais. Boletim da Sociedade Portuguesa de Biotecnologia, 2, 9-11.

Ferreira, S, Ruiz, W & Gaspar-Cunha, A. (2014). Influência da temperatura de extrusão nas propriedades reológicas do bioplástico de glúten de trigo. Revista de Ciências Agrárias, 37 (1), 10-19.

FIB - Food Ingredientes Brasil. (2020). O amido e suas propriedades para o setor alimentício. Acesso em julho de 2021, em https://revista-fi.com.br/upload_arquivos/201606/2016060302306001466693820.pdf

Hera, E, Talegón, M, Caballero, P & Gómez, M. (2013). Influence of maize flour particle size on gluten-free breadmaking. Journal of the Science of Food and Agriculture, 93 (4), 924-932, 2013.

Jenkins, DJ, Wolever, TM & Jenkins, AL. (1988). Starchy foods and glycemic index. Diabetes Care, 11 (2), 149-159.

Koc, G, Doganay, S, Sevinc, E, Deniz, K, Chavhan, G, Gorkem, SB. & Aslan, D. (2017). A enterografia por ressonância magnética na doença celíaca pediátrica. Jornal de Pediatria, 93 (4), 413-419.

Mariani, M, Oliveira, VRD, Faccin, R, Rios, ADO & Venzke, JG (2015). Elaboração e avaliação de biscoitos sem glúten a partir de farelo de arroz e farinhas de arroz e de soja. Brazilian Journal of Food Technology, 18, 70-78.

Martínez, R, Torres, P, Meneses, MA, Figueroa, JG, Pérez-Álvarez, JA & Viuda-Martos, M. (2012).Chemical, technological and in vitro antioxidant properties of cocoa (Theobroma cacao L.) co-products. Food Research International, 49 (1), 39-45.

Medeiros, M & Lannes, S (2010). Propriedades físicas de substitutos do cacau. Ciência e Tecnologia dos Alimentos, 30 (1), 243-253.

Namatovu, F, Strömgren, M, Ivarsson, A, Lindgren, U, Olsson, C, Lindkvist, M & Sandström, O. (2014). Neighborhood conditions and celiac disease risk among children in Sweden. Scandinavian Journal of Public Health, 42 (7), 572-580.

Okiyama, D, Navarro, S & Rodrigues, C. (2017). Cocoa shell and its compounds: applications in the food industry. Food Science and Technology, 63, 103-112.

Okiyama, D. (2018). Reaproveitamento da casca da amêndoa de cacau para extração de gordura e biocompostos utilizando solventes alcoólicos. Tese de Doutorado em Ciências. Pirassununga: Universidade de São Paulo.

Oliveira, A & Curta, C. (2014). Cookie isento de glúten obtido com biomassa e farinha de banana (Musa paradisíaca) verde. Trabalho de conclusão de curso em Tecnologia em Alimentos. Francisco Beltrão: Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Pérez-Carrillo, E, Frías-Escobar, A, Gutiérrez-Mendívil, K, Guajardo-Flores, S & Serna-Saldívar, SO. (2017). Effect of maize starch substitution on physicochemical and sensory attributes of gluten-free cookies produced from nixtamalized flour. Journal of Food Processing, 2017, 1-6.

Petersen, J, Montserrat, V, Mujico, JR, Loh, KL, Beringer, DX, Van Lummel, M & Rossjohn, J. (2014). T-cell receptor recognition of HLA-DQ2-gliadin complexes associated with celiac disease. Nature Structural & Molecular Biology, 21 (5),480-488.

Queiroz, AM., Rocha, RFJD, Garruti, DDS, Valença da Silva, ADP & Araújo, ÍMDS. (2017). Elaboração e caracterização de cookies sem glúten enriquecidos com farinha de coco: uma alternativa para celíacos. Brazilian Journal of Food Technology, 20, e2016097.

Ricardino, IEF, Souza, MNC & da Silva Neto, IF. (2020). Vantagens e possibilidades do reaproveitamento de resíduos agroindustriais. Alimentos: Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, 1 (8), 55-79.

Ronda, F, Oliete, B, Gómez, M, Caballero, PA & Pando, V. (2011). Rheological study of layer cake batters made with soybean protein isolate and different starch sources. Journal of Food Engineering, 102 (3), 272-277, 2011.

Sampaio, U. (2017). Cereal matinal extrusado à base de arroz com adição de café torrado e micronizado e extrato de café crioconcentrado. Dissertação de Mestrado em Tecnologia dos Alimentos, Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

Santos, R. (2013). Possíveis aplicações biotecnológicas do extrato de cascas de cacau: mecanismo de ação, atividade antimicrobiana e não genotóxica. Tese de Doutorado em Genética e Biologia Molecular, Ilhéus: Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus.

Severo, MG, Moraes, K & Ruiz, WA. (2010). Modificação enzimática da farinha de arroz visando a produção de amido resistente. Química Nova, 33 (2), 345-350.

Silano, M, Agostoni, C, Sanz, Y & Guandalini, S. (2016). Infant feeding and risk of developing celiac disease: a systematic review. BMJ Open, 6 (1), 1-9.

Silva, A & Silva, M. (2019). Análise do processo de produção do amido de milho. VIII EEPA - Encontro de Engenharia de Produção Agro, 1-11.

Silva, RB, Fontes, CMA, Lima, PRL, Gomes, ODFM, Lima, LGLM, Moura, RCDA & Toledo Filho, RD.(2015). Cinzas de biomassa geradas na agroindústria do cacau: caracterização e uso em substituição ao cimento. Ambiente Construído,15 (4) 321-334.

Silva, T & Conti-Silva, A. (2016). Preference mappings for gluten-free chocolate cookies: Sensory and physical characteristics. Nutrition & Food Science, 46 (3), 374-387.

Souza, TAC, Júnior, MSS, Campos, MRH, Souza, TSC, Dias, T & Fiorda, FA (2013). Bolos sem glúten à base de arroz quebrado e casca de mandioca Semina. Ciências Agrárias, 34 (2), 717-728.

Torbica, A, Hadnađev, M & DapčevićHadnađev, T. (2012). Rice and buckwheat flour characterization and its relation to cookie quality. Food Research International, 48 (1) 277-283.

Uusitalo, U, Lee, HS, Aronsson, CA, Yang, J, Virtanen, SM, Norris, J & Adargh, D. Environmental Determinants of the Diabetes in the Young (TEDDY) study group. (2015). Gluten consumption during late pregnancy and risk of celiac disease in the offspring: the TEDDY birth cohort. The American Journal of Clinical Nutrition, Bethesda, 102 (5), 1216-1221.

Vieira, T. (2015). Efeito da substituição da farinha de trigo no desenvolvimento de biscoitos sem glúten. Brazilian Journal of Food Technology, 18 (4), 285-92.

Vilar, JS, Drummond, TM, de Oliveira, PBB & Silva, MPL.(2019). Composição físico-química e qualidade sensorial de biscoito de coco enriquecido com amido resistente. Magistra, 30, 296-305.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-023