As possibilidades e fragilidades do programa residência pedagógica para a aprendizagem docente no curso de pedagogia / The possibilities and weaknesses of the pedagogical residence program for teaching learning in the pedagogy course

Luzineide James, Rosenilde Nogueira Paniago, Adrielly Aparecida de Oliveira

Abstract


Este texto resulta da pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores de um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Tem como objeto de estudo a aprendizagem docente no Programa Residência Pedagógica (PRP).? Tem como objetivo identificar as fragilidades e possibilidades do PRP para a aprendizagem docente de estudantes de Pedagogia de uma instituição do sudoeste goiano. O estudo é de abordagem qualitativa e utilizou-se como metodologia a entrevista com seis residentes do curso de Pedagogia. Os resultados mostram que as possibilidades do PRP estão vinculadas à viabilização da relação teoria-prática e a vivências de diversas situações de aprendizagem docente à luz da teoria estudada. Já quanto às fragilidades, o estudo aponta que houve uma má distribuição das horas de regência e que, apesar da possibilidade de melhorias nos processos formativos dos cursos de licenciatura, o PRP também se alicerça em práticas de caráter reducionista, priorizando a prática em detrimento da teoria.


Keywords


programa residência pedagógica, relação teoria-prática, aprendizagem da docência, formação inicial de professores.

References


BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília.

BRASIL. Edital CAPES 06/2018 que dispõe sobre a Residência Pedagógica. Disponível em https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/01032018-Edital-6-2018- esidencia-pedagogica.pdf. Disponível em 20 de maio de 2018.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei Nº 227, de 2007 sobre a “residência educacional a professores da educação básica”, de autoria do Senador Marco Marciel. Disponível em: http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/80855. Acesso em: 15 de novembro de 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CP n. 1/2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP012002.pdf. Acesso em 27 de dezembro de 2020.

BRASIL. Resolução nº 2/2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Diário Oficial da União, Brasília, 2 de julho de 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file. Acesso em 27 de dezembro de 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

BARTELMEBS, R. C. Analisando os dados na pesquisa qualitativa. In: Metodologias de Pesquisa em Educação: horizontes metodológicos/Carmo Thum (org.). Rio Grande: Editora da FURG, 2013.

BUSSMANN, A. C; ABBUD, M. L, M. Trabalho docente. In: BRZEZINSKI, I. Profissão professor: identidade e profissionalização docente. Brasília: Plano Editora, 2002.

CANÁRIO, R. Escola – crise ou mutação? In: CONFERÊNCIA: ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO – TEMPOS DE FORMAÇÃO. 2001. Lisboa. Anais... Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001. Disponível em: http://www.gulbenkian.pt/publicacoes. Acesso em: 23 de outubro de 2020.

FARIA, J.B.; DINIZ-PEREIRA, J.E. Residência Pedagógica: afinal, o que é isso? Revista Educação Pública. Vol. 26, nº 68, p. 333- 356. Cuiabá, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido, 17ª. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GATTI, Bernadete Angelina. Grupo focal na pesquisa em Ciências Sociais e Humanas. Brasília: Líber Livro, 2005.

LEMOS, K. R. F; FRANÇA, S.M.M. Tornar-se professor: um olhar sobre a prática docente. In: BRZEZINSKI, I. Profissão professor: identidade e profissionalização docente. Brasília: Plano Editora, 2002.

LÜDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

LÜDKE, Menga. ANDRÉ, Marli E.D.A. A Pesquisa em educação: abordagens qualitativas.2 ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2013.

MIZUKAMI, M. G. N. Escola e desenvolvimento profissional da docência. In: GATTI, B. A. et al. Por uma política nacional de formação de professores. São Paulo: Unesp, 2013. Parte I, p. 23-54.

PANIAGO, R. N. Os professores, seu saber e seu fazer: elementos para uma reflexão sobre a prática docente. Curitiba: Appris, 2017.

PANIAGO, R.; NUNES, P. G.; BELISÁRIO, C. M. Residência pedagógica em um instituto federal: narrativa dos (des) caminhos formativos. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 12, n. 25, p. 67-80, 22 dez. 2020.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágios supervisionados e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência: duas faces da mesma moeda? Revista Brasileira de Educação. V. 24. São Paulo, 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782019240001. Acesso em 23 de outubro de 2020.

RODRIGUES, L. S. A formação de leitores literários na perspectiva histórico cultural: leituras em uma escola pública de Rio Verde – GO [manuscrito], UFG, 2018.

SILVA, K A C P; CRUZ, S P. A residência pedagógica na formação de professores: história, hegemonia e resistências. Momento: diálogos em educação, E-ISSN 2316-3100, v. 27, n. 2, p. 227-247, mai./ago, 2018.

TARDIF, M; LESSARD, C; GAUTHIER, C. Formação dos professores e contextos sociais. Porto: Rés, 2001.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 3 ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-022