Artigo 2: a organização do trabalho em uma instituição religiosa / The organization of work in a religious institution

Rafael Domenciano Silva, Kátia Barbosa Macêdo

Abstract


o objetivo do estudo foi analisar a organização do trabalho dos trabalhadores voluntários em uma instituição religiosa, enfocando as condições e relações socioprofissionais. Teve caráter descritivo e exploratório baseado na abordagem da psicodinâmica do trabalho. Foram realizadas entrevistas individuais com 12 voluntários e utilizou-se a análise clínica do trabalho. A instituição contava com uma infraestrutura satisfatória e com ambiente organizado e seguro. As relações dentro da instituição eram marcadas pela cooperação, comunicação e reconhecimento do trabalho. Havia sobrecarga de trabalho e falta de capacitação profissional. Com o início da pandemia o trabalho voluntário na instituição teve suas condições e relações de trabalho, que antes era de forma presencial, alteradas para as atividades remotas. Os trabalhadores voluntários vivenciaram novas adaptações e os debates dessas problemáticas foram realizados em grupo para reorganização das tarefas, trocas de equipes ou demandas e, nos casos de insatisfação, alguns buscaram atividades em outras instituições com a mesma formatação.


Keywords


psicodinâmica do trabalho, trabalho voluntário, organização do trabalho, pandemia.

References


ANJOS, M. B. Saliência dos papéis e conflito trabalho - não trabalho: impacto na satisfação com os papéis de vida. Mestrado (Dissertação) – Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações, Faculdade de Psicologia, Lisboa, 2013.

AREOSA, J. O trabalho como palco do sofrimento. International Journal on Work Condition, v. 15, p. 81-95, 2018.

ASSIS, D. T. F.; MACEDO, K. B. O Trabalho de Músicos de uma Banda de Blues sob o Olhar da Psicodinâmica do Trabalho. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 10, n. 1, jan./jun., 2010, p. 52-64. Disponível em: http://submission-pepsic.scielo.br/index.php/rpot/index Acesso em: 4 out. 2021.

BAUER, M. W. G.; GASKELL, G. (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BETIOL, M. I. S.; TONELLI, M. J. (1994). A mulher executiva e suas relações de trabalho. Revista de Administração de Empresas, v. 31, n. 4, p. 17-33, 1994.

BORGES, S. A. C. Territórios existenciais ético-estéticos em saúde coletiva. Fractal, Rev. Psicol., v. 27, n. 2, p. 107-113, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1984-0292/1012. Acesso em: 12 abr. 2021.

BRASIL. Lei no 7.352, de 28 de agosto de 1985. Institui o Dia Nacional do Voluntariado. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1980-1988/l7352.htm. Acesso em: 12 jan. 2022.

BRASIL. Lei nº 9.608, de 18 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre o serviço voluntário e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9608.htm. Acesso em: 12 jan. 2022.

CARVALHO, M. A. Prazer e sofrimento no trabalho de servidores de uma instituição federal de ensino superior. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade, Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, 2018. Disponível em: https://repositorio.unifei.edu.br/jspui/bitstream/123456789/1901/1/dissertacao_2019022.pdf. Acesso em: 12 abr. 2022.

COSTA, M. T. P.; BORGES, L. D. O.; BARROS, S. C. Condições de trabalho e saúde psíquica: Um estudo em dois hospitais universitários. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, v. 15, n. 1, p. 43-58, 2020.

DEJOURS, C. Note de travail sur la notion de souffrance. Plaisir et souffrance dans le travail. (Publié avec le concours du CNRS.), v. 1, p. 115-124, 1987.

DEJOURS, C. Conferências brasileiras: identidade, reconhecimento e transgressão no trabalho. São Paulo: Fundap, 1999.

DEJOURS, C. Addendum: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. In: LANCMAN, S.; SZNELWAR, L. I. (orgs.). Christophe Dejours: da psicopatologia à Psicodinâmica do Trabalho. Brasília: Paralelo 15, 2004.

DEJOURS, C. Da Psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. In LANCMAN, S.; SNELWER, L. I. (orgs.). Subjetividade, trabalho e ação. Revista Produção, v. 14, n. 3, p. 27- 34, 2004.

DEJOURS, C. A banalização da injustiça social. Tradução de LA Monjardim. 7. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

DEJOURS, C. O fator humano. 5. ed. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2007.

DEJOURS, C. Trabalho, tecnologia e organização: avaliação do trabalho submetida a prova do real, São Paulo: Blucher, 2008.

DEJOURS, C. Travail vivant: Travail et émancipation. Paris: Payot, 2009.

DEJOURS, C. Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. In: LANCMAN, S.; SZNELWAR, L. I. (org.). Tradução de Franck Soudant. Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. Rio de Janeiro: Fiocruz. Brasília: Paralelo 15, 2011.

DEJOURS, C. Psicodinâmica do trabalho e teoria da sedução. Psicologia em Estudos, v. 17, n. 3, p. 363-371, 2012.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do Trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E. Desejo ou Motivação? A Interrogação Psicanalítica sobre o Trabalho. In BETIOL, M. I. S. (org.). Psicodinâmica do Trabalho (pp. 33-43). São Paulo: Atlas, 2005.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da Escola Dejouriana à Análise da Relação Prazer, Sofrimento e Trabalho. Tradução de Maria Irene Stocco Betiol et al. São Paulo: Atlas, 2010.

DEJOURS, C.; BÈGUE, F. (2010). Suicídio e trabalho: o que fazer? Brasília, Paralelo 15, 2010.

FLEURY, A. R. D.; MACÊDO, K. B. A Clínica Psicodinâmica do Trabalho: teoria e método. In: K. B. Macêdo (org.). O Diálogo que Transforma: a clínica psicodinâmica do trabalho (pp.95-134). Goiânia: Editora da PUC Goiás, 2015.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios Contínua. 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/habitacao/17270-pnad-continua.html?=&t=o-Que-E. Disponível em: 10 jan. 2020.

LACAZ, F. A. C. Qualidade de vida no trabalho e saúde/doença. Ciênc. saúde coletiva, v. 5, n. 1, p. 151-161, 2000.

MACÊDO, K. B.; ROSSI, E. Z.; MENDES, A. M. et al. (2008). As vivências de prazer-sofrimento em trabalhadores de uma organização certificada pela SA8000. Revista estudos, Goiânia, v. 35, n. 5, p. 915-932, 2008.

OLIVEIRA, A. A. P. Análise documental do processo de capacitação dos multiplicadores do projeto “Nossas crianças: Janelas de oportunidades” no município de São Paulo à luz da Promoção da Saúde. Dissertação (Mestrado) – Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

OLIVEIRA, A. F. C. Indicadores de prazer e sofrimento em trabalhadores de enfermagem oncológica. Tese (Doutorado) – Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa PACCS, Programa de Pós-Graduação em Ciências do Cuidado da Saúde, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil, 2021. Disponível em: file:///C:/Users/user01/Downloads/18731-Article-231745-1-10-20210808.pdf. Acesso em: 23 jan. 2022.

OLIVEIRA, L. C.; PIMENTEL, B. Contexto histórico do voluntariado e a sua relevância para o terceiro setor no Brasil. Migalhas, n. 5355, 2020. Disponível em: https://www.migalhas.com.br/depeso/332536/contexto-historico-do-voluntariado-e-a-sua-relevancia-para-o-terceiro-setor-no-brasil. Acesso em: 12 abr. 2021.

ORGANIZACIÓN PANAMERICANA DE LA SALUD. OPAS. División de Promoción y Protección de la Salud. Salud de las Personas de Edad. Envejecimiento y salud: un cambio de paradigma. Rev Panam Salud Publica, v. 7, n. 1, p. 60-7, 2000.

GUIA DE SAÚDE MENTAL PÓS-PANDEMIA NO BRASIL. Instituto de Ciências Integradas. 2021. Disponível em: http://dasu.unb.br/images/Material_educativo/Guia_de_sade_mental_ps-pandemia_no_brasil.pdf. Acesso em: 12 abr. 2021.

RODRIGUES, A. L. Estresse e trabalho: aumenta a preocupação com o desgaste do trabalhador. Revista Proteção, Novo Hamburgo, MPF, v. 17, 1992.

SANTOS, R. M. Serviço voluntário e burocracia: a participação da sociedade civil no poder judiciário. Trabalho de conclusão de curso (Especialização) - Programa de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, 2006.

SILVA, R. D. Trabalho voluntário: uma revisão. Brazilian Journal of Health Review, v. 5, n. 2, p. 7947-7960, 2022. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/47270/pdf. Acesso em: 12 2022.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-031