Metodologias ativas e o ensino híbrido / Active methodologies and hybrid teaching

Renata Meira Ramos, Ícaro Uriel Brito França, Alcides Mariano Ribeiro, Aldovano Dantas Barbosa, Bruno Cesar Costa Ribeiro Mira

Abstract


O objetivo deste estudo é explicar, de maneira geral, o que seria metodologia ativa e como ela pode ser aplicada nos diferentes contextos escolares, com destaque no ensino híbrido que vem ganhando espaço na atualidade. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, exploratória com procedimentos técnicos, documentais e bibliográficos. O trabalho se ancora em referenciais como Behrens (2000), Berbel (2011), Brandão (2007), Levy (1999), Moran (2007), Periscinoto (2008) eTrevisani (2015). Os resultados enfatizam a importância da metodologia ativa e sua aplicação num contexto escolar de ensino híbrido.

 


Keywords


metodologias ativas, problematização, ensino-aprendizagem.

References


BACHIC, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (org). Ensino Hibrido: personalização e Tecnologia na Educação. Porto Alegre: Penso. 2015.

BEHRENS, Marilda Aparecida. A prática pedagógica e o desafio do paradigma emergente. Revista Brasileira de Estudos de Pedagogia, Brasília, v. 80, n. 196, p.383-403, set/dez. 1999. Disponível em: http://www.intaead.com.br/webinterativo/didatica/arq/09.A%20pr%E1tica%20pedag%F3gica.pdf. Acesso em: 20 de Ma. 2022.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2000.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011. Disponível em: file:///C:/Users/Icaro/Downloads/10326-49335-1-PB.pdf. Acesso em: 20 de Mai. 2022.

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. A sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. 1ª Ed. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

BOURDIEU, Pierre. Raisons pratiques. Paris: Seuil, 1994.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 2007.

CHRISTENSEN, Clayton M. O Dilema da Inovação. 1ª ed. São Paulo: M.Books, 2011.

GOLDFARB, Eliana Goldfarb; TORALLES-PEREIRA, Maria Lúcia. (2004). Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cadernos de Saúde Pública, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/mrrzr85SM93thZzwGFBm56q/?lang=pt. Acesso em: 20 Mai. 2022.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: 34, 1993.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 1ª ed. São Paulo: 34, 1999.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? Rio: Editora 34, 1996.

MORAES, Maria Cândida. O Paradigma educacional emergente. Campinas: Papirus,1997.

MORAN, José Manuel. Educação híbrida: Um conceito-chave para a educação hoje. In: BACICH, Lilian; NETO, Adolfo Tanzi; TREVISANI, Fernando de Mello. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2007.

NUÑEZ, Isauro Beltrán; RAMALHO, Betânia Leite. A Pesquisa-Ação como Estratégia de Formação Continuada de Professores: Uma Perspectiva de Atenção À Heterogeneidade. Silo.Tips. 2001. Disponível em: https://silo.tips/download/a-pesquisa-aao-como-estrategia-de-formaao-continuada-de-professores-uma-perspect. Acesso em: 20 de Mai. 2022.

PERISCINOTO, Alexandra. A geração Y Chega ao Mercado de Trabalho. Administradores.com, 2008. Disponível em: https://administradores.com.br/noticias/a-geracao-y-chega-ao-mercado-de-trabalho. Acesso em: 20 de Mai. 2022.

TEDESCO, Juan Carlos. O novo pacto educativo: educação, competitividade e cidadania na sociedade moderna. 1ª ed. São Paulo: Ática; 1995.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-034