Perfil dos casos de tuberculose em Pernambuco: análise dos casos, 2011 a 2020 / Profile of tuberculosis cases in Pernambuco: analysis of cases, 2011 to 2020

Claudia de Lima Rodrigues Souza, José Ulysses Rodrigues de Souza, Maria Vitória Alves Vila Nova, Brenda Fernanda Guedes, Michelly Cristina Rozeno, Daiany Rejane Florentino Soares, Maria Izabely Silva Pimentel

Abstract


A tuberculose é uma doença infecciosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis hominis. Em países em desenvolvimento como o Brasil, ela se mantém uma doença infectocontagiosa prevalente. O meio de transmissão da tuberculose ocorre a partir da eliminação de bacilos por via respiratória e sua infectividade está diretamente relacionada ao estado imunológico do indivíduo. O artigo tem como objetivo identificar o perfil dos casos confirmados de tuberculose, no período de 2011 a 2020 em Pernambuco. Trata-se de um estudo de campo observacional, descritivo, quantitativo e longitudinal, em um recorte temporal do período de 2011 a 2020. Foram coletados dados secundários oriundos do sítio eletrônico do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil (Datasus), especificamente do Sistema de Informação de Agravos e Notificação (SINAN). As variáveis foram padronizadas através de taxas por 100 mil, com as seguintes variáveis: sexo, raça/cor, faixa etária, escolaridade, forma e encerramento, analisados descritivamente por meio de valores absolutos e relativos. De acordo com os resultados observados nesta pesquisa, os casos de tuberculose em sua maioria ocorrem em homens pardos, com faixa etária entre 20 e 39 anos, com campo de escolaridade em branco (e seguido de 1ª a 4ª série do ensino fundamental), apresentando a forma clínica pulmonar e com situação de encerramento com cura alcançada.


Keywords


tuberculose, mycobacterium tuberculosi, indicadores de saúde, perfil epidemiológico.

References


ANDRADE H.S. et al. Avaliação do Programa de Controle da Tuberculose: um estudo de caso. Saúde Debate, 41, p. 242-258.

AZIMKA, N. Tratamento da Tuberculose: passado, presente e futuro. 2017. 32 f. Tese (Mestrado) - Curso de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Farmácia, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2017.

BARBOSA, I. R. et al. Análise da distribuição espacial da tuberculose na região Nordeste do Brasil, 2005-2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde, [S.L.], v. 22, n. 4, p. 687-695, 2013.

BARBOSA, D. R. M. et al. Aspectos socioculturais da Tuberculose e diálogo compolíticas públicas em saúde no Brasil. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Edição Especial, pag.1857-1867, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Doenças infecciosas e parasitarias: guia de bolso. 8ª ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico Especial de Tuberculose. 2020. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-de-turbeculose-2020.

BRAGA J. U., Herrero M. B., Cuellar C. M. Transmissão da tuberculose na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. Cad Saúde Pública. 27(7):1271-80, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v27n7/03.pdf

FERNANDES, T. S. et al. Estigma e preconceito na atualidade: vivência dos portadores de tuberculose em oficinas de terapia ocupacional. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 30, n. 1, 2020.

GOLDMANN, L.; Ausiello, D. C.: Medicina. 23ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, cap. 345, p. 2651-2653, 2011.

LEAL B. N., et al. Spatial analysis on tuberculosis and the network of primary health care. Rev Bras Enferm.72(5):1197-202, 2019.

NARD S. M. T., et al. Geoprocessamento em saúde pública: fundamentos e aplicações. Rev Inst Adolfo Lutz. 72(3):185-91, 2013. Disponível em: http://revistas.bvs-vet.org.br/rialutz/article/view/22284

Organização Pan-Americana da Saúde. Health in the Americas: 2012 Edition. Regional overview and country profiles. Washington: OPAS; 2012.

Organización Panamericana de la Salud (OPAS). La Renovación de la Atención Primaria de Salud em las Américas. Redes Integradas de Servicios de Salud. Conceptos, Opciones de Política y Hoja de Ruta para su Implementación en las Américas. Washington DC: OPAS; n. 4, 2010.

PILLER, R. V. B. Epidemiologia da Tuberculose. Pulmão, Rio de Janeiro, v. 1, n. 21, p. 4-9, jan. 2012.

PROCÓPIO M. J., Hijjar M. A., Porto O. M. Tuberculose. In: Procópio MJ. Prevenção & Controle. Rio de Janeiro: Quattri Desenhos; p. 40-55, 2008.

ROCHA, M. S. de P. et al. Mortalidade e prevalência da tuberculose pulmonar e extrapulmonar no município de Jataí/GO. Brazilian Journal Of Development, [S.L.], v. 6, n. 8, p. 61474-61487, 2020.

SAN P. A, Oliveira R. M. Tuberculose e indicadores socioeconômicos: revisão sistemática da literatura. Rev Panam Salud Publica, [S.L.], 33(4):294–301. 2013.

SANTOS-NETO, M. et al. Spatial analysis of deaths from pulmonary tuberculosis in the city of São Luís, Brazil. Jornal Brasileiro de Pneumologia, [S.L.], v. 40, n. 5, p. 543-551, 2014.

TAVARES, C. M. et al.Tendência e caracterização epidemiológica da Tuberculose em Alagoas, 2007-2016. Cadernos Saúde Coletiva, v. 28, n. 1, p. 107-115, 2020.

THRERON G et al. Feasibility, accuracy, and clinical effect of point-of-care Xpert MTB/RIF testing for tuberculosis in primary-care settings in Africa: a multicentre, randomised, controlled trial. The Lancet 2014; 383 (9915):424-435. https://doi.org/10.1016/S0140-6736(13)62073-5

TEIXEIRA, A. Q. et al. Tuberculose: conhecimento e adesão às medidas profiláticas em indivíduos contatos da cidade do Recife, Pernambuco, Brasil. Cadernos Saúde Coletiva, [S.L.], v. 28, n. 1, p. 116-129, mar. 2020.

World Health Organization. Global Tuberculosis Report 2019. Geneva: WHO; 2019. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/329368/9789241565714-eng.pdf?ua=1.

WHO. Global Tuberculosis Report 2014. Disponível em: http://www.who.int/tb/publications/global_report/en//.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-077