Sobre o envelhecimento contemporâneo: um ensaio a partir de uma revisão narrativa / On contemporary aging: an essay from a narrative review

Erica Vila Real Montefusco, Zuleika Araujo Souza, Jose Clerton de Oliveira Martins, Marcos Gonçalves Maciel

Abstract


Compreendemos que envelhecer é um processo que engloba diversas esferas, como a biológica,  psicológica, social e a cultural. Esferas estas que fazem parte do que se apreende enquanto envelhecimento. Levando em consideração as características do contexto contemporâneo, o presente estudo, de caráter teórico-exploratório, buscou identificar a produção acadêmica acerca da visão do envelhecimento na contemporaneidade. Com esse fim, foi realizada uma revisão narrativa de literatura sobre a temática nas bases de dados Scielo, LILACS e PePsic. Tais buscas apresentaram como critérios de inclusão artigos publicados entre os anos 2007 e 2018, no idioma português e inglês. Como resultado, foram selecionados oito artigos. Os principais resultados encontrados apresentam que envelhecer  na contemporaneidade é visto como algo indesejado, pois conduz à velhice, vista como uma condição secundária e desprivilegiada. Em meio à sociedade acelerada e cansada, o idoso é visto pelo senso comum como um “peso social”. Foi verificado também que que não existe um padrão único de apreensão do envelhecimento. Trata-se de um processo multifacetado e multifatorial,  para além da idade cronológica. O velho tem seu próprio tempo, seus movimentos e suas ações, e continua a se desenvolver continuamente. A velhice tem um ritmo de ser e estar no mundo que lhe é peculiar, e que vem ganhando novos contornos.


Keywords


envelhecimento, contemporaneidade, velhice, sociedade do cansaço.

References


Avelar, L. F. S., Oliveira Júnior, M. N. S. & Navarro, F. (2012). Influência do exercício físico na sintomatologia de mulheres climatéricas. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 15(3), 537-545.

Beauvoir, S. de. (1970/1990). A velhice. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira.

Benavente, Y. L, Sánchez, J. A., Sánchez, T. R., Cerezuela, M. B. L., Noguera, A. S., & Abellán, M. D. M. (2018). Difficulties and motivations for physical exercise in women older than 65 years: a qualitative study. Revista Latino-Americana de Enfermagem, (26), 40-50.

Caspersen, C. J., Powel, K. E., & Christenson, G. M. (1985). Physical activity, exercise, and physical fitness: definitions and distinctions for health-related research. Public Health, 100(2), 126-131.

Coradini, J. G., Silva, J. R. da., Comparin, K. A., Loth, E. A. & Kunz, R. I. (2012). Satisfação da imagem corporal e visão de idosas ativas sob a influência do exercício físico na sua autoimagem. Kairós Gerontologia, 15(5), 67-80.

Cordeiro, A. M., Oliveira, G. M., Renteria, J. M., & Guimarães, C.A. (2007). Revisão sistemática: Uma revisão narrativa.

Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, 34(6), 428-431. DOI: 10.1590/S0100-69912007000600012

Copatti, S. L., Kuczmainski, A. G., Ferreti, F. & Sá, C. A. (2017). Imagem corporal e autoestima em idosos: uma revisão integrativa da literatura. Estudos Interdisciplinares sobre Envelhecimento, 22(3), 47-62.

Debert, G. G. (2004) Em torno da velhice no asilo: memória e comunhão de destinos. In A Reinvenção da velhice: Socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: EdUSP/FAPESP.

Feijó, M. C. C. & Medeiros, S. A. R. (2011). A sociedade histórica dos velhos e a conquista de direitos de cidadania. Kairós Gerontologia, 14(1), 109-123.

Gomes Júnior, V. F. F., Brandão, A. B., Almeida, F. J. M. & Oliveira, J. G. D. (2015). Compreensão de idosos sobre os benefícios da atividade física. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 11(3), 45-51.

Le Breton, D. (2011). Antropologia do corpo e modernidade. Petrópolis: Vozes.

Martins, J. C. (2017). O envelhecimento é agora e enquanto vida for. In J. C. Martins & M. R. R. Lopes (Eds.), Envelhecer: tempo de recriar a vida (pp. 9-15). Curitiba: CRV

Montefusco, E. V. R. (2013). A negação do envelhecimento e a manutenção da juventude veiculados em revistas femininas: um estudo de psicologia social (dissertação de mestrado). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Moreira, V., & Nogueira, F. N. N. (2008). Do indesejável ao inevitável: a experiência vivida do estigma de envelhecer na contemporaneidade. Psicologia USP, 19(1), 59-79.

OMS [Organização Mundial de Saúde]. (2005). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília: OPAS.

Teixeira, S., Marinho, F. X. S., Cintra Junior, D. F., & Martins, J. C. O. (2015). Reflexões acerca do estigma do envelhecer na contemporaneidade. Estudos interdisciplinares sobre o envelhecimento, 20(2), 503-515.

Trench, B. & Rosa, T. E. C. (2008). Menopausa, hormônios, envelhecimento: discursos de mulheres que vivem em um bairro na periferia da cidade de São Paulo, estado de São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno-Infantil, 8(2), 207-216.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-129