Elaboração de jogo digital como recurso para estimulação da memória recente em idosos com Alzheimer / Developing a digital game as a resource for stimulation of recent memory in elderly with Alzheimer

Leila Valverde Ramos, Luana Santos Pires, Ana Carolina da Conceição Figueredo, Luzia Almeida de Oliveira Neumann, Isabela Cerqueira Barreto, Carina Oliveira dos Santos, Fúlvio Borges Miguel

Abstract


A Demência de Alzheimer (DA) é uma doença neurodegenerativa na qual ocorre disfunção neuronal e redução das sinapses, o que pode causar falhas nas redes neurais, com consequente perda da memória e declínio cognitivo. Nesse contexto, ressalta-se o importante papel dos jogos digitais como ferramenta de apoio ao estímulo da memória recente em idosos com DA. Desta forma, o objetivo do presente trabalho foi elaborar um jogo digital para auxiliar na estimulação da memória recente de idosos com DA, nas fases leve e moderada. Trata-se de uma pesquisa de produção tecnológica para a criação de um jogo digital, no aplicativo computacional Wordwall®, no formato de questionário online e gratuito, com estratégias de estímulo à memória recente, em idosos com DA. O jogo foi elaborado por estudantes do curso de Fisioterapia de uma Instituição de Ensino Superior (IES) privada, localizada em Salvador (BA). A simulação do jogo foi realizada durante uma aula online, mediante envio do link para um grupo de colegas da turma, via chat. Para jogar, cada participante associou uma imagem principal à outra exatamente igual, localizada à direita da tela. No final da partida, analisou-se o tempo das respostas, por intermédio de uma tabela com os resultados do jogo. Participaram desta demonstração piloto quatro jogadores, os quais evidenciaram que o jogo da memória com treze imagens foi exequível e possibilitou ajustes de jogabilidade para melhor adequação direcionada ao público específico. O jogo digital mostrou-se factível e ajustável no que se refere à usabilidade e jogabilidade, com vistas a uma melhor adequação direcionada aos idosos com DA, em partidas futuras.


Keywords


doença de alzheimer, idoso, jogos de computador; tecnologia digital.

References


ALVES, A. M.; SILVA-CALPA, G.; RAPOSO, A. B. Memorabilia: aplicativo de realidade aumentada para suporte a pessoas com transtornos neurocognitivos. In: Workshop de iniciação científica - Simpósio de realidade virtual e aumentada. Evento Online. Anais. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, p. 49-53, 2020.Disponível em: Acesso em: Dezembro 2021.

BONFIM, C. et al. Usabilidade de jogos digitais para idosos: dados preliminares de um estudo quase experimental com idosos de uma Universidade Aberta da Terceira Idade .SBC-Proceedings of SBGames, p.316-322, 2019. Disponível em: . Acesso em: Novembro 2021.

BOTTINO, C. et al. Reabilitação cognitiva em pacientes com doença de Alzheimer: relato de trabalho em equipe multidisciplinar. Arquivos de Neuro-psiquiatria, v. 60, p. 70-79, 2002. Disponível em:. Acesso em: Dezembro 2021.

CARON, J.; BIDUSKI, D.; MARCHI, A.C.B. AlzMemory-um aplicativo móvel para treino de memória em pacientes com Alzheimer. RECIIS-Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v.9, n.2, 2015. Disponível em: . Acesso em: Novembro 2021.

FOLSTEIN, M.; FOLSTEIN, S.; MCHUGH, P. “Mini-mentalstate”. A practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician.Journal of Psychiatric Research, v. 12, n. 3, p.189-198.1975. DOI: 10.1016/0022-3956(75)90026-6.

FOTUHI, S.N. et al.Memory-related process in physiological status and alzheimer's disease.Molecular Biology Reports, v. 47, n. 6, p. 4651-4657, 2020. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

GIL, H.; GONÇALVES, S. As Apps na aprendizagem ao longo da vida: população idosa com demências. In: Moreira, J., Gonçalves, V., Garcia-Valcárcel, A., GutiezCuevas, P. (Eds). VI Conferência Ibérica de Inovação na Educação com TIC. Porto: Universidade Aberta, p. 67-86, 2020. Disponível em:. Acesso em: Dezembro 2021.

GÓIS, J.C. A contribuição do jogo como recurso terapêutico na estimulação da linguagem e da memória em pacientes com Alzheimer. Simpósio de Neurociência Clínica e Experimental: Doenças Neurodegenerativas, v. 2, n. 2, 2021. Disponível em: . Acesso em: Novembro 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Projeção da população do Brasil e das unidades da federação. Rio de Janeiro: IBGE, 2022. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html. Acesso em: Maio 2022.

LANCASTER, C. et al.Gallery game: smartphone-based assessment of long-term memory in adults at risk of Alzheimer's disease.Journal of Clinical and Experimental Neuropsychology, v. 42, n. 4, p. 329-343, 2020. Disponívelem: . Acesso em: Dezembro 2021.

LEITE, A. Como usar jogos com pessoas com a doença de Alzheimer? REAB-o maior portal de reabilitação, 2014. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

LIMA, T.P. O.L.; SANTARÉM, C.A.; REBOUÇAS, O.B. The use of an educational digital game as a didactic instrument in the teaching-learning process of portuguese language and mathematics. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.3, p.24517-24530. feb/mar 2021. DOI:10.34117/bjdv7n3-248.

MA, S. 10 waysmobile sites are differentfromdesktop.Web Sites, 2014. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

MADUREIRA, B. G. et al. Efeitos de programas de reabilitação multidisciplinar no tratamento de pacientes com doença de Alzheimer: uma revisão sistemática. Cadernos Saúde Coletiva, v. 26, p. 222-232, 2018. Disponível em:. Acesso em: Dezembro 2021.

MANSUR, L. L. et al. Linguagem e cognição na doença de Alzheimer. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, Rio Grande do Sul, v. 18, n. 3, p. 300-307, 2005. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

MORAES, A. et al. Inclusão digital na terceira idade: uma revisão de literatura. Brazilian Journal of health Review. Curitiba, v. 3, n. 2, p.3231-3243, 2020. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

NIELSEN, J.; LORANGER, H. Usabilidade na web: projetando websites com qualidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

PILLON, A.E. et al. Digital games as an auxiliary tool in the quality of active aging. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v.6, n.9, p. 69454-69464, sep.2020. DOI:10.34117/bjdv6n9-407.

PIMENTEL, F. S. C. et al. A produção acadêmica brasileira sobre jogos digitais.Internet Latent Corpus Journal, Aveiro - Portugal, v 11, n 1, 2021. Disponível em: . Acesso em:Dezembro 2021.

PUGA, P.C.A.; BRAZ, L.A.L. Contribution of virtual rehabilitation in elderly. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v.6, n.10, p. 82084-82096, oct.2020. DOI:10.34117/bjdv6n10-586.

REIS, E. M.Vantagens e limitações de alguns instrumentos de rastreio cognitivo usados no Brasil na avaliação da demência. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, v. 6, n 11, p. 22-48, 2018. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

VALLADARES-RODRIGUEZ, S. et al. Design processandpreliminarypsychometricstudyof a video game todetectcognitiveimpairment in senioradults. Peer Journal, v. 5, e3508, 2017. Disponível em: . Acessoem: Dezembro 2021.

WEIL, J. et al. Digital inclusion of older adults during COVID-19: Lessons from a case study of older adults technology services (OATS). Journal of Gerontological Social Work. v. 64, n. 6, p. 643-655, 2021. Disponível em: . Acesso em: Dezembro 2021.

WHO-World Health Organization‎. Novel Coronavirus (‎2019-nCoV)‎: situation report, 1. World Health Organization, 2020. Disponível em: .Acesso em: Dezembro 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-148