Etnomatemática presente no conhecimento de trabalhadores da construção civil em obras na Cidade de Paracatu/MG / Ethnomathematics present in the knowledge of civil construction workers in works in the City of Paracatu/MG

Mariana Barros Peixoto, Adriano Eurípedes Medeiros Martins

Abstract


A etnomatemática pode ser definida como a forma pelas quais diferentes culturas (etno), ao longo da história, desenvolveram técnicas e ideias (tica) que possibilitasse o aprendizado em trabalhar com números em diferentes contextos e aplicações, a fim de explicar e compreender os fenômenos que ocorrem no contexto no qual se inseri (matema). Diante disso, este trabalho teve como objetivo investigar os aspectos da etnomatemática na construção civil, especificadamente: os serventes, pedreiros e possíveis mestres de obra. A fim de se obter informações tais como: idade, tempo de serviço, grau de instrução, o motivo para escolha desta profissão e outras. Para tanto, foi realizado uma entrevista que contou com vinte profissionais de oito obras em andamento na cidade de Paracatu, na região Noroeste do estado de Minas Gerais.  Além disso, a pesquisa contou com as observações registradas pelos pesquisadores. Por ser uma pesquisa que envolve seres humanos, total garantia de sigilo e confidencialidade foram garantidas, além de não existir perguntas de cunho religioso, ideologia política ou que atende contra a honra e a dignidade do ser humano. Os resultados obtidos apontaram que: todos os entrevistados eram do sexo masculino e possuíam somente o ensino fundamental incompleto; 60% possuem idade entre 26 a 50 anos; 50% possuem de 11 a 20 anos de profissão e 75% alegaram estar na profissão por falta de outra oportunidade. Logo, se faz necessário a criação de políticas públicas voltadas para valorizar a etnomatemática e estimular os trabalhadores que fazem uso dela a retomar seus estudos a fim de ampliar seus conhecimentos em relação à própria matemática no processo de aprendizagem.


Keywords


construção civil, etnomatemática, mestres de obra, pedreiros, serventes.

References


ANDRADE, U. H. S.; ZULMA, M. E. S. C.; MADRUGA, E. F. Etnomatemática na construção civil: conceitos matemáticos presentes nas ações de pedreiro. Kiri-Kerê: Pesquisa em Ensino, v.1, n.1, p. 134-153, 2018.

ANTIPOFF, R. B. F. A matemática mundana na construção civil: A resolução de problemas e a cognição situada. Revista Horizontes Interdisciplinares da Gestão – HIG, v.3, n.1, p. 53-68, 2019.

BAUM, P. D.; OTOMAR, D. R.; SCHIMITZ, R. M. C. A Matemática Informal: sua Aplicação no Canteiro de Obras por meio do Conhecimento Empírico. Perspectivas da Educação Matemática, v. 14, n. 36, p.1-20, 2021.

CIRÍACO, K. T. et al. Ações de ensino, pesquisa e extensão e suas potencialidades à promoção de práticas para a educação das relações étnico-raciais. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 7, p. 43178-43200, 2020.

CUNHA, A. C. Contribuição da etnomatemática para a manutenção e dinamização da cultura Guarani e Kaiowá na formação inicial de professores indígenas. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 28, n. 154, p. 1-24, 2020.

CUSTÓDIO, E. S. Currículo e ensino-aprendizagem da Matemática na educação ribeirinha no Amapá: um diálogo com a Etnomatemática. Ensino Em Re-Vista, v. 27, n.2, p.637-658, 2020.

D’AMBROSIO, U. Ethnomathematics and its place in the history and pedagogy of mathematics.For the Learning of Mathematics, v. 5, n. 1, p. 44-48, 1985.

D'AMBRÓSIO, U. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Revista Educação e Pesquisa, v. 31, p. 99-120, 2005.

FONSECA, S. S. et al. A etnomatemática na cultura da batata doce na aldeia indígena Tingui Botó/AL. Revista Extensão em Debate, v. 8, n.10, p. 1-12, 2021.

FRANCO, S.; MESQUITA, M. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 3, n. Especial, p. 84-95, 2021.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970.

GEROMEL MENEGHETTI, R. C.; SHINKAWA-DA-SILVA, G. Z.; FREITAS, A. B. F. M. Etnomatemática e a utilização da calculadora no contexto empreendimentos econômicos solidários. Revista Latinoamericana de Etnomatemática, v. 11, n.2, p. 52-75, 2018.

KAVALEK, D. S.; REIS, A. M. S. Nunca pensei que minha propriedade rural tivesse tanta matemática: a etnomatemática, a pedagogia da alternância e a educação do campo. Ensino em Foco, v.3, n.6, p. 19-31, 2020.

MANUEL, G. M. N.; MARTINES, M. C. S. Uma proposta didáctica para ensinar adição e subtração usando a etnomatemática (Angola). RECH- Revista Ensino de Ciências e Humanidades, v. 5, n. 2, p. 9-31, 2021.

MARCATTO, F. S. F.; ANDRADE, B. S. A Etnomatemática em uma Comunidade Rural do Sul de Minas Gerais. Research, Society and Development, v. 7, n.11, 2018.

MENDES, J. R.; MONTEIRO, A.; VICENTIN, M. Etnomatemática como resistência ao neoliberalismo que nos habita. Revista Interdisciplinar em Ensino de Ciências e Matemática, v. 1, n. 2, p. 3 – 19, 2021.

NARCISO, A. F.; VASQUEZ, E. L. Práticas laborais de indígenas Galibi-Marworno e modos de medir: pesquisa em etnomatemática. Science and Knowledge in Focus, v. 1, n. 1, p. 39-56, 2018.

OLIVEIRA, A. M. L.; VISEU, F. A. A percepção inicial da etnomatemática no ensino Proeja em dois contextos profissionais. Revista Eletrônica de Educação Matemática – REVEMAT, v. 15, n. 1, p. 01-22, 2020.

OLIVEIRA, J. P. M. et al. Os saberes e fazeres matemáticos na construção civil: por uma visão cultural e etnomatemática. Revista de Educação Matemática da UEG – REEMA, v. 1, n. 1, p. 113-130, 2020.

OLIVEIRA, O. P.; LACERDA, A. G.; FERREIRA, R. S. Etnomatemática: Uma experiência na casa familiar rural de Breves/PA. Revista Interdisciplinar, v.15, n. 24, p. 237-252, 2021.

OLIVEIRA, R. B. et al. A Vivência dos Catadores de Materiais Recicláveis presente na Escola: uma experiência Etnomatemática. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, v.13, N. 45. p. 763-772, 2019.

PRANKE, A.; FRISON, L. M. B.; FONSECA, M. S. Etnomatemática do contexto agrícola: Elaboração e resolução de problemas e matemática. Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 15, p. 01-17, 2020.

ROCHA. R. S. Instrumentos matemáticos na história da arquitetura. MÉTIS: história & cultura, v. 19, n. 37, p. 432-449, 2020.

RODRIGUEZ-NETO, C. et al. Etnomatemática y medidas. Un estudio con comerciantes de un mercado del suroeste mexicano. Tecné Episteme Didaxis, v.1, n. 51, p. 13-36, 2022.

ROSA, M.; OREY, D. C. Princípios da Educação Culturalmente Relevante em uma Perspectiva Etnomatemática. Revista de Educação Matemática, v.17, n.1, p.1-22, 2020.

SANTOS, A. M.; ARAÚJO, V. S. Matemática na Construção Civil. Revista Multidebates, v.4, n.4, p.167-181, 2020.

SANTOS, G. C. S. et al. Etnomatemática e economia solidária: o caso de um grupo de produtores de leite. Revista de Educação Matemática da UEG – REEMA, v. 1, n. 1, p. 98-112, 2020.

SANTOS, J. B. P.; LARA, I. C. M. História da matemática e etnomatemática: o ensino de progressões aritméticas. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v.11 n.3, p. 1-20, 2021.

,

SCHWANTES, V. et al. Uma reflexão sobre a etnomatemática do pedreiro e a matemática escolar. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, v. 14, n.1, p. 87-106, 2019.

SOUZA, L. J.; ALVES, R. S. Jogos na etnomatemática: um modo de ressignificar o olhar de áfrica em sala de aula. Em favor de igualdade racial, v.4 n. 1, p.102-115, 2021.

SOUZA, M. R. T.; SCHULZE, F. D. Capacitação da mão de obra na construção civil.

Ignis, v.8, n.2, p. 38-53, 2019.

SOUSA, O. S.; SOUSA, L. B. Concreto com conchas de mariscos: etnomatemática e construção civil, sustentabilidade e desenvolvimento socioeconômico. ReDiPE: Revista Diálogos e Perspectivas em Educação, v. 3, p. 123-141, 2021.

XAVIER, A. R. et al. Saberes populares, Etnomatemática e o uso de Jogos no ensino de Geometria. Research, Society and Development, v. 10, n. 1, p. 1-18, 2021.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-161