Quem cuida de quem cuida: um olhar para a equipe paliativista na área pediátrica / Who cares who cares: a look at the paliativist team

Gabrieli Ranolfi Tonso, Camila Heloise Nascimento de Jesus, Camila Heloise Nascimento de Jesus, Andréa Rizzo dos Santos, Andréa Rizzo dos Santos

Abstract


Cuidados Paliativos são definidos como uma abordagem de assistência que se caracteriza pelo alívio de sintomas e manutenção do bem-estar dos pacientes e seus familiares diante de doenças que ameaçam a continuidade da vida. No Brasil, a aplicação dos Cuidados Paliativos se dá desde o final da década de 1990, com maior distribuição dos serviços no Estado de São Paulo. A intervenção trata os sintomas de natureza física, social, emocional e espiritual, respeitando a integralidade do ser humano. Requer um trabalho de equipe multiprofissional, conhecimento e equilíbrio para lidar com a complexidade das demandas do cuidado, sobretudo quanto aos sentimentos diversos em relação à morte. Conhecer e retratar o cenário de trabalho da equipe de Cuidados Paliativos sob os aspectos de apoio e preparo psicológico da equipe, é, pois, o problema destacado nesta pesquisa. Este estudo teve por objetivo analisar a percepção de profissionais de cuidados paliativos, na área pediátrica, quanto a aspectos da formação e apoio para as intervenções. Trata-se de uma pesquisa descritiva, com análise qualitativa e participantes selecionados por critério de conveniência. O estudo foi desenvolvido em um hospital oncológico de uma cidade de grande porte do interior do Estado de São Paulo. Para a coleta de dados foi aplicada uma entrevista semiestruturada aos profissionais que atuavam em Cuidados Paliativos na referida instituição. Os resultados desta pesquisa mostraram que os profissionais que compõem a equipe paliativista não recebem suporte para o enfrentamento de desgaste emocional que o trabalho demanda. A equipe apontou sugestões de ações que poderiam ser implementadas pela instituição, dentre as quais a criação de espaços para discussão e reflexão sobre a morte. Considerando-se que os Cuidados Paliativos no Brasil se encontram em constante expansão, e levando em conta a importância do apoio para a equipe multiprofissional que atua nessa área de cuidado, a promoção de estudos que produzam reflexões voltadas ao aprimoramento técnico-cientifico dos Cuidados Paliativos neste campo de conhecimento têm impacto social direto e trazem subsídios para a formação do profissional de saúde.

 


Keywords


cuidados paliativos, equipe de assistência ao paciente, terapia ocupacional.

References


World Health Organization. Palliative Care: Key facts. 2018.

DA SILVA, D. I. Significados e práticas da espiritualidade no contexto dos cuidados paliativos em pacientes oncológicos adultos. Clinical&BiomedicalResearch, Porto Alegre, v. 31, n. 3, 2011.

COSTA, T. F.; CEOLIM, M. F. A enfermagem nos cuidados paliativos à criança e adolescente com câncer:revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 31, n. 04, dez. 2010.

OLIVEIRA, A. C.; SILVA, M. J. P.. Autonomia em cuidados paliativos: conceitos e percepções de uma equipe de saúde. São Paulo: Acta Paul Enferm, v. 23, n.2, 2010.

GOMES, A. L. Z.; OTHERO, M. B.. Cuidados paliativos. Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 88, p. 155-166, dez. 2016.

CUNHA, J. H. Os Significados da Morte para os Profissionais da Saúde Frente ao Cuidado à Pessoa com Câncer. 2017. 101 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Terapia Ocupacional, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2017.

PORTELA, S. G.; GALHEIGO, S. M. Cuidados paliativos na atenção domiciliar: a perspectiva de terapeutas ocupacionais. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, São Carlos, v. 23, p.15-29, 2015.

SILVA, A. F. et al. Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: percepções, saberes e práticas na perspectiva da equipe multiprofissional. Revista Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 56-62, 2015.

ARAÚJO, M. M. T. et al. Inteligência emocional no trabalho em equipe em cuidados paliativos. Revista Bioethikos, São Paulo, v.6, n.1, 2012.

ARRIEIRA, I. C. O. et al. Espiritualidade nos cuidados paliativos: experiência vivida de uma equipe interdisciplinar. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 52, n.3, 2018.

PERES, M. FP et al. A importância da integração da espiritualidade e da religiosidade no manejo da dor e dos cuidados paliativos. ArchivesofClinicalPsychiatry, São Paulo, v. 34, n. supl. 1, p. 82-87, 2007.

HABEKOST, D. C. et al. Cuidados paliativos na assistência hospitalar: a vivência de uma equipe multiprofissional. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 22, n. 4, 2013.

SILVEIRA, M. H.; CIAMPONE, M. H. T.; GUTIERREZ, B. A. O. Percepção da equipe multiprofissional sobre cuidados paliativos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 7-16, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2005.

CARVALHO, R. T.; PARSONS, H. A. Manual de cuidados paliativos ANCP. In: Manual de cuidados paliativos ANCP. 2012.

GARCIA-SCHINZARI, N. R.; SPOSITO, A. M. P.; PFEIFER, L. I. Cuidados Paliativos junto a crianças e adolescentes hospitalizados com câncer:o papel da Terapia Ocupacional. Revista Brasileira de Cancerologia, Ribeirão Preto, v. 59, n. 02, abr. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-181