O trabalho dos catadores de resíduos sólidos na percepção da comunidade Parque José Estevão, na cidade de Parnaíba - PI / The work of solid waste disposers in the perception of the Park José Estevão community in the city of Parnaíba - PI

Jakeline Rodrigues de Aquino Bezerra, Jairon Leite Chaves Bezerra, Sara Teles Reis, Luís Paulo Bresciani

Abstract


Este estudo apresenta a experiência vivenciada a partir do projeto de extensão "Catar para Transformar" do Instituto Federal do Piauí (IFPI), campus Parnaíba, que buscou discutir, junto com os catadores de resíduos sólidos da Comunidade Parque José Estevão, no município de Parnaíba-PI, a importância do catador bem como caracterizar esta atividade, na percepção dos próprios catadores. Visitas, oficinas e rodas de conversas foram realizadas na comunidade com temas sobre o trabalho do catador, questões ambientais, higiene, saúde e segurança no trabalho. Em Parnaíba, a existência do “lixão” ainda é uma realidade para o município. Nesse contexto, nota-se que a atuação do catador se dá de forma individual, muitas vezes autônoma, apesar da tentativa coletiva de formação de uma cooperativa. A experiência aqui relatada foi bastante significativa, à medida que buscou refletir sobre o trabalho de catação no “lixão” do Parque José Estevão, discutir junto com a comunidade e os catadores bem como servir de incentivo e proporcionar elementos para novas vivências e estudos com outros grupos de trabalhadores vulneráveis.


Keywords


catadores de materiais recicláveis, resíduos sólidos, trabalho.

References


ALENCAR, M. do C. B. de.; CARDOSO, C. C. O.; ANTUNES, M. C. Condições de trabalho e sintomas relacionados à saúde de catadores de materiais recicláveis em Curitiba. Rev. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 20, n. 1, p. 36-42, jan./abr. 2009.

ALMEIDA, J. R. et al. Efeito da idade sobre a qualidade de vida e saúde dos catadores de materiais recicláveis de uma associação em Governador Valadares, Minas Gerais, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, n. 6, p. 2169-2180, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1988.

BRAGA, N. L.; LIMA, D. M. A.; MACIEL, R. H. Não tinha trabalho, mas tinha reciclagem: sentidos do trabalho de catadores de materiais recicláveis. Temas psicol., Ribeirão Preto, v. 23, n. 4, p. 1051-1059, dez. 2015.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Classificação brasileira de ocupações. Brasília, 2002. Disponível em: . Acesso em 05 jan. 2017.

CARVALHO, M.A.; SILVA, C.R.L. Economia Internacional. 3 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

CASTILHOS JUNIOR, A. B. de et al. Catadores de materiais recicláveis: análise das condições de trabalho e infraestrutura operacional no Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2013, vol.18, n.11, pp.3115-3124.

CAVALCANTE, S.; FRANCO, M. F. A. Profissão perigo: percepção de risco à saúde entre os catadores do Lixão do Jangurussu. Revista Mal-Estar Subjetividade, Fortaleza, v. 7, n. 1, p. 211-231, 2007.

DIAS, S. M. Lixo e Cidadania: os impactos da política de resíduos sólidos de Belo Horizonte no mundo do trabalho do catador da ASMARE. Anais: Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, v. 13, p. 1-25, 2002.

FERREIRA, J. A.,; ANJOS L. A. dos. Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v.17, n. 3, p. 689-696, 2001.

FONSECA, M. D. et al. Os riscos relacionados ao ambiente e à atividade de coleta de resíduos sólidos urbanos. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 8, n. 5, p. 96-100, 2014.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2010.Rio de Janeiro: IBGE.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos da metodologia científica, 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LIMA e SILVA, P. P., GUERRA, A. J. T., & MOUSINHO, P. Dicionário brasileiro de ciências ambientais. Rio de Janeiro: Thex, 1999.

MACIEL, R. H. et al. Precariedade do trabalho e da vida de catadores de recicláveis em Fortaleza, CE. Arquivos brasileiros de psicologia. Rio de Janeiro, v. 63, n. 1, p. 71-82, 2011.

MIURA, P. C. Tornar-se catador: uma análise psicossocial. 2004. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17373. Acesso em: 12 agosto 2019.

POCHMANN, M. Desenvolvimento, trabalho e renda no Brasil: Avanços recentes no emprego e na distribuição dos rendimentos São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2010.

SAWAIA, B. B. Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e transformação social. Psicologia & Sociedade, v. 21, n. 3, p. 364-372, 2009.

SILVA, G. B.; COSTA, M. do S. C. Estudo dos riscos ocupacionais e implementação de propostas em educação aos catadores de resíduos recicláveis do lixão em Parnaíba, PI. X Simpósio de Produção cientifica. [2010] [cerca de 20p.]. Disponível em: . Acesso em: 12 agosto 2019.

SINGER, P.; SOUZA, A. R. A economia soliária no Brasil: autogestão como resposta ao desemprego. São Paulo: Contexto, 2000.

TOMAZI, N. D. Iniciação à Sociologia. 2 ed. São Paulo: Atual, 2000.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-212