Análise do impacto do ensino remoto e híbrido na aprendizagem, durante o período de prevenção ao Covid-19, no 4º Colégio da Polícia Militar - Maringá / Analysis of the impact of remote and hybrid education on learning, during the Covid-19 prevention period, at the 4th Military Police School - Maringá

Kelly Cristina Camargo Chagas

Abstract


Após a suspensão das aulas presenciais em decorrência do COVID-19, substituídas em caráter excepcional pelo ensino remoto, dificuldades foram enfrentadas pelo corpo discente e docente do 4º CPM ao adaptar sua rotina de estudo e trabalho nesta nova metodologia. O presente artigo objetiva analisar o impacto causado no ensino, bem como identificar medidas de enfrentamento ao prejuízo causado. Dentre as principais dificuldades, destacam-se a sobrecarga de trabalho dos educadores e a dificuldade de aprendizagem dos estudantes. Ressalta-se que a condição de acesso aos recursos tecnológicos influenciou na qualidade do ensino ofertado, sendo que tal discriminação opõe-se ao previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Com a retomada do ensino presencial, ações voltadas ao enfrentamento da lacuna na aprendizagem foram necessárias, com o engajamento de toda a comunidade escolar.


Keywords


Colégio da Polícia Militar, COVID-19, política pública em educação, ensino remoto, impacto.

References


ALMEIDA, R. L. de. Das relações entre educação e psicologia na perspectiva de uma educadora. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional. São Paulo, v. 16, n. 2, p. 341-348, julho/2012.

ALONSO, K. M.; SILVA, D. G. da. A educação a distância e a formação on-line: o cenário das pesquisas, metodologias e tendências. Educação & Sociedade, [S.L.], v. 39, n. 143, p. 499-514, junho/2018.

ÁLVAREZ, M., et al. Segregación Educativa en Tiempos de Pandemia: balance de las acciones iniciales durante el aislamiento social por el COVID-19 en Argentina. Revista Internacional de Educación Para La Justicia Social, [S.L.], v. 9, n. 3, p. 25-43, maio/2020.

BABBIE, E. Métodos de Pesquisa de Survey. 2. ed. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003.

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às ciências sociais. 5. ed. Florianópolis: Ed. UFSC, 2002.

BOLÍVAR, A. Equidad educativa y teorías de la justicia. Revista Iberoamericana sobre

Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 3, n. 2, p. 42-69, 2005.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1986. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. LDB. Brasília, 1996.

COBO, C. Acepto las condiciones. Usos y abusos de las tecnologías digitales. Madrid: Fundación Santillana, 2019.

COHEN, A. Analysis of student activity in web-supported courses as a tool for predicting dropout. Educational Technology Research and Development, [S.L.], v. 65, n. 5, p. 1285-1304, abril/2017.

DIAS, É.; PINTO, F. C. F. A Educação e a COVID-19. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [S.L.], v. 28, n. 108, p. 545-554, setembro/2020.

FREIRE, P. Conscientização e alfabetização: uma nova visão do processo. In: FÁVERO, Osmar (Org.). Cultura popular e educação popular: memória dos anos 60. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

______. Pedagogia do oprimido. 27. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

______. Carta de Paulo Freire aos professores. Estudos avançados, v. 15, n. 42, p. 259-268, 2001.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (org.). Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. 120 p.

GOULART, Í. Estudos exploratórios em Psicologia organizacional e do Trabalho. Psicologia do trabalho e gestão de recursos humanos: estudos contemporâneos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

IESALC. COVID-19 y educación superior. De los efectos inmediatos al día después. Análisis de impactos, respuestas políticas y recomendaciones. 2020. Disponível em: . Acesso em: 9 ago. 2021.

KHATIB, A. S. El. Aulas por Videoconferência: uma solução para o distanciamento social provocado pela COVID-19 ou um grande problema? Revista EDaPECI - Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais, São Cristóvão, v. 20, n. 3, p. 26-45, set.-dez./2020.

LION, C. Los desafíos y oportunidades de incluir tecnologías en las prácticas educativas. Análisis de casos inspiradores. Buenos Aires: IIPE, 2019.

MAIA, B. R.; DIAS, P. C. Ansiedade, depressão e estresse em estudantes universitários: o impacto da covid-19. Estudos de Psicologia. Campinas, v. 37, p. 1-8, abril/2020.

MEIRIEU, P. La escuela después... ¿con la pedagogía de antes? MCEP, 2020. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2021.

OLIVEIRA, J. B. A. e; GOMES, M.; BARCELLOS, T.A Covid-19 e a volta às aulas: ouvindo as evidências. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [S.L.], v. 28, n. 108, p. 555-578, setembro/2020.

PARANÁ. Resolução nº 1.522/2020 - GS/SEED, de 03 de maio de 2020. Estabelece em regime especial as atividades escolares na forma de aulas não presenciais em decorrência da pandemia causada pela COVID-19. Curitiba, 2020.

______. Resolução nº 1.111/2021 - GS/SEED, de 09 de abril de 2021. Estabelece os critérios para o registro de frequência dos professores no ensino híbrido e/ou remoto durante a pandemia de COVID-19. Curitiba, 2021.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PLATÃO. Menon e Eutidemo. 3. ed. Pará: Ed. UFPA, 2020.

RAMOS, F. C. Socialização e cultura escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, [S.L.], v. 23, p. 1-21, 11 dezembro/2017.

RUIZ, G. R. Marcas de la Pandemia: el derecho a la educación afectado. Revista Internacional de Educación Para La Justicia Social, [S.L.], v. 9, n. 3, p. 45-59, junho/2020.

SILVA, A. K. L. da et al. Os Impedimentos da Atividade de Trabalho do Professor na EAD. Psicologia: Ciência e Profissão, [S.L.], v. 37, n. 3, p. 683-696, setembro/2017.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

UNESCO. A Comissão Futuros da Educação da Unesco apela ao planejamento antecipado contra o aumento das desigualdades após a COVID-19. UNESCO, 2020. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2021.

WILLIAMSON, B. Big data en educación. El futuro digital del aprendizaje, la política y la práctica. Madrid: Morata, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-276