Modelo de atendimento farmacêutico e estratégia para atendimento adequado para pacientes analfabetos portadores de Hipertensão / Pharmaceutical care model and strategy for appropriate care for illphabe patients with Hypertension

Maria Jaqueline Oliveira de Aguiar, Kerllen Araújo Cariolando, Anna Karolina de Castro Palheta, Gizelma da Paiva Silva

Abstract


INTRODUÇÃO:  O analfabetismo é caracterizado como um estado ou condição em que o portador não sabe ler e nem escrever. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano de 2018 apresentou que pessoas com 25 anos ou mais e sem instrução, estavam em uma taxa aproximada de 8,8% da população. Nesse contexto, o farmacêutico clínico enfrenta as dificuldades na adesão medicamentosa com pacientes analfabetos, sendo fundamental desenvolvimento de verificar estratégias não farmacológicas que possam impactar na mudança de estilo de vida destes pacientes. OBJETIVO: Analisar as estratégias de atenção e assistência farmacêutica adaptadas a pacientes analfabetos portadores de hipertensão tendo como embasamento a construção de uma revisão sistemática da literatura. MÉTODOS: Para a elaboração de uma revisão sistemática da literatura. Foram acessadas as seguintes bases de dados: SciELO, BVS e PUBMED. entre o período de janeiro de 2010 ao primeiro semestre de 2022. Para critérios de inclusão foram considerados: Resumo ou estudo, Artigos original, Pesquisa quantitativa, Pesquisa qualitativa, Pesquisa descritiva e exploratória, Pesquisa transversal e o arquivo do artigo na íntegra. RESULTADOS:  Conforme evidenciado no trabalho, é fundamental implementar estratégias lúdicas, tabela de cores impressos em forma de calendário, pictogramas representando períodos do dia, como manhã, tarde e noite, para melhorar a adesão ao tratamento medicamentoso de pacientes hipertensos com analfabetismo. Diante do exposto, foi construído um modelo de formulário para o farmacêutico realizar o acompanhamento durante a atenção e assistência farmacêutica de uma forma prática e eficiente. CONCLUSÕES: Portanto, foi desenvolvido um modelo estratégico de atenção e assistência farmacêutica adaptadas a pacientes analfabetos portadores de hipertensão com foco em melhorar a adesão ao tratamento, melhorar a compreensão do paciente e auxiliar o profissional farmacêutico neste procedimento.


Keywords


assistência farmacêutica, doenças crônicas, Hipertensão, analfabeto, estratégia e atenção farmacêutica.

References


ALBUQUERQUE, Guilherme Souza Cavalcanti de et al. Adesão de hipertensos e diabéticos analfabetos ao uso de medicamento a partir da prescrição pictográfica. Trabalho, Educação e Saúde, v. 14, p. 611-624, 2016.

ALMEIDA, Maria do Socorro Teixeira Moreira et al. Características demográficas e clínicas de pacientes com artrite reumatoide no Piauí, Brasil-avaliação de 98 pacientes. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 54, p. 360-365, 2014.

ANDREAZZA, Roberta Simone et al. Causes of drug-related problems in the emergency room of a hospital in southern Brazil. Gaceta Sanitaria, v. 25, n. 6, p. 501-506, 2011.

BARROSO, Weimar Kunz Sebba et al. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial–2020. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 116, p. 516-658, 2021.

BRASIL, Conselho Federal de Farmácia. Resolução CFF n° 585, de 29 de agosto de 2013. Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 set. 2013 – Seção 1, p.186. Disponível em: Acesso em: 26 out. 2017.

BRUNE, Maria Fernanda Spegiorin Sala et al. O Método Dáder na atenção farmacêutica em pacientes hipertensos no município de Pontal do Araguaia-MT, Brasil. O Mundo da Saúde, v. 38, n. 4, p. 402-409, 2014.

CASTRO, Fulvio Eugenio Motta de. Estratégia lúdica para melhorar a adesão ao tratamento medicamentoso dos pacientes hipertensos analfabetos da Equipe de Saúde da Família 1 da Unidade Básica de Saúde Alcides. Monografia (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

CASTRO, Fulvio Eugenio Motta. Estratégia lúdica para melhorar a adesão ao tratamento medicamentoso dos pacientes hipertensos analfabetos da equipe de saúde da família 1 da Unidade Básica de Saúde Alcides Lins. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família) - Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

CASTRO, Fulvio Eugenio Motta. Estratégia lúdica para melhorar a adesão ao tratamento medicamentoso dos pacientes hipertensos analfabetos da equipe de saúde da família 1 da Unidade Básica de Saúde Alcides Lins. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família) - Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

COSTA, Josiane Moreira et al. Otimização dos cuidados farmacêuticos na alta hospitalar: implantação de um serviço de orientação e referenciamento farmacoterapêutico. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde, v. 5, n. 1, 2014.

FIGUEIREDO, Ana Elisa Bastos; CECCON, Roger Flores; FIGUEIREDO, José Henrique Cunha. Doenças crônicas não transmissíveis e suas implicações na vida de idosos dependentes. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, p. 77-88, 2021.

IBGE. Analfabetismo cai em 2017, mas segue acima da meta para 2015. Disponível em: . Acessado em: 01 Set de 2021.

LAIA, Clauanny Stefhany Vidal de. O método de dáder na atenção farmacêutica para a adesão terapêutica em pacientes idosos. Trabalho de conclusão (Graduação em Farmácia) - Faculdade de Educação e Meio Ambiente, Ariquemes, 2020.

MALTA, Deborah Carvalho et al. Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 51, 2017.

MELO, Daniela Oliveira de et al. A contribuição do farmacêutico para a promoção do acesso e uso racional de medicamentos essenciais no SUS. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 235-244, 2017.

NOBREGA, Catarina de Brito Borges e. Cronofarmacologia: administração de medicamentos ao ritmo biológico. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz, 2015.

OLIVEIRA, Alberto Henrique. Proposta intervenção: acompanhamento de idosos analfabetos em tratamento medicamentoso. 2017 por pacientes atendidos na unidade de saúde ana nery no município de União–Piauí. Trabalho de conclusão de curso (specialização em Atenção Básica) Universidade Federal de Minas Gerais, Governador Valadares, 2015.

OLIVEIRA, Guilherme Lacerda et al. Fatores relacionados à adesão ao tratamento sob a perspectiva da pessoa idosa. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 23, 2021.

OLIVEIRA, Rinaldo Eduardo Machado et al. Intervenções farmacêuticas destinadas à otimização da adesão ao tratamento medicamentoso de um paciente. Revista Eletrônica de Farmácia, v. 12, n. 2, p. 39-51, 2015.

PAIM, Sibele Maria Schuantes et al. Aplicabilidade da cronofarmacologia no aprazamento de medicações em unidade de terapia intensiva: revisão integrativa. Revista Eletrônica Acervo Enfermagem, v. 3, p. e4385-e4385, 2020.

PEREIRA, Marcela Gottschald et al. Resultados de seguimento farmacoterapêutico a pacientes hipertensos em farmácia comunitária privada na Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 41, n. 2, 2017.

PONTIERI, Flavia Melo; BACHION, Maria Márcia. Crenças de pacientes diabéticos acerca da terapia nutricional e sua influência na adesão ao tratamento. Ciência & saúde coletiva, v. 15, p. 151-160, 2010.

PORTELA, Alyne da Silva et al. Prescrição médica: orientações adequadas para o uso de medicamentos?. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, p. 3523-3528, 2010.

SANTOS, Ranailla Lima Bandeira dos et al. Fatores associados à qualidade de vida de brasileiros e de diabéticos: evidências de um inquérito de base populacional. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, p. 1007-1020, 2019.

SILVA, Claudio Henrique; SPINILLO, Carla Galvão. Artefatos de informação regulados e não regulados nas estratégias de uso de múltiplos medicamentos por idosos.IN: 8 th CONGIC 8 th Information Design, v.4, n.1, p.1-20, 2018.

SILVEIRA, Beatriz de Oliveira Barbosa et al. Atenção à saúde à diabéticos e/ou hipertensos na clínica da família no município do Rio de Janeiro. Revista Eletrônica Perspectivas da Ciência e Tecnologia, v. 13, 2021.

YAMASHITA, Danielli da Silva. Ação educativa na Atenção Básica à saúde de idosos hipertensos analfabetos: estratégia com ênfase no uso adequado de medicamentos. 2016. Monografia (Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem) - Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianopolis, 2014.

ZYMAN, Lívia Mesquita. O impacto da abordagem multidisciplinar no esclarecimento de prescrições a pacientes analfabetos. 9 folhas. Artigo (Especialização em saúde da família) - UNA- SUS, São Paulo, Fevereiro de 2015.

FARMACÊUTICO CLÍNICO. Serviço de clínica farmacêutica- SMS/Curitiba. Disponível em: < https://farmaceuticoclinico.com.br/uploads/attachments/942302a48b953100641a33e794042742.pdf>. Acessado: 11 de Junho de 2022.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-295