Lições da pandemia da Covid-19 sob o olhar da didática e das tecnologias digitais / Lessons from the Covid-19 pandemic from the perspective of didactics and digital technologies

Viviane Aparecida Bagio, Danilo Augusto Ferreira de Jesuz, Maiza Taques Margraf Althaus

Abstract


Desde 2020, a humanidade tem vivenciado múltiplas metamorfoses em vários setores da sociedade, decorrentes da pandemia mundial da COVID-19. Neste trabalho, objetivamos refletir a respeito da contribuição teórica advinda da Didática e das Tecnologias Digitais, considerando suas possibilidades para impulsionar o novo cenário do processo de ensino-aprendizagem para os professores que buscam revitalizar suas práticas pedagógicas em escolas e universidades. Tal perspectiva foi construída a partir de autores que problematizam as temáticas destas áreas, por meio de pesquisa bibliográfico-exploratória. O estudo apontou que a prática pedagógica, tal como a conhecíamos até então, demandou a necessidade inovadora e criativa dos professores, para desencadear um novo desenho no que respeita à forma, ao conteúdo e em especial, às novas relações que serão construídas entre professores e estudantes, uma vez que o novo normal – termo incorporado em tempos hodiernos –, também repercutirá no contexto das instituições de ensino.


Keywords


tecnologias digitais, didática, metodologias ativas, ensino-aprendizagem.

References


ALMEIDA, Maria Isabel; PIMENTA, Selma Garrido. Pedagogia universitária: valorizando o ensino e a docência na universidade. Revista Portuguesa de Educação, v. 27, n. 2. p. 7-31, 2014. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpe/v27n2/v27n2a02.pdf. Acesso em: 30 set. 2020.

ALTHAUS, Maiza Taques Margraf; BAGIO, Viviane Aparecida. As metodologias ativas e as aproximações entre o ensino e a aprendizagem na prática pedagógica universitária. Revista Docência no Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 79-96, jul./dez.2017. Diponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/2342/1440. Acesso em: 30 set. 2020.

ARAUJO, José Carlos Souza. Do quadro negro à lousa virtual: técnicas, tecnologia e tecnicismo. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (org.). Técnicas de ensino: Novos tempos, novas configurações. Campinas: Papirus, 2006. p. 13-48.

BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (orgs.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello. Com a palavra, os organizadores. In: BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (orgs.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 23-25.

BIGGS, John. Calidad del aprendizage universitario. 2. ed. Madri: Narcea, 2006.

BROUGÈRE, Gilles; ULMANN, Anne-Lise (orgs.). Aprender pela vida cotidiana. Tradução de Antonio de Pádia Danesi. Campinas: Autores Associados, 2012.

CANDAU, Vera Maria. Didática, interculturalidade e formação de professores: desafios atuais. Cocar, v. 8, p. 28-44, jan./abr. 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3045/1329. Acesso em: 30 set. 2020.

COLL, César; PALACIOS, Jesús; MARCHESI, Álvaro. (orgs.). Desenvolvimento psicológico e educação: psicologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

CORDEIRO, Jaime. A relação pedagógica. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Caderno de Formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, p. 66-79.

DEWEY, John. Experiência e educação. Petrópolis: Vozes, 2010.

FARIAS, Maria Isabel Sabino de. Didática e docência: aprendendo a profissão. 3. ed. Brasília: Liber Livro, 2011.

FRANCO, Maria Amelia Santoro. Práticas pedagógicas nas múltiplas redes educativas. In: LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda. (orgs.) Temas de Pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 169-188.

FRANCISCO, Papa. Carta Encíclica Laudato Si’. (Sobre o cuidado da casa comum). São Paulo: Paulinas, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GARANHANI, Marynelma Camargo; NADOLNY, Lorena. O movimento do corpo infantil: uma linguagem da criança In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Caderno de Formação: educação infantil princípios e fundamentos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, p. 65-74.

HANSEL, Ana Flávia. Educação inclusiva: aspectos teóricos e práticos. Guarapuava: NEAD/UAB/UNICENTRO, 2019.

LEITE, Sérgio (org.). Afetividade: as marcas do professor inesquecível. Campinas: Mercado de Letras, 2018.

LEMOS, André. Cibercultura: Alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, André; CUNHA, Paulo. (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre, 2003; p. 11-23.

LÉVY, Pierre. A inteligência Coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. Edições Loyola, São Paulo, 2015.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999.

LÉVY, Pierre. O que é virtual? Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Ed. 34, 1996.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 7 ed. São Paulo: Edições Loyola, 1984.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 6. ed. São Paulo: Heccus Editora, 2015.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem: componente do ato pedagógico. 1. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

MARCOZZI, Alayde Madeira; DORNELLES, Leny Werneck; SÁ REGO, Marion Villas Boas. Ensinando a criança. 3. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1976.

MASCARENHAS, Aline Daiane Nunes; FRANCO, Amélia do Rosário Santoro. Reflexões pedagógicas em tempos de pandemia: análise do parecer 05/2020. Olhar de Professor, Ponta Grossa, v. 23, p. 1-6, 2020. Disponível em: https://revistas.apps.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16011/209209213645. Acesso em: 30 set. 2020.

MIZUKAMI, Maria das Graças Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

NÓVOA, António. Professores: a história é o que somos mais o que podemos fazer. A Página da Educação, Lisboa, v, 187, n. 3, 2009. Disponível em: https://www.apagina.pt/?aba=7&cat=532&doc=13697&mid=2. Acesso em: 30 set. 2020.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales. Tecnologias Interativas e Educação. Educação em Debate. Fortaleza, n.37, 1999, p. 150-156. Disponível em: http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/14332/3/1999_art_mrnoliveira.pdf. Acesso em: 30 set. 2020.

PARANÁ. Lei Estadual nº 18.118/2014-PR, de 24 de Junho de 2014. Dispõe sobre a proibição do uso de aparelhos/equipamentos eletrônicos em salas de aula para fins não pedagógicos no Estado do Paraná. Diário Oficial do Estado, Curitiba, 24. Jun. 2014.

PARANÁ. Estudantes da rede estadual já podem baixar aplicativo para assistir às aulas EaD. 04 abr. 2020. Disponível em: . Acesso em: 18 maio 2020.

PARINI, Jay. A arte de ensinar. São Paulo: Editora Civilização Brasileira, 2007.

RATHS, Louis et al. Ensinar a pensar: teoria e aplicação. São Paulo, EPU, 1977.

RODRIGUES, Talita Almeida. As crenças de discentes do curso de Pedagogia da FACED/UFC sobre o bom professor e a formação inicial. 2017. 281 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

ROLDÃO, Maria do Céu. Conhecimento, didáctica e compromisso: o triângulo virtuoso de uma profissionalidade em risco. Cadernos de Pesquisa, Campinas, v. 47, n.166, p.1134-1149, out./dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v47n166/1980-5314-cp-47-166-1134.pdf. Acesso em: 30 set. 2020.

ROMANOWSKI, Joana. Aprender: uma ação interativa. In: VEIGA, Ilma Passo Alencastro (org.). Lições de Didática. 5. ed. Campinas: Papirus, 2012. p. 101-122.

SAMPAIO, Marisa Narcizo; LEITE, Lígia Silvia. Alfabetização tecnológica do professor. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 42. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

TESCAROLO, Ricardo. A escola como sistema complexo. São Paulo: Escrituras, 2004.

THADEI, Jordana. Mediação e educação na atualidade: um diálogo com formadores de professores. In: BACICH, Lilian; MORAN, José (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. p. 90-105.

TRINDADE, Rui. A formação de professores e o seu contributo para a reinvenção da profissão docente. Cocar, v. 8, p. 293-314, jan./abr. 2020. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/3060. Acesso em: 30 set. 2020.

UNESCO. Força-tarefa para Professores pede apoio a 63 milhões de professores afetados pela crise da COVID-19. 27 mar. 2020. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2020.

VAILLANT, Denise; MARCELO, Carlos. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: UTFPR, 2012.

VALENTE, José Armando. Prefácio. In: BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (orgs.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 13-17.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A aventura de formar professores. Campinas: Papirus, 2009.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-297