Impacto do pré-natal na atenção básica na morbimortalidade materna e neonatal / Impact of prenatal care in primary care on maternal and neonatal morbidity and mortality

Mariana Barreto Mamprim, José Luiz Boechat Santos, Izabelle Jacob, Thiago Nogueira de Faria, Jéssica Gomes Martins de Moraes, Maria Eduarda Rodrigues Teixeira Rocha, Rodrigo Veng Magalhães, Amanda Teixeira Muruci

Abstract


Introdução: A assistência pré-natal consiste num importante pilar atenção primária à saúde e também elo entre a equipe de saúde e as gestantes. Ela se dá através de práticas, rotineiramente sistematizadas, de prevenção e promoção de saúde para melhor desfecho perinatal. Além disso, apresenta caráter educacional, acolhedor e que minimiza intervenções desnecessárias. Objetivos: O objetivo desse estudo é revisar sobre o impacto do pré natal realizado na atenção básica na morbimortalidade materna e o neonatal, compreendendo principalmente a dificuldade em realiza-lo de forma efetiva. Métodos: Os bancos de dados Pubmed, Scielo, Diretrizes e UpToDate foram pesquisados eletronicamente utilizando os descritores Cuidado Pré-Natal, Educação Pré-Natal, Efeitos Tardios da Exposição Pré-Natal nos idiomas inglês e português. Discussão e Conclusão: Os municípios de maior porte populacional tendem a apresentar piores resultados quando comparados aos de menor porte em relação a assistência pré-natal, fomentando a necessidade de implantação de medidas de saúde pública que viabilizem e integram a atenção à gestante. Todo o processo da atenção à saúde da mulher gera influências no contexto social, econômico e cultural do ambiente em que vivem gestantes e conceptos. Assim, aspectos estruturais e operacionais devem ser garantidos para um acompanhamento contínuo e de qualidade, com atenção humanizada à gravidez, minimizando danos para saúde materno-infantil.


Keywords


cuidado pré-natal, educação pré-natal, efeitos tardios da exposição pré-natal.

References


Cunha AC, Lacerda JT, Alcauza MTR, Natal S. Avaliação da atenção ao pré-natal na Atenção Básica no Brasil. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. 19 (2). Apr-Jun 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-93042019000200011

Ruschi GEC, Zandonade E, Miranda AE, Antônio FF. Determinantes da qualidade do pré-natal na Atenção Básica: o papel do Apoio Matricial em Saúde da Mulher. Cad. saúde colet. 26 (02). Apr-Jun 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1414-462X201800020229

Serrazina AF, Silva GSV. Captação da Gestante para Pré-natal precoce. Revista Pró-Universus. v. 10 n. 1 (2019): V10N1. Disponível em: https://doi.org/10.21727/rpu.v10i1.1621

Guimaraes WSG, Parente RCR, Guimarães TLF, Garnelo L. Acesso e qualidade da atenção pré-natal na Estratégia Saúde da Família: infraestrutura, cuidado e gestão. Cad. Saúde Pública 34 (5). 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00110417

Luz LA, Aquino R, Medina MG. Avaliação da qualidade da atenção pré-natal no Brasil. Saúde debate 42 (spe2). Out 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-11042018S208

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Área Técnica de Saúde da Mulher. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada – manual técnico/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas – Brasília: Ministério da Saúde, 2005.

Aline Coletto Sortica, Gabriela Hartmann Cardozo, Gisleine Lima da Silva, Melissa de Azevedo, Nadiane Alburqueque Lemos. Guia do pré-natal na atenção básica. Porto Alegre: Secretaria do Estado de Saúde/RS, 2018. 40p. II




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv8n6-308