Aedes aegypti: Um estudo da percepção de Gestores e Alunos quanto à promoção da saúde na escola/ Aedes aegypti: A study of the perception of Managers and Students abouth ealth promotion in school

Núbia da Silva, Adilson Alves Costa, Maria Betania Fernandes Sabino, Kelly Dayane Pereira da Silva, Danielle Lima de Oliveira, Péricles de Farias Borges

Abstract


A tríade de epidemias provocadas pelo Aedes aegypti cresceu gradativamente nos últimos anos, impulsionados por fatores naturais e/ou antrópicos. Em virtude da repercussão gerada de dengue e principalmente das novas arboviroses: zika e chikungúnya, este estudo buscou registrar informações acerca das referidas patologias junto às Escolas Públicas e Secretaria de Saúde de Esperança-PB, possibilitando traçar um perfil atual sobre a problemática e os fatores que comprometem o desenvolvimento do educando no seu cotidiano. Realizou-se um diagnóstico participativo, com 3 escolas, a partir de entrevistas aos gestores e aplicação de questionários aos alunos. Notificações epidemiológicas e de precipitação entre 2014 a 2017 foram obtidas pela Secretaria de Saúde. A escola da rede estadual se destacou devido ao maior envolvimento com o tema, inclusive com projetos interdisciplinares. Os gestores relataram que os principais entraves estão associados à falta de cursos de capacitação; a carência de projetos desenvolvidos na escola; falta de apoio de outros setores inclusive familiar. No geral, os alunos possuem conhecimentos básicos sobre as epidemias, sendo comum confundirem os sintomas, apesar disso mostraram-se conscientes dos métodos de prevenção. As escolas mostraram boa capacidade informativa segundo indicativo, porém, necessita de ações educativas junto a outros setores competentes para obter resultados satisfatórios. 


Keywords


Educação, Saúde, Patologias

References


Brasil, Lei 9.795 de 27 de abril de 1999, dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências, disponível em http://www.planalto.gov.br, último acesso em 12 de dezembro de 2017.

Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde- Ministério da Saúde, Vol.45, N° 20, 2014.

Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde- Ministério da Saúde, Vol.47, N°7, 2017.

Camilo, E.L.; Santos, G.M.M.; Valencoela, L.P.; Barbosa, J.A.S. A Educação Física no combate a Dengue: Acadêmicos em foco. Revista Mag Sul de Educação Física na Fronteira, V.1, N°1,2016.

Feitosa, F.R.S.; Sobral, I.S.; Silva, M.S.F.; Jesus,E.N. Estratégias de prevenção e controle da dengue em Aracaju: Potencialidades e Fragilidades. Caminhos de Gegrafia (Revista online), Vol.17, n°60,2016.

Ferreira, F.A.;Vaillant, V.S.; Maniero, V.C.; Santos, L.M.; Cardozo, S.V.; Vasconcellos, R.F.R.R. O jogo “caça mosquito” como material didático para ensinar a combater a Dengue, Zika e Chikungúnya nas escolas. Revista da SBEnBio- Nº 9,2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?. Dados de 2016. Acesso em: 21/05/2017.

Luck, H. Liderança em gestão escolar. Petrópolis: Vozes Editora, 2009.

Moreno, L.L.V. Diagnóstico de la complejidad de losdiseños y manejos de la biodiversidade em sistemas de producción agropecuária em transicíonhacialasostenibilidade y la resiliência. Agroecologia, 8(1): 33-42, 2013.

Nakagawa, C. Promoção da saúde nas ações de controle e combate ao Dengue nas Escolas de Ceilândia, 68pags. (FCE/UNB, Graduação), 2013.

Oliveira, C. S.; Vasconcelos, P. F. C. Microcefalia e viruszika. Jornal de pediatria, v. 92, n. 2, p. 103-105, 2016.

Pedro,K.; Docile,R.; Silva, E.; Docile,T. Frequência dos casos de dengue nos Distritos do município de Du que de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil. Acta Biomédica Brasiliensia, Vol.7, n°1, 2016.

Plano Municipal de Contigência dos Agravos transmitidos pelo aedes aegypti. Prefeitura Municipal de Esperança- PB – Secretaria Municipal de Saúde, 10 pags, 2017.

Queiroz, A.S.; Oliveira, E.A.;Anastácio, N.A.; Sanches, R.G. Estratégias educativas direcionadas ao combate do mosquito Aedes aegypti em escolas na Fronteira Brasil- Paraguai. Revista MagSul de Educação da Fronteira, faculdades MagSul, v1, N°1, p.46-54, 2016.

Roriz, P.A.C.; Peres, W.V.; Ramos, R.S. Percepção de estudantes do 9°ano sobre Dengue, Zika e Chikungúnya. Nexus Revista de Extensão do IFAM, Vol.2, 2016.

Salim, C.R.; Matos, C.S. A educação ambiental como instrumental como instrumento de prevenção e controle da dengue: o caso de Bom Jesus do Itabopoana-RJ. Artigo apresentado ao curso de Pós-Graduação Lato sensu em Educação Ambiental do Instituto Federal Fluminense. Curso de Especialização em Educação Ambiental, 2012.

Santos-Gow, A.M.; Bizzo, N. Educação em saúde: Contribuições de um estudo realizado em âmbito escolar. Ensino, saúde e ambiente- Vol.8, Pp 59-75, 2015.

Santos,D.G.; Silva, J.G. Conscientização Ambiental: o verdadeiro combate ao dengue, chicungúnya e zika vírus, um estudo em um Colégio Estadual do município de Salvador-BA. Anais do Congresso Nordestino de Biólogos. Vol.6: Congrebio 2016.

Santos, F.O.; Oliveira, J.C.; Lima, S.C. Promoção da saúde, mobilização comunitária e intersetorialidade para o combate ao Aedes aegypti, em Uberlândia, Minas-Gerais. Em Extensão, Uberlândia, Vol.15, n°2. P.64-75, 2016.

Santos, M.E.M.; Batista, W.S.; Oliveira, J.V.F.; Jansen, I.C.C.; Santos, R.F.S.; Santos, E.C.R. Ações educativas para o combate ao mosquito Aedes Aegypti em uma escola da Região Metropolitana de São Luís. Revista Caderno Pedagógico, Lajeado, V.4, N° 1, 2017.

Soares, F.M.;Gonçalves, A.B.C.; Alvim, R.O.; Júnior, C.A.M.; Oliveira, C.M. Método educacional infantil na prevenção e combate à dengue, zika vírus e chikungúnya. Revista Extensão em Foco, N° 13, p.55-63, 2017.

Teixeira, M. G.; Andrade, A. M. S.; Costa, M. C. N.; Castro, J. S. M.; Oliveira, F. L. S.; Goes, C. S. B.; Maia, M.; Santana, E. B.; Nunes, B. T. D.; Vasconcelos, P. F. C. East/Central/South AfricanGenotypeChikungunyaVirus, Brazil, 2014. EmergingInfectionsDiseases, v. 21, n. 5, p. 906-908, 2015.

Vasconcelos, P. Doença pelo vírus Zika: um novo problema emergente nas Américas?. Revista Pan-amazônica de Saúde, v. 6, n. 2, p. 9-10, jun., 2015.

Vasconcelos, C. M.; Oliveira, K. K. F.; Caprara, A. Significados do controle da dengue: o despertar para a abordagem eco-bio-social a partir da experiência em 152 uma cidade do nordeste brasileiro. In: Garcia Filho, C. Linard, C. F. B. M.; Moreira, T. M. M. Saúde coletiva e suas Interfaces no contexto da produção do conhecimento: Olhares teóricos e metodológicos dos doutorandos. 2015. p. 115- 131. Disponível em: Acesso em: 20 jun. 2017.

Vieira, B.R.; Santos, B.V.N.; Oliveira, W.M. Mobilização social na escola: ações de prevenção e combate a dengue. Encontro Mineiro sobre Investigação na escola, Uberaba-MG, 2015.

Zara, A.L.S.A.; Santos, S.M.; Fernandes-Oliveira, E.S.;Carvalho, R.G.;Coelho, G.E. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Epidemiol. Serv.Saúde, Brasília, 25 (2): 391-404, 2016




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-017

Refbacks

  • There are currently no refbacks.