Prevalência do excesso de peso em crianças de um hospital de referência materno-infantil no estado de Pernambuco/ Prevalence of overweight in children of a referral maternal and child hospital in the state of Pernambuco

Ivanildo Ribeiro Domingos Junior, Keila Fernandes Dourado, Maria Izabel Siqueira de Andrade, Maria Gabriella Moura de Albuquerque, Amanda Felix de Sousa, Laryssa Rebeca de Souza Melo, Maria Clara Ribeiro de Arruda Costa, Mayana Wanessa Santos de Moura, Anielle Mylena de Medeiros Barbosa, Amanda Priscilla Ferreira da Luz

Abstract


A obesidade é um possível fator de risco para pacientes pediátricos críticos, visto que pode desencadear complicações associadas à síndrome metabólica, distúrbios de crescimento, além de doenças respiratórias que interferem no prognóstico clínico e no estilo de vida após a alta hospitalar. Esse estudo teve por objetivo analisar a prevalência do excesso de peso em crianças internadas em um hospital de referência materno-infantil no estado de Pernambuco. Foram coletadas informações relativas ao sexo, idade e classe socioeconômica, diagnóstico clínico e os dados antropométricos dos pacientes. A amostra totalizou 266 crianças, sendo 25,2% sob a condição de excesso de peso. Ao associar o excesso de peso com as características socioeconômicas, houve significância estatística com a faixa etária, onde crianças menores de cinco anos apresentaram-se com maior percentual de excesso de peso. Conclui-se que os pacientes pediátricos hospitalizados estudados apresentaram um percentual considerável de excesso de peso. Salienta-se a necessidade de um acompanhamento com maior precisão dessas tendências, assim como planos de ação preventivos e de combate ao excesso de peso nas crianças hospitalizadas.


Keywords


Estado Nutricional. Avaliação Nutricional. Sobrepeso. Pediatria.

References


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E DA SÍNDROME METABÓLICA. Diretrizes brasileiras de obesidade: 2016. 4.ed. São Paulo: ABESO, 2016.

Bernardo CO, Pudla KJ, Longo GZ, Vasconcelos FAG. Fatores associados ao estado nutricional de escolares de 7 a 10 anos: aspectos sociodemográficos, de consumo alimentar e estado nutricional dos pais. Rev. Bras. Epidemiol 2012; 15(3):651-661.

Oddy, WH, Mori TA, Huang RC, Marsh JA, Pennell CE, Chivers PT, Hands BP, Jacoby P, Rzehak P, Koletzko BV, Beilin LJ. Early infant feeding and adiposity risk: from infancy to adulthood. Ann Nutr. Metab 2014; 64(3-4): 262-70.

Rossi CE, Vasconcelos FAG. Relationship between birth weight and overweight/obesity among students in Florianopolis, Santa Catarina, Brazil: a retrospective cohort study. São Paulo Med. J. 2014; 132(5): 273-281.

Brisbois TD, Farmer AP, McCargar LJ. Early markers of adult obesity: a review. Obes. Rev 2012; 13(4): 347-367.

Leal VS, Lira PIC, Oliveira, JS, Menezes RCE, Sequeira, LAS, Arruda N, Andrade SL, Lucena S, Batista FM. Excesso de peso em crianças e adolescentes no Estado de Pernambuco, Brasil: prevalência e determinantes. Cad. Saúde Pública. 2012; 28(6): 1175-1182.

Ferreira HS, Florêncio TMTM, Fragoso MAC, Melo FP, Silva, TG. Hipertensão, obesidade abdominal e baixa estatura: aspectos da transição nutricional em uma população favelada. Rev. Nutr. 2005; 18(2): 209-218.

Kac,G, Velasquez-Melendez, G. A transição nutricional e a epidemiologia da obesidade na América Latina. Cad. Saúde Pública 2003; 19 (sup. 1): S4-S5.

MONTEIRO CA. Velhos e novos males da Saúde no Brasil: a evolução do país e de suas doenças. São Paulo: Hucitec, Abrasco 2001.

Polla SF, Scherer, F. Perfil alimentar e nutricional de escolares da rede municipal de ensino de um município do interior do Rio Grande do Sul. Caderno de Saúde Coletiva 2011; 19(1): 111 - 116.

Onis M, Blössner M, Borghi E. Global prevalence and trends of overweight and obesity among preschool children. Am J Clin Nutr. 2010; 92(5): 1257-1264.

Brasil, Ministério da Saúde. Centro Brasileiro de Análise e Planejamento.Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher - PNDS 2006: dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamento Familiar 2008-2009: Antropometria e análise do estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

CORULLÓN JL. Perfil epidemiológico de uma UTI pediátrica no sul do Brasil. 2007. 100 f. [Dissertação] (Mestrado em Pediatria e Saúde da Criança) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2007.

DRESCHER D. Perfil Nutricional e a relação com o estado de saúde em uma UTI Pediátrica. 2011. p.108. [Dissertação] (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2011.

Brown CV1, Neville AL, Salim A, Rhee P, Cologne K, Demetriades D. The impact of obesity on severely injured children and adolescents. J Pediatr Surg. 2006; 41(1):88-91.

Goh VL, Wakeham MK, Brazauskas R, Mikhailov TA, Goday PS. Obesity is not associated with increased mortality and morbidity in critically ill children. J Parenter and Enteral Nutr.2013; 37(1) 102-108.

Rana AR, Michalsky MP, Teich S, Groner JI, Caniano DA, Schuster DP. Childood obesity: a riskfactor for injuries observed at a level-1 trauma center. J Pediatr Surg 2009; 44(8): 1601-1605.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE PESQUISA. Critério Brasil: Critério de Classificação Econômica Brasil: 2012, base LSE 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2019.

Lohman TG, Roche, AF, Martorell R. Anthropometric standardization reference manual. Human Kinetics: Champaign, 1988.

Frisancho AR. New norms of upper limb fat and muscle areas for assessment of nutritional status. The American Journal of Clinical Nutrition. 1981; 34: 2540-2545.

Frisancho AR. Anthropometric standards for the assessment of growth and nutritional status. Clinical Nutrition. 1991; 10: 131-132.

World Health Organization. WHO child growth standards: Length/height-for-age, weight-for-age, weight-for-length, weight-for-height and body mass index-for-age. Methods and development. WHO (nonserial publication). Geneva, Switzerland: WHO, 2006.

Gaino NM, Amancio RD, Oetterer M, Silva MV. Disponibilidade domiciliar de alimentos industrializados no Brasil. Higiene Alimentar. 2012; 26(206/207):55-63.

Campos LS, Dresch LN, Rabito EI, Mello ED, Vallandro JP. Avaliação do risco nutricional em crianças hospitalizadas: uma comparação da avaliação subjetiva global pediátrica e triagem nutricional STRONGkids com os indicadores antropométricos. Sci Med 2015; 25(3): 21948.

Oliveira EM, Nishimura, LNS, Barbosa LG. A importância da avaliação nutricional em crianças internadas na enfermaria pediátrica em hospitais municipais de São Paulo. Rev Bras Nutr Clin. 2015 30(1): 71-75.

Rodrigues CN, Rodrigues CN, Rosa COB, Ribeiro SMR, Santos, CA, Firmino, HH. Perfil nutricional e fatores associados ao baixo peso e à redução do consumo alimentar em crianças hospitalizadas. Mundo saúde (Impr.), [S.l.] 2016; 40 (1): 61-72.

Ferreira MV, Hirose EY, Gasparini SC, Vianna TSF, Rodrigues ALCC, Suiter E, Yamaguti A, Severine AN. Perfil de crianças e adolescentes internados em um hospital privado do Estado de São Paulo. Nutr. Brasil. 2016; 15(3):163-168.

Araújo LM, Barros MHS, Andrade MIS, Araújo EC, Santos CM, Dourado KF. Avaliação da qualidade da dieta de crianças e adolescentes com excesso de peso atendidos no ambulatório de nutrição de um hospital público do Recife - PE. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2018; 13(1): 165-180.

Kneipp C, Habitzreuter F, Mezadri T, Hofelmann. Excesso de peso e variáveis associadas em escolares de Itajaí, Santa Catarina, Brasil. Cien Saúde colet 2015; 20(8): 2411-2422.

World Health Organization. Global strategy on diet, physical activity and health: childhood overweight and obesity. Geneva: WHO, 2014.

Magalhães EA. Martins MALP, Rodrigues CC, Moreira, ASB. Associação entre o tempo de internação e a evolução do estado nutricional de crianças internadas em um hospital universitário. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2013; 8(2): 103-114.

Jaime, P.C, Delmuè, DCC, Campello T, Silva DO, Santos LMP. Um olhar sobre a agenda de alimentação e nutrição nos trinta anos do Sistema Único de Saúde. Cien Saúde Colet. 2018; 23(6): 1829-1836.

World Health Organization. Global Panel on Agriculture and Food Systems for Nutrition. Food systems and diets: Facing the challenges of the 21st century. London: WHO; 2016.

Ribeiro VA, Alves TCHS, Fatal LBS. Pacientes pediátricos hospitalizados: evolução do estado nutricional e fatores associados. Braspen J. 2018; 33(1): 32-38.

Sociedade Brasileira de Nutrição Enteral e Parenteral. Associação Brasileira de Nutrologia. Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Sociedade Brasileira de Clínica Médica. Terapia nutricional para pacientes com obesidade extrema. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira; 2011.

Carvalho EAA, Almeida Carvalho EA, Simão MTJ, Fonseca MC, Andrade RG, Ferreira MSG, Silva AF, Fernandes B. S. Obesidade: aspectos epidemiológicos e prevenção. Revista Médica de Minas Gerais.2013; 23(1): 74-82.

United Nations System. Report of the Standing Committee on Nutrition at is Thirty-Third Session.London, United Nations System, 2006.

Jaime PC, da Silva AC, Gentil PC, Claro RM, Monteiro CA. Brazilian obesity prevention and control initiatives. Obes. Rev. 2013; 14(Supl. 2): 88-95.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas. Brasília: MDS; 2012.

Assis SS, Borges JN, Papoula N, Santiago CM, Teixeira G. Educação em saúde – proposta de utilização de um modelo no ensino de ciências. REMPEC – Ensino, Saúde e Ambiente. 2010; 3(2): 108-120.

Veiga GV, Sichieri R. Correlation in food intake between parents and adolescents depends on socioeconomic level. Nutr. Rev. 2006; 26(5): 517-23.

Zamparoni SV, Soares LG, Marcon SS, Higarashi HI. Viver com obesidade infantil: a experiência de crianças inscritas em programa de acompanhamento multidisciplinar. Rev Rene. 2014; 15(6);980- 989.

Silva, D. A. S. Sobrepeso e obesidade em crianças de cinco a dez anos de idade beneficiárias do programa bolsa família no estado de Sergipe, Brasil. Revista Paulista de Pediatria.2011 29(4): 529-535.

Rinaldi AEM, Pereira AF, Macedo CS, Mota JF, Burini RC. Contribuições das práticas alimentares e inatividade física para o excesso de pesoinfantil. Revista Paulista de Pediatria. 2008; 26(3): 271-7.

Azevedo FR, Brito BC. Influência das variáveis nutricionais e da obesidade sobre a saúde e o metabolismo. Revista da Associação Médica Brasileira. 2012, 58(6): 714-723.

Nascimento VG, Nascimento, VG, Schoeps DO, Souza SB, Souza JMP, Leone C. Risco de sobrepeso e excesso de peso em crianças de pré-escolas privadas e filantrópicas. Revista da Associação Médica Brasileira. 2011 57 (6): 657-661.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-028

Refbacks

  • There are currently no refbacks.