Craving em alcoolistas e sua relação com a escolha de alimentos / Craving in alcoholics and its relation to food choices

Stephany Ferreira Souza da Silva, Cybelle Rolim de Lima, Kéllyda Cinnara da Silva Moura, Gisele Barbosa de Aguiar, Maria Izabel Siqueira de Andrade, Emerson Rogério Costa Santiago, Elivane Martins de Lima, José de Siqueira Gonçalves Júnior, Claudiane Barbosa de Aguiar, Luciana Gonçalves de Orange

Abstract


Introdução: Em alcoolistas crônicos, durante a fase de abstinência, pode surgir o craving ou fissura, desejo intenso de usar a substância, podendo estar associado ao aumento do desejo de consumir alimentos doces para diminuir sintomas da abstinência. Assim, o objetivo principal deste estudo foi avaliar a presença do craving, associando-o à escolha de alimentos em indivíduos alcoolistas, internos para desintoxicação. Metodologia: O presente estudo é do tipo transversal, descritivo e quantitativo, desenvolvido com 40 internos, com idade entre 20 e 66 anos em uma Instituição hospitalar no interior de Pernambuco- Brasil.  Foram analisados aspectos sociodemográficos e o estado nutricional dos envolvidos. Também foram utilizados questionários específicos para avaliação do craving e hábitos alimentares dos alcoolistas. Resultados e Discussão: Foram identificados hábitos alimentares inadequados, como alto consumo de embutidos (77,5%) e baixo consumo de frutas e hortaliças (52,5%), além de um percentual elevado de desnutrição proteica nos avaliados. Verificou-se que 25% (n= 10) dos pacientes estudados apresentaram craving moderado a forte. Foi possível observar que 27,5% dos indivíduos relataram sentir vontade de consumir alimentos fontes de carboidratos simples, para desviar o pensamento no consumo da bebida alcoólica. Conclusão: Foi identificado que parte da amostra estudada apresentou craving moderado a forte e um desejo de consumir alimentos ricos em carboidratos no intuito e desviar o craving, contudo, a partir das análises estatísticas, não foi verificado associação entre o craving e o consumo de alimentos ricos em carboidratos, devendo-se realizar mais estudos para conhecimento desta relação. No entanto, quanto ao consumo alimentar, foi demonstrado a necessidade de melhores orientações nutricionais como parte do tratamento multiprofissional na assistência à saúde destes indivíduos.


Keywords


Alcoolismo, Craving, Ingestão de alimentos.

References


ANDRADE, S. P. et al. Estado nutricional de pacientes alcoolistas de uma Instituição hospitalar do Nordeste Brasileiro. Revista Nutrición Clínica y Dietética Hospitalaria, v. 36, n. 2, p. 63-73, 2016.

ARAÚJO, R. B. et al. A avaliação do craving em alcoolistas na síndrome de abstinência. Psico-USF, Itatiba, v.9, n.1, p. 71-76, 2004.

ARAUJO, R. B. et al. Craving e dependência química: conceito, avaliação e tratamento. Jornal Brasileiro de Psiquiatria., Rio de Janeiro, v. 57, n. 1, p. 57-63, 2008.

BLACKBURN, G. L. et al. Nutritional and Metabolic assessment of the hospitalized patient. Journal of Parenteral and Enteral Nutrition., 1977.

BRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição (CGAN). Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Como está sua alimentação? Brasília: MS; 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação- Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: MS; 2006.

CARLINI, E. A. et al. I Levantamento domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil - 2001. Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, Departamento de Psicobiologia, UNIFESP, 380 p., 2002.

CLARO, H. G. et al. Drug use, mental health and problems related to crime and violence: cross-sectional study. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2015; 23(6):1173-1180.

COOK, S. et al. Prevalence of a metabolic syndrome phenotype in adolescents: findings from the third National Health and Nutrition Examination Survey, 1988-1994. Archives of pediatrics & adolescent medicine, v. 157, n. 8, p. 821-827, 2003.

Cuppari L. Nutrição Clínica no Adulto. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar- Nutrição - Nutrição Clínica no Adulto – 3ª Ed. 2014, São Paulo: Manole, 2014.

FILIZOLA, P. R. B. et al. Alcoolismo no Nordeste do Brasil – prevalência e perfil sociodemográfico dos afetados. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 57, n.4, p.227-232, 2008.

FRISANCHO, A. R. New norms of upper limb fat and muscle are for assessment of Nutritional estatus. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 34, p. 2540-45, 1981.

JELLIFFE, D. B. The assessment of the nutritional status of the community. Geneva: WHO;1966.

KUCZMARSKI, M. F. et al. Descriptive anthropometric reference data for older Americans. Jornal of the American Dietetic Association, 100:59-66, 2000.

LIMA, G. S. et al. Avaliação do estado nutricional e consumo alimentar de alcoolistas atendidos em um centro de reabilitação de Caruaru – PE, Brasil. Nutr. clín. diet. hosp. v. 35, n. 2, p.16-25, 2015.

LIPSCHITZ, D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary care, v. 21, p. 55-67, 1994.

VILLAR, L. et al. Síndrome de dependencia alcohólica en servicios de urgencia: protocolo de evaluación para la práctica profesional de enfermería. Enferm. glob., Murcia , v. 15, n. 41, p. 78-92, Enero 2016 .

OLIVEIRA, E. R. N. et al. Avaliação dos hábitos alimentares e dos dados antropométricos de dependentes químicos. Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar, Umuarama, v.9, n.2, p.91-96, 2005.

OMS. Relatório de status global sobre álcool e saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 2011. 286 p.

PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e pratica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997.

PITANGA, F. J. G.; LESSA, I. Razão cintura-estatura como discriminador do risco coronariano de adultos. Revista da Associação Médica Brasileira. v.52, n.3, p. 157-161, 2006.

SANTOS, J. L.; VECCHIA, M. D. A vontade em Vygotski: contribuições para a compreensão da “fissura” na dependência de drogas. Psicol. USP, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 200-211, agosto de 2018.

SILVA, C. P.; BURGOS, M. G. P. A.; DIAS, C. A. Consequências nutricionais na doença hepática crônica alcoólica. Revista Nutrición Clínica y Dietética Hospitalaria, v. 25, n.3, p.238-242, 2009.

SILVA, J. K. S. et al. Pattern of Alcohol Consumption in Registered Users of a Family Health Unit. Health, 6, p. 1172-1179, 2014.

TOFFOLO, M. C. F.; MARLIÉRE, C. A.; NEMER, A. S. A. Adequação da alimentação oferecida para alcoolistas em tratamento e seu impacto nutricional. Nutr. clín. diet. hosp., v.33, n.2, p.50-55, 2013.

TOFFOLO, M. C. F. et al. Escolha de alimentos durante a abstinência alcoólica: influência na fissura e no peso corporal. Jornal Brasileira Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 60, n.4, p.341-346, 2011.

WHO. The World Health Report 2002 – Reducing Risks, Promoting Healthy Life. Geneva, World Health Organization, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-067

Refbacks

  • There are currently no refbacks.