Ocupação urbana: uso desordenado dos recursos hídricos no córrego João Cesário em Anápolis-GO/ Urban occupation: miscellaneous use of water resources in João Cesario Stream in Anápolis-GO

Igor Reis, Carlos Eduardo Fernandes, Laila Isa Faustino de Araújo Fernandes

Abstract


O processo de urbanização trouxe diversos avanço para a sociedade, porém pela falta de planejamento urbano os recursos hídricos presentes dentro das cidades não foram zelados, um exemplo são as ocupações irregulares em Área de Preservação Permanente (APP). A alteração do meio ambiente pela ocupação urbana desordenada como em margens de rios, córregos e canais de drenagens causa diversas consequências nos aspectos quantitativo e qualitativo da água e no uso do solo. As bacias hidrográficas são usadas como unidade de planejamento e gerenciamento para a melhoria dos mais variados usos da água, assim a integração entre o setor público, setor privado, universidade e usuários em geral é essencial para uma gestão sustentável que garanta melhor qualidade dos recursos hídricos para as gerações atuais e futuras. Neste trabalho pretende-se analisar os problemas desenvolvidos pela ocupação urbana desordenada no Córrego João Cesário. Localizado na cidade de Anápolis-GO, próximo ao Parque Ambiental Antônio Marmo Canedo, todo o seu trecho se encontra em região urbana com a presença de residências, condomínios e estabelecimentos comerciais. Segundo a Secretaria Municipal do Meio Ambiente o curso do córrego é uma Área de Proteção Permanente (APP), devendo ter sua área protegida, porém é comum a presença de terrenos baldios com acúmulo de entelho e somente em pequenos trechos é possível encontrar a mata ciliar preservada. Foram feitos comparativos do aumento da urbanização ao longo do tempo e uma leitura da atual realidade da ocupação no curso do córrego João Cesário.


Keywords


Córrego João Cesário. Urbanização Desordenada. Recursos Hídricos. Ocupação Urbana

References


ADORNO, M. L. G. Anápolis, um estudo da evolução urbana e impactos ambientais sobre os recursos hídricos. Dissertação (Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de Brasília UNB, 2007.

ALMEIDA, D. B.; KOEFENDER, A.; SOUZA, C. J. R.; MARCUZZO, F. F. N. Diagramas unifilares e mapeamento das estações F, FD, P, Pr e barramentos das sub-bacias 70 a 74 no Rio Uruguai. In: Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste, 13. 2016, Aracaju

ALVIM, Angélica Tanus Benatti; KATO, Volia Regina Costa; ROSIN, Jeane Rombi de Godoy. A urgência das águas: intervenções urbanas em áreas de mananciais. Cadernos Metrópole, [s.l.], v. 17, n. 33, p.83-107, maio 2015.

ALVIM, A. T. B (2003). Contribuição do Comitê do Alto Tietê à Gestão da Bacia Metropolitana, 1994- 2001. Tese de Doutorado. São Paulo, Universidade de São Paulo.

ANA. Planejamento estratégico 2016-2019: cartilha de orientações gerais. Brasília: Agência Nacional de Águas, 2016.

ARCOVA, F.C.S.; CICCO, V. Qualidade da água de microbacias com diferentes usos do solo na região de Cunha, Estado de São Paulo. Scientia Forestalis, Piracicaba, n.56, p.125-134, 1999.

ÁVILA, Adriana Sousa Nascimento; FERNANDES, Leonardo Botosso; CARNEIRO, Vandervilson Alves. IMPACTOS AMBIENTAIS EM NASCENTE URBANA: ESTUDO DE UM TRECHO DO CÓRREGO CATINGUEIRO EM ANÁPOLIS/GO. Revista Terceiro Incluído, [s.l.], v. 8, n. 1, p.27-39, 14 out. 2018.

BARBOSA, Márcia Cândida. Espaço urbano e meio ambiente: percepção ambiental dos moradores das margens da nascente do córrego João Cesário da cidade de Anápolis – Goiás – Centro Universitário de Anápolis – UniEvangélica, 2015. 52 p.; il.

BARRELLA, W. et al. As relações entre as matas ciliares os rios e os peixes. In: RODRIGUES, R.R.; LEITÃO FILHO; H.F. (Ed.) Matas ciliares: conservação e recuperação. 2.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

CARDOSO, C. A.; DIAS, H. C. T.; SOARES, C. P. B.; MARTINS, A. V. Caracterização morfométrica da bacia hidrográfica do rio Debossan, Nova Friburgo, RJ. Revista Árvore, Viçosa – MG, v. 9, n. 2, 2006.

CARDOSO, F.S.; PEREIRA, G.; PADRÓN, A.I.A; NASCIMENTO, C.; ABDALLA, A. Análise do uso e ocupação da terra na bacia da lagoa do Peri, Florianópolis (SC). Caminhos de Geografia Uberlândia v. 9, n. 27 setembro, p. 201 – 213, 2008.

CENTER FOR WATERSHED PROTECTION (CWP) Impacts of impervious cover on aquatic systems. Março 2003.

CYMBALISTA, Renato. Na metrópole, a infraestrutura subutilizada. Polis, São Paulo, p.03-06, 10 out. 2008.

DOUROJEANNY, A. (1993). Las cuencas hidrográficas: uma opición territorial para dirigir acciones tiendes la sustentabilidad ambiental. In: TERCERA CONVENCIÓN NACIONAL DE REGENTES Y USUÁRIOS DEL ÁGUA. Los Angeles, Chile, Conferência de Canalistas Del Chile.

ELÇI, S.; SELÇUK, P. Effects of basin activities and land use on water quality trends in Tahtali Basin, Turkey. Environ Earth Sci, n.68, p.1591-1598, 2013.

FERREIRA, Haidée Jaime. Anápolis, sua vida seu povo. Brasília, Editora Senado Federal, 1981.

FINOTTI, A.R.; FINKLER, R.; SILVA, M.D.; CEMIN, G. Monitoramento de recursos hídricos em áreas urbanas. Caxias do Sul: EDUCS, 2009.

FORBES, F. J. & HODGES, R. C..me New Approaches to Comprehensive Planning in Canada. Water Resources Bulletin, 7:(5),1971.

GUERRA, Antônio José Teixeira & CUNHA, Sandra Baptista (orgs). Impactos ambientais urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

IMB. Goiás em Dados 2017. Goiânia: Instituto Mauro Borges de Estatística e Estudo Socioeconômicos, 2017.

LEAL, A.C. Meio ambiente e urbanização na microbacia do Areia Branca – Campinas – São Paulo. Rio Claro, 1995. 155p. Dissertação (Mestrado em Geociências e Meio Ambiente) – Inst. de Geociências – UNICAMP.

LUCAS, A. A. T.; FOLEGATTI, M. V. & DUARTE, S. N. Qualidade da água em uma microbacia hidrográfica do Rio Piracicaba, SP. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.14, 2010.

KOBIYAMA, Masato; MOTA, Aline de Almeida; CORSEUIL, Cláudia Weber. Recursos hídricos e saneamento. Curitiba: Organic Trading, 2008.

MARICATO, Ermínia. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes, 2001. 204 p.

MARICATO, Ermínia. Metrópole, legislação e desigualdade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 48, n. 17, p.151-166, ago. 2003.

MARTINS, M. L. R. (2006). Moradia e mananciais. Tensão e diálogo na metrópole. São Paulo, FAUUSP/ Fapesp.

MENDES, Carlos André Bulhões; CIRILO, José Almir. Geoprocessamento em recursos hídricos: princípios, integração e aplicação. ABRH, 2001.

MONTEIRO, Adriana Roseno; VERAS, Antônio Tolrino de Rezende. THE HOUSING ISSUE IN BRAZIL. Mercator, [s.l.], v. 16, n. 7, p.1-12, 15 jul. 2017. Mercator - Revista de Geografia da UFC.

OLIVEIRA, S. N. Cartas de riscos geomorfológicos da Microbacia do Córrego dos Cesários em Anápolis (GO), Escala1:50.000. Monografia de Conclusão do Curso de Geografia. Anápolis: UEG, 2005.

PLANO ESTRATEGICO MUNICIPAL PARA ASSENTAMENTO DE SUB-NORMALIDADES (PEMAS). Projeto Nova Anápolis. Goiânia, 2002.

POLONIAL, Juscelino Martins. Ensaios sobre a História de Anápolis. Anápolis: AEE, 2000.

SANTOS, Milton. A Urbanização Brasileira. 5. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2008. 176 p.

SANTOS, R. F. Planejamento Ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

STRECK, E.V. Solos do Rio Grande do Sul. 2.ed. rev. e ampl. Porto Alegre, RS: EMATER, 2008.

TUNDISI, José Galizia et al. Recursos hídricos no Brasil: problemas, desafios e estratégias para o futuro. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Ciências, 2014. 76 p.

TUCCI, C. E. M. 2010. Urbanização e Recursos Hídricos. pp. 113-128. In BICUDO, C. E. M. et al. (orgs.) Águas do Brasil. Análises Estratégicas. Academia Brasileira de Ciências; Secretaria do Meio Ambiente. Estado de São Paulo. 222 pp. 2010.

TUCCI, C. E. M. Águas Urbanas. PP. 97-112. Estudos Avançados. Vol. 22 (63) USP 336 pp. 2008.

TUCCI, C. E. M.; CLARKE, R. T. Impacto das mudanças da cobertura vegetal no escoamento: revisão. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v.2, n.1, 1997

TUNDISI, J. G.; MATSUMURA TUNDISI, T. Água no século 21. São Paulo: Oficina de textos, 2011

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia Aplicada. São Paulo, McGraw-Hill, 1975. 245pp.

ZALEWSKI, M. et al. (eds.). Intergrated Watershed Management. Ecohydrology and phytotechnology manual. UNESCO IHP, UNEP IETC. 246 pp. 2004.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-079

Refbacks

  • There are currently no refbacks.