Terapia subatmosférica artesanal no tratamento de lesão por pressão / Artisanal subatmospheric therapy in the treatment of pressure injury

Tuany de Oliveira Pereira, Francielly Anjolin Lescano, Rafael Alves Mata de Oliveira, Edivania Anacleto Pinheiro Simões

Abstract


Introdução: A descontinuidade do tecido cutâneo é chamada de ferida, esta, é um grande problema de saúde que acomete 40% dos pacientes paraplégicos sob a forma de lesão por pressão, ferida complexa que requer tratamento além do que métodos convencionais de curativos podem oferecer, necessita de uma terapia de alta performance, como a terapia por pressão negativa. Objetivo: descrever o uso da terapia por pressão negativa em um indivíduo com lesão por pressão. Método: trata-se de um estudo qualitativo, de abordagem descritivo do tipo relato de caso, realizado em uma unidade de Cuidados Continuados Integrados no estado de Mato Grosso do Sul (ms), com um paciente paraplégico, com lesão por pressão estágio III. Resultados: percebeu-se que a Lesão por Pressão em estágio III melhorou consideravelmente o seu aspecto após o uso da terapia por pressão negativa caseira, o dispositivo mostrou-se eficaz ajudando na redução da lesão, erradicação de dor e exsudato, estimulando a neovascularização e a diminuição da carga microbiótica local. Conclusão: chegou-se à conclusão deque a terapia por pressão negativa possui vários benefícios em relação a cicatrização de lesões, inclusive quando confeccionada de “forma caseira”, por meio do método USP.


Keywords


Lesão por pressão; Procedimento curativo; Tecnologia em saúde; Tratamento de ferimentos com pressão negativa; Cuidados de enfermagem.

References


Duim E, Sá FHC, Duarte YAO, Oliveira RCB, Lebarão ML. Prevalência e características das feridas em pessoas idosas residentes na comunidade. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015; 49(Esp):51-57.

Available from: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe/1980-220X-reeusp-49-spe-0051.pdf.

Almeida WA, Ferreira AM, Ivo ML, Rigotti MA, Barcelos LA, Silva ALNV. Fatores associados à qualidade de vida de pessoas com feridas complexas crônicas. Rev Fund Care [Internet]. 2018; 10(1):9-16. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175- 5361.2018.v10i1.9-16.

Borghardt AT, Prado TN, Bicudo SDS, Castro DS, Bringuente MEO. Pressure ulcers in critically ill patients: incidence and associated factors. Rev Bras Enferm [Internet]. 2016;69(3):431-8. Available from:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S003471672016000300460&script=sci_arttext&tlng=en.

Bomfim EO, Cabral DB, Lopes-Júnior LC, Flória-Santos M, Cavalcante GM. Úlcera por pressão em pacientes com lesão medular traumática: subisídios na identificação microbiológica. Rev Fundam Care [Internet]. 2014;6(2):747-758. DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014v6n2p747.

Favreto FJL, Betiolli SE, Silva FB, Campa A. O papel do enfermeiro na prevenção, avaliação e tratamento das lesões por pressão. RGS [Internet]. 2017;17(2):37-47. Avaiable from: http://www.herrero.com.br /files/revista/filea2aa9e889071e2802a49296ce895310b.pdf.

Lima RVKS, Coltro PS, Junior JAF. Negative pressure therapy for the treatment of complex wound. Rev. Col. Bras. Cir, 2017;44(1):81-93. Avaiable from: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0100-69912017000100081.

Oliveira JFS, Melo FG, Albuquerque MGL. Negative pressure therapy: Benefits in the healing process. Temas em Saúde, 2017;1(17):52-65. Avaiable from: http://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2017/05/17105.pdf.

Jones DA, Filho WVN, Guimarães JS, Castro DA, Ferracini AM. The use of negative pressure wound therapy in the treatment of infected wounds. Case studies. Rev Bras Ortop, 2016;51(6):646–651. Avaiable from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext& pid=S0102-36162016000600646.

Milcheski DA, Portocarrero ML, Alvarez DM, Mazuca LPMG, Junior AAM, Gemperli R. A exreiência inicial com terapia por pressão negativa por instilação em feridas complexas. Rev Col Bras Cir, 2017;44(4). Avaiable from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-69912017000400348.

Melo WOS, Maia AES, Barracho AA, Ribeiro BP, Correa CJAG, Correa IG, et al. Gestão da qualidade em saúde. Uningá Ver. 2014;18(1):24-28. Avaiable from: https://www.mastereditora .com.br/periodico/20140331_190319.pdf.

Kamamoto F. Junior JEL, Batista BN, Zilli B, Ferreira MC. Experiência do hospital universitário da USP com o curativo de pressão negativa tópica para o tratamento de feridas complexas. Rev. Bras. Cir. Plást. 2010; 25(supl.1): 74. Avaiable from: http://www.rbcp.org.br/details/684/e xperiencia-do-hospitaluniversitario-da-usp-com-o-curativo-de-pressao-negativa-topica-para-otratamento-de-feridas-complexas.

Albuquerque RS. Terapia por pressão negativa (TPN) vs. Terapia convencional em ferimentos complexos – Revisão Sistemática [Trabalho de conclusão de curso]. Salvador (BA): Faculdade de Medicina, Universidade Federal da Bahia; 2017.

Brasil. Ministério da saúde. Terapia por Pressão Subatmosférica (VAC) em Lesões Traumáticas Agudas Extensas. Brasília, DF, 2014. Avaiable from: : http://conitec.gov.br/images/Artigos_ Publicacoes/VAC_FINAL.pdf.

Vikatmaa P, Juutilainen V, Kuukasjärvi P, Malmivaara A. Negative Pressure Wound Therapy: a Systematic Review on Effectiveness and Safety. Eur J Vasc Endovasc Surg, 2008; 36: 438-448. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ejvs.2008.06.010 .

Suzuki T, Minehara A, Matsuura T, Kawamura T, Soma K. Negative-pressure wound therapy over surgically closed wounds in open fractures. J Orthop Surg. Hong Kong, 2014 Apr;22(1):30-4. DOI: https://doi.org/10.1177/230949901402200109.

Ford CN, Reinhard ER, Yeh D, Syrek D, De las morenas A, Bergman SB et al. Interim analysis of a prospective, randomized trial of vacuum-assisted closure versus the healthpoint system in the management of pressure ulcers. Ann PlastSurg, 2002;49(1):55-61. DOI: https://doi.org/10.1097/ 0000063720020700000009 .

Perez D, Bramkamp M, Exe C, Ruden CV, Ziegler A. Modern wound care for the poor: a randomized clinical trial comparing the vacuum system with conventional saline-soaked gauze dressings. Am J Surg, 2010;199(1):14-20. DOI: https://doi.org/10.1016/j.amjsurg.2008.12.029 .

Leal TS, Oliveira BG, Bonfim ES, Figueredo NS, Souza AS, Santos ISC. Percepção de pessoas com a ferida crônica. Rev enferm UFPE on line. Recife, 2017;11(3):1156-162. DOI: https://doi.org/ 10.5205/10.544/939051103201705.

Oliveira AC, Rocha DM, Bezerra SMG, Andrade EMLR, Santos AMR, Nogueira LT. Quality of life of people with chornic wounds. Acta Paul Enferm. São Paulo, 2019;32(2). Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002019000200194&lng=pt &nrm=iso&tlng=en.

Jaffe L, Wu S. The Role of Nutrition in Chronic Wound Care Management. Podiatry management. The diabeticfoot, 2017;36(9):77-82. Avaiable from: https://pdfs.semanticscholar.org/f32a/05 d7d252d068c8eecc7d26ad9b8ab1c6c1a4.pdf .

Posthauer ME, Banks M, Schols JMGA. The role of nutrition for pressure ulcer management: national pressure ulcer advisory panel: European pressure ulcer advisory panel, and pan pacific pressure injury alliance white paper. Adv skin wound care, 2015;28(4):175-188. DOI: https://doi.org/10.1097/01.ASW.0000461911.31139.62 .

Saghaleini SH, Dehghan K, Shadvar K, Sanaie S, Mahmoodpoor A, Ostadi Z. Pressure ulcer and nutrition. Indian J Crit Care Med, 2018;22(4):283-289. DOI: https://dx.doi.org/10.4103%2 Fijccm.IJCCM_277_17 .

Cereda E, Schols, JMGA. Nutrition and Pressure Ulcers. Science and Practice of Pressure Ulcer Management. Springer, London, 2018: 41-56. DOI: https://doi.org/10.1007/s12603-016-0822-y .




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-107

Refbacks

  • There are currently no refbacks.