Análise da vulnerabilidade ambiental do município de Barcarena-PA / Analysis of environmental vulnerability of Barcarena-PA

Hellem Cristina Teixeira Rodrigues, Pedro Silvestre da Silva Campos, Halison Felipe Pimenta Almeida, Paula Fernanda Pinheiro Ribeiro Paiva, Paulo Cerqueira dos Santos Junior, Glauber Tadaiesky Marques, Emerson Cordeiro Morais, João Almiro Corrêa Soares, José Felipe de Souza Almeida, Otavio Andre Chase

Abstract


Analisar o meio ambiente é um desafio, por conta das diferentes forças que o influenciam e o moldam. No entanto, para o planejamento e gestão estratégica é necessário o monitoramento dessa variável, com esse viés surge a análise de vulnerabilidade ambiental, integrando dados de geomorfologia, pedologia, geologia, climatologia e uso e ocupação da terra, a partir das geotecnologias, utilizando como princípio norteador a metodologia de Crepani et al., considerado pesos diferentes as variáveis e considerando um fator chave – peso maior – por análise, obtendo produtos diferentes, comprovando que a metodologia utilizada deve ser adaptada por conta das condições geoambientais do local.


Keywords


Comparação, indicadores, geotecnologias.

References


AQUINO, A. R. et al. Vulnerabilidade ambiental. São Paulo: Blucher, 2017.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Sistema Integrado de Informações sobre Desastres - S2iD. 2018.

COMPANHIA DOCAS DO PARÁ – CDP. Diagnóstico Ambiental do porto de vila do Conde. 2016.

COSTA, M. A. et al. Vulnerabilidade Social no Brasil: conceitos, métodos e primeiros resultados para municípios e regiões metropolitanas brasileiras. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – ipea 2018.

CREPANI, E et al. Curso de Sensoriamento remoto aplicado ao zoneamento ecológico-econômico. INPE: São José dos Campos, 1996.

GÜNTHER, W. M. R. Áreas contaminadas no contexto da gestão urbana. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, Fundação Seade, v. 20, n. 2, p. 105-117, abr./jun. 2006.

GUTERRES,A. A emergência climática é uma ameaça à paz, afirma Guterres. Organização das Nações Unidas – ONU. Disponível em: https://nacoesunidas.org/a-emergencia-climatica-e-uma-ameaca-a-paz-afirma-guterres/. Acesso em: 23 setembro 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Mapas temáticos. 2002.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. IBGE cidades. 2015. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. IBGE cidades. 2018. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS – INPE. TOPODATA - Banco de Dados Geomorfométricos do Brasil. 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2018.

JAPAN AEROSPACE EXPLORATION AGENCY – JAXA. Imagem ALOS PALSAR. Earth ObservationResearch Center. 2019.

MEDEIROS, J. S. de & CÂMARA, G.Geoprocessamento para projetos ambientais. 2a. Edição - Revisada e Ampliada. INPE São José dos Campos, SP maio 1998. Disponível em: < http://www.deinf.ufma.br/~paiva/cursos/gis/book/GeoprocessamentoParaProjetosAmbientais.pdf>. Acesso em: 09 jun. 2018.

RODRIGUES, J. E. C. Risco Tecnológico: uma análise do porto de Vila do Conde como área potencial de ameaça ao vazamento de óleo para comunidades em situação de vulnerabilidade. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Pará. 2008.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE; SUPREN, 1977.

YUHARA, C. H. Supressão de vegetação para implantação de linhas de transmissão no estado de são Paulo nos anos de 2013 e 2014. São Paulo: Escola Politécnica USP. 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-110

Refbacks

  • There are currently no refbacks.