Influence of seasonality on helminthiasis and performance of Nellore steers kept in silvopastoral system/ Influência da sazonalidade na helmintose e desempenho de novilhos Nelore mantidos em sistema silvipastoril

Juliana Alencar Gonçalves, Renata Tardivo, Hornblenda Joaquina Silva Bello, Giulia Salgarella Teixeira, Leandro Dias Pinto, Cristiana Andrighetto, Fernanda Paes de Oliveira, Ricardo Velludo Gomes de Soutello

Abstract


O ambiente tem ação direta na dinâmica populacional do parasitismo, principalmente as condições climáticas e o microclima, logo, é fundamental o entendimento da sazonalidade e da influência dos diferentes níveis de sombreamento na pastagem sobre a helmintose e desempenho de bovinos de corte no sistema silvipastoril. O delineamento utilizado foi em blocos ao acaso, com três tratamentos e quatro repetições, sendo tratamento 1: sistema convencional de pastagem (sem árvores de eucalipto); tratamento 2: sistema silvipastoril com linhas simples de eucalipto e tratamento 3: sistema silvipastoril com linhas triplas de eucalipto. As estações do ano avaliadas foram: outono, inverno, primavera e verão, compreendendo dois períodos do ano: seca (outono e inverno) e águas (primavera e verão). Foram realizadas pesagens a cada 28 dias para obtenção do ganho de peso (GP) e ganho de peso diário (GPD), juntamente a coleta de fezes para a determinação do grau de infecção por helmintos, analisada por meio da contagem de ovos por gramas de fezes (OPG) e a identificação dos gêneros por meio da coprocultura. Não houve diferença estatística para o OPG nos tratamentos 1, 2 e 3 em todo o período, assim como para os tratamentos em cada estação do ano (outono, inverno, primavera e verão) e períodos do ano (seco e chuvoso). Porém para a análise entre as estações, no outono os animais apresentaram maior contagem de OPG, diferindo estatisticamente das demais estações. O mesmo ocorreu com o OPG nos períodos do ano, com contagens estatisticamente maiores no período seco comparado com o período chuvoso, independentemente do tratamento  Os gêneros de maior prevalência durante o período do experimento foram o Haemonchus spp. seguido da Cooperia spp. Para o GP e GPD não houve diferença significativa entre os tratamentos 1, 2 e 3, assim como para essas variáveis nos diferentes tratamentos em cada estação e período do ano. Porém, quando comparado as estações e períodos do ano, observou-se que os animais em todos os tratamentos apresentaram maior desempenho no verão, diferindo estatisticamente do inverno, onde os animais apresentaram o menor desempenho. Não houve diferença significativa entre outono e primavera, porém o desempenho dos animais nessas estações diferiu estatisticamente comparado ao verão e inverno. Sendo assim, o sombreamento não influenciou o desempenho e o grau de infecção por helmintos dos novilhos. No entanto houve influência da sazonalidade no grau de helmintose dos novilhos e no desempenho dos mesmos, independentemente do nível de sombreamento.

 


Keywords


Bovinos;parasitismo;sombreamento

References


ANUALPEC. (2016). Anuário da pecuária brasileira. São Paulo-SP: FNP Consultoria/Agros Comunicação.

Balbino, L. C., Cordeiro, L. A. M., Porfírio-da-Silva, V., Moraes, A. de, Martínez, G. B., Alvarenga, R. C., … Galerani, P. R. (2011). Evolução tecnológica e arranjos produtivos de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 46(10), 0–0. https://doi.org/10.1590/S0100-204X2011001000001

Bianchin, I., Catto, J. B., Kichel, A. N., Torres, R. A. A., & Honer, M. R. (2007). The effect of the control of endo- and ectoparasites on weight gains in crossbred cattle (Bos taurustaurus × Bos taurus indicus) in the central region of Brazil. Tropical Animal Health and Production, 39(4), 287–296. https://doi.org/10.1007/s11250-007-9017-1

Bowman, D. D., & Georgi, J. R. (2003). Georgis’ parasitology for veterinarians (10. ed). St. Louis, Mo: Saunders/Elsevier.

Braga, R. M. (1986). Sobrevivência de larvas infectantes de nematódeos gastrintestinais de bovinos, sob condições naturais. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, 8(1), 186-188.

Costa, S. B. de M., de Mello, A. C. L., Dubeux, J. C. B., dos Santos, M. V. F., Lira, M. de A., Oliveira, J. T. C., & Apolinário, V. X. O. (2016). Livestock Performance in Warm-Climate Silvopastures Using Tree Legumes. Agronomy Journal, 108(5), 2026–2035. https://doi.org/10.2134/agronj2016.03.0180

Cuellar, J. A. (2002). Agentes etiológicos de lanematodiasis gastrointestinal enlos diversos ecosistemas. Epidemiología y control integral de nemátodosgastrointestinales de importancia económica enpequeñosrumiantes.(Eds. JF Torres-Acosta y AJ Aguilar). Segundo curso internacional. FMVZ-Universidad Autónoma de Yucatán. México, 1

Fernandes, L. de O., Reis, R. A. [UNESP, &Paes, J. M. V. (2010). Efeito da suplementação no desempenho de bovinos de corte em pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu. Ciência e Agrotecnologia, 34(1), 240–248. https://doi.org/10.1590/S1413-70542010000100031

Ferraz, J. B. S., & Felício, P. E. de. (2010). Production systems – An example from Brazil. Meat Science, 84(2), 238–243. https://doi.org/10.1016/j.meatsci.2009.06.006

Filho, S. C. V., &Chizzotti, M. L. (2010). Exigências nutricionais de bovinos de corte. In Bovinocultura de corte (Vol. 1, p. 760). Piracicaba: FEALQ.

Gobbi, K. F., Garcia, R., Garcez Neto, A. F., Pereira, O. G., Ventrella, M. C., & Rocha, G. C. (2009). Morphological and structural characteristics and productivity of Brachiaria grass and forage peanut submitted to shading. Revista Brasileira de Zootecnia, 38(9), 1645–1654. https://doi.org/10.1590/S1516-35982009000900002

Gordon, H. M., & Whitlock, H. V. (1939). A new technique for counting nematode eggs in sheep faeces. Journal of the Council for Scientific and Industrial Research., 12(1), 50–52.

Hahn, G. L. (1999). Dynamic responses of cattle to thermal heat loads. Journal of Animal Science, 77(suppl_2), 10–20. https://doi.org/10.2527/1997.77suppl_210x

Harris, R. B. (2010). Rangeland degradation on the Qinghai-Tibetan plateau: A review of the evidence of its magnitude and causes. JournalofAridEnvironments, 74(1), 1–12. https://doi.org/10.1016/j.jaridenv.2009.06.014

Heinzen, E. L., Peixoto, E. C. T. M., Jardim, J. G., Garcia, R. C., Oliveira, N. T. E., & Orsi, R. de O. (2012). Extrato de própolis no controle de helmintoses em bezerros. Acta VeterinariaBrasilica, 6(1), 40–44. https://doi.org/10.21708/avb.2012.6.1.2300

Hoffmann, A., Moraes, E. H. B. K., Mousquer, C. J., Simioni, T. A., Gomes, F. J., Ferreira, V. B., & Silva, H. M. (2014). Produção de Bovinos de Corte no Sistema de Pasto-Suplemento no Período Seco. Nativa, 2(2), 119–130. https://doi.org/10.14583/2318-7670.v02n02a10

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. (2017). Censo Agropecuário | IBGE.

Keith, R. K. (1953). The differentiation of the infective larvae of some common nematode parasites of cattle. AustralianJournalofZoology, 1(2), 223–235. https://doi.org/10.1071/zo9530223

Kichel, A. N., Costa, J. A. A. da, Almeida, R. G. de, & Paulino, V. T. (2014). Sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPP) - experiência no Brasil. Boletim de Indústria Animal, 71(1), 94–105. https://doi.org/10.17523/bia.v71n1p94

Levine, N. (1963). Weather, climate, and the bionomics of ruminant nematode larvae. Advances in Veterinary Science, 8, 215–261.

Lima, W. S. (2004). Os inimigos ocultos da pecuária. DBO - Saúde Animal, 8–16.

Lopes, L. B., Pedreira, B. C. e, Santos, L. L. dos, Bastianetto, E., & Rodrigues, D. S. (2018). Dinâmica de nematóides gastrointestinais e desempenho de bovinos de corte em sistema pastoril e silvipastoril. Sinop-MT: Embrapa Agrossilvipastoril.

Macedo, M. C. M., Zimmer, A. H., Kichel, A. N., Almeida, R. G. de, &Araujo, A. R. de. (2013). Degradação de pastagens, alternativas de recuperação e renovação, e formas de mitigação. Anais...Bebedouro, 1, 158–181. Mendonca, R. M. A., Leite, R. C., Lana, A. M. Q., Costa, J. O., &Toth, G. (2014). Parasitic helminth infection in young cattle raised on silvopasture and open-pasture in Southeastern Brazil. Agroforestry Systems, 88(1), 53–62. https://doi.org/10.1007/s10457-013-9655-4

Martinez, J., & Merino, S. (2011). Host-parasite interactionsunder extreme climaticconditions. CurrentZoology, 57(3), 390–405. https://doi.org/10.1093/czoolo/57.3.390

Martuscello, J. A., Jank, L., Gontijo Neto, M. M., Laura, V. A., & Cunha, D. de N. F. V. da. (2009). Produção de gramíneas do gênero Brachiaria sob níveis de sombreamento. Revista Brasileira de Zootecnia, 38(7), 1183–1190. https://doi.org/10.1590/S1516-35982009000700004

Melo, H. J. H. de, & Bianchin, I. (1977). Estudos epidemiológicos de infecções por Nematódeos gastrintestinais de bovinos de corte em zona de cerrado de Mato Grosso. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 12(1), 205–216.

Mendonca, R. M. A., Leite, R. C., Lana, A. M. Q., Costa, J. O., &Toth, G. (2014). Parasitic helminth infection in young cattle raised on silvopasture and open-pasture in Southeastern Brazil. Agroforestry Systems, 88(1), 53–62. https://doi.org/10.1007/s10457-013-9655-4

Miehe, S., Kluge, J., Von Wehrden, H., &Retzer, V. (2010). Long-term degradation of Sahelian rangeland detected by 27 years of field study in Senegal: Long-term rangeland monitoring in the Sahel. Journal of Applied Ecology, 47(3), 692–700. https://doi.org/10.1111/j.1365-2664.2010.01815.x

Oliveira, C. C., Villela, S. D. J., de Almeida, R. G., Alves, F. V., Behling-Neto, A., & Martins, P. G. M. de A. (2014). Performance of Nellore heifers, forage mass, and structural and nutritional characteristics of Brachiaria brizantha grass in integrated production systems. Tropical Animal Health and Production, 46(1), 167–172. https://doi.org/10.1007/s11250-013-0469-1

Oliveira, M. C. S., Nicodemo, M. L. F., Pezzopane, J. R. M., Gusmão, M. R., Chagas, A. C. S., Giglioti, R., … Néo, T. A. (2017). Gastrointestinal nematode infection in beef cattle raised in silvopastoral and conventional systems in São Paulo state, Brazil. Agroforestry Systems, 91(3), 495–507. https://doi.org/10.1007/s10457-016-9950-y

Paciullo, D. S. C., Lopes, F. C. F., Júnior, J. D. M., Filho, A. V., Rodriguez, N. M., Morenz, M. J. F., & Aroeira, L. J. M. (2010). Características do pasto e desempenho de novilhas em sistema silvipastoril e pastagem de braquiária em monocultivo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 44(11), 1528–1535.

Pimentel Neto, M., & Fonseca, A. H. da. (2002). Epidemiologia das helmintoses pulmonares e gastrintestinais de bezerros em região de baixada do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira, 22(4), 148–152. https://doi.org/10.1590/S0100-736X2002000400004

Roberts, F., & O’Sullivan, P. (1950). Methods for egg counts and larval cultures for strongyles infesting the gastro-intestinal tract of cattle. Australian Journal of Agricultural Research, 1(1), 99.

Santos, H. G.,Jacomine, P. K. T., Anjos, L. H. C. dos, Oliveira, V. Á. de, Lumbreras, J. F., Coelho, M. R., … Cunha, T. J. F. (2018). Sistema Brasileiro de Classificação de Solos (5oed). Brasília - DF: EMBRAPA.https://doi.org/10.1071/AR9500099

Santos, P. R., Baptista, A. A. S., Leal, L. da S., Moletta, J. L., & Rocha, R. A. da. (2015). Nematódeos gastrintestinais de bovinos – revisão. Revista Científica de Medicina Veterinária, (24), 1–15.

Silva, M. E. da, & Lima, W. dos S. (2009). Controle e aspectos epidemiologicos das helmintoses de bovinos. Belo Horizonte: Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – EPAMIG.

Soares, A. B., Sartor, L. R., Adami, P. F., Varella, A. C., Fonseca, L., &Mezzalira, J. C. (2009). Influência da luminosidade no comportamento de onze espécies forrageiras perenes de verão. Revista Brasileira de Zootecnia, 38(3), 443–451. https://doi.org/10.1590/S1516-35982009000300007

Soca, M., Simón, L., & Roque, E. (2007). Árboles y nemátodosgastrointestinalesen bovinos jóvenes: Unnuevo enfoque de lasinvestigaciones. Pastos y Forrajes, 30, 1–1.

Soca, M., Simón, L., Sánchez, S., & Gómez, E. (2002). Dinámica parasitológica en bostas de bovinos bajo condiciones silvopastoriles. Parasitological dynamics in cattledungundersilvopastorilconditions. Recuperado de http://repositorio.bibliotecaorton.catie.ac.cr:80/handle/11554/6052

Soutello, R. V. G. , Suguisawa, L., Cares, C. C. P., Pazeti, G. C. A. S., Borges, J. H. R., Brito, M. N. X., … Moraes, D. A. N. (2002). Seleção de bovinos de corte resistentes a verminose. Ciência Agrárias e da Saúde (Impresso), 2(2), 53–56.

Soutello, R. V. G., Gasparelli Júnior, A. G., Menezes, C. F., Dourado, H. F., Lima, M. A., &Baier, M. O. (2001). Ação e importância dos anti-helmínticos em relação a produção de ruminantes. Ciências Agrárias e da Saúde (Impresso), 1(1), 55–59.

Souza, A. P. de, Ramos, C. I., Bellato, V., Sartor, A. A., &Schelbauer, C. A. (2008). Resistência de helmintos gastrintestinais de bovinos a anti-helmínticos no Planalto Catarinense. Ciência Rural, 38(5), 1363–1367. https://doi.org/10.1590/S0103-84782008000500026

Stromberg, B. E., Gasbarre, L. C., Waite, A., Bechtol, D. T., Brown, M. S., Robinson, N. A., … Newcomb, H. (2012). Cooperia punctata: Effect on cattle productivity? Veterinary Parasitology, 183(3), 284–291. https://doi.org/10.1016/j.vetpar.2011.07.030

Sykes, A. R., & Coop, R. L. (1979). Effects of parasitism on host metabolism. Management and Diseases of Sheep / J.M.M. Cunningham, J.T. Stamp, W.B. Martin [Editors].

Ueno, H., & Gonçalves, P. C. (1998). Manual para diagnóstico das helmintoses de ruminantes (4oed). Tokyo, Japão: Japan International Cooperation Agency.

Zanette, P. M., & Kruger, M. G. (2011). Sistema silvipastoril como alternativa para a produção de bovinos de corte (Pós-Graduação Lato Sensu). Universidade Tuiuti do Paraná, Guarapuava.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-196

Refbacks

  • There are currently no refbacks.